Living on my own

Segredos. Todos temos os nossos, alguns são simples, inofensivos. Outros, sombrios e obscuros.
Toda família, por mais perfeita que pareça, tem os seus. Até que ponto vale à pena guardar um segredo?

Penso que, se um segredo é tão grande a ponto de afetar várias pessoas, não é bom guardá-lo. Não estou dizendo para sair por aí revelando todos seus segredos, de forma alguma, mas há coisas que não devem ser guardadas. Fazem mal para o coração, para a mente, os ossos. Há coisas que podem derrubar famílias inteiras em minutos, mas há aqueles que podem mudar a vida de pessoas para melhor.
Todos temos nosso lado sombrio e tempestuoso, e por mais que lutemos contra isso, ele sempre vem à tona. O seu caráter é feito de momentos de solidão, não nos de companhia. Porque é quando você está sozinho que você pode ser verdadeiramente você mesmo, sem nenhuma restrição ou empecilho. São seus momentos de tristeza e reflexão, seus momentos secretos, são eles que te definem, são eles que fazem a soma de seu caráter. Eles são a liga que junta todas as partes. É uma pena que momentos tão preciosos quanto esses não possam ser compartilhados.

Poucos nos conhecem como realmente somos. Muitas vezes, nem a pessoa que convive conosco dia a dia nos conhece. E posso afirmar com toda a certeza de que ninguém me conhece verdadeiramente. Nem a pessoa que acha que já chegou ao íntimo do meu ser e conhece todos os meus segredos, anseios, medos e vontades, posso afirmar que essa é a que menos me conhece. Porque, apesar de ser sempre verdadeira e sincera, não me deixo revelar completamente às pessoas. Não seria justo com elas. Se me conhecessem de uma forma profunda e verdadeira, teriam pesadelos à noite, isso perturbaria suas almas. Por isso, não me deixo conhecer. De fato, é uma proteção que tomo, sim, mas não de mim mesma, mas sim de outras pessoas.

Não tenho medo que me machuquem, tenho medo de machucar. Quando me machuco, sei que me recupero fácil e a dor é a melhor parte de tudo isso, mas não sei se outras pessoas teriam a mesma capacidade que eu de lidar com a dor. Não tenho medo de amar, tenho medo de não ser amada. Amo com todas as minhas forças as pessoas, mas de tanto idealizar, acabo me decepcionando quando percebo que elas não me amavam tanto assim. Não quero que isso aconteça mais, mas sei que não posso evitar. É algo pelo qual todos nós passamos, uns melhores, outros nem tanto. Mas é inevitável. Espero que com você seja diferente, de verdade.

Como havia dito, todos temos nossos segredos. Será que ele é obscuro ou será simples? Um conselho: não fuja de si mesma nem de seus segredos, porque, acredite, um dia eles sempre acabam retornando para te atormentar.

5 comentários

  1. Todos temos um segredo, mas acho que nenhum é tão segredo assim desde que o confiamos à nossa melhor amiga!

    ResponderExcluir
  2. quem é este que não possui segredos?

    gostei muito do texto. mt bem elaborado!

    parabéns.

    ResponderExcluir
  3. E como dizem: de perto, ninguém é normal.
    Cada pessoa guarda algum tipo de segredo, uns podem deixar de ser um dia... Outros permanecem secretos pra sempre.

    ResponderExcluir
  4. Segredos depois de contados deixam de ser segredos. Beijo

    ResponderExcluir