Qualé o limite?

Olá pessoinhas tão queridas que aqui estão.
Há uma questão que me deixa muito irritada: a desigualdade entre homem e mulher na família. Que há desigualdade na sociedade em geral, todo mundo já está cansado de saber. Mas acho realmente ridículo haver diferenças entre meninos e meninas dentro de casa.

Um exemplo disso é o diálogo que tive com minha mãe ontem. Para que vocês entendam tal diálogo, é preciso lhes apresentar as circunstâncias. É importante que vocês saibam uma coisa a meu respeito (para entenderem o motivo da conversa): eu estou quase sempre envolvida em algum tipo de escândalo desde que eu era pequena. Não que eu procure por problemas, não, eu não gosto disso. Mas é que eles sempre acabam me encontrando, de uma maneira muito misteriosa. E eu, como a menina argumentista que sou, nunca fujo deles.
Só que o povo em geral que vive à minha volta (lê-se: vizinhança, pessoas da Igreja, pessoas da escola etc.) não me veem apenas como uma menina que têm o dom de arranjar desafetos apenas com um olhar, mas costumam me ver como a menina que não presta, mimada e que se acha dona da verdade.
Dito isso, podemos ir à parte do diálogo:
A mãe diz:
- Mas filha, como é que tu não se importa com o que falam de ti por aí?
- Eu não me importo, simplesmente isso. É problema deles, não meu.
- Mas desse jeito tu nunca vai arrumar um namorado decente pra ti, ainda mais depois de namorar aquela desgraça.
- E quem disse que eu quero um namorado daqui? E meus irmãos também tiveram namoradas que inventaram milhões de coisas a respeito deles e fizeram da nossa vida um inferno.
- Ah, mas eles são homens. Eles podem fazer isso e ninguém fala mal. Tu é uma guria e não pode. Ou acha que é igual a eles?
Foi basicamente esse o diálogo.

Então, eu me pergunto: por quê eu sou diferente dos meus irmãos? Nós temos os mesmos pais, a mesma criação, os mesmos conceitos morais etc. Eles tiveram as suas namoradas, erraram em algumas escolhas e se deram mal por isso. Algumas das ex's deles têm implicância com a nossa família até hoje (depois de vários anos do acontecido) e falam mal deles para todo mundo. Então por quê eu, só por ser menina, não posso errar também?
Eu nem acho que minha mãe está errada em seu ponto de vista, porque as pessoas podem ser bem cruéis com meninas mesmo. Mas a questão é que eu não consigo ver tamanha diferença entre mim e qualquer menino. Talvez porque eu não seja tão "feminina" (nos padrões da sociedade) assim. Vai ver porque só tenho irmãos e não tenho nenhuma irmã, nunca tive muitas amigas e tal. Meus brinquedos favoritos quando era pequena eram carrinhos e bolinha de gude, para terem uma ideia. Fui criada como meus irmãos, não há muita diferença entre nós. No entanto, as pessoas (não estou falando da minha mãe, tadinha, ela só se preocupa comigo) da rua falam demais. E falam o que não diz respeito à elas.

Eu apoio completamente a liberdade de expressão, seja ela verbal ou não, seja ela proveniente de mim ou de outras pessoas. Cada um tem o direito de falar o que quiser e pensar o que quiser. Mas eu acho que quando o preconceito é tão forte que te afeta dentro da tua casa, é porque chegou no limite. Nem eu nem ninguém deveria ser julgado de forma diferente por causa do seu gênero. E apesar da sociedade apoiar esse tipo de julgamento desigual, eu não concordo com isso. Não acho que eu tenha que me cuidar mais porque eu sou menina, porque antes de ser uma menina eu sou uma cidadã como qualquer outra pessoa, e mereço tanto respeito quanto qualquer um.

Se você falar mal de mim por aí e inventar mil e uma coisas a meu respeito, pode ter certeza que não estará tirando nenhuma noite de sono minha. Eu não vou me importar, mesmo. Até meio que gosto de toda essa divulgação, só faz com que eu fique mais famosa e desperte mais interesse nas pessoas. Mas tudo tem um limite, até brincadeiras. E se você falar de mim, pode saber que eu não pensarei duas vezes antes de apresentar a minha opinião sobre você. É como diz aquela frase: "O que você pensa sobre mim não vai mudar quem eu sou, mas pode mudar o meu conceito sobre você.".

Eu sou uma pessoa como qualquer outra, com defeitos e falhas, que erra às vezes e tal. Mas não mereço ser julgada por isso. Eu não sou uma Barbie com a vida perfeita, o namorado perfeito, o corpo perfeito ou o cabelo perfeito, mas sou apenas uma menina que gosta de argumentar as coisas e de ser bem sincera com as pessoas, quer elas gostem de sinceridade ou não; quer as minhas críticas atinjam à elas ou não.
Espero não ter ofendido ninguém de alguma forma, mas caso o tenha, críticas sempre serão bem-vindas, desde que redigidas com educação, é claro.

(Mia Sodré luta pela liberdade de expressão)

U103637INP

4 comentários

  1. Sabe de uma coisa, algum tempo atrás, as pessoas escreviam nos seus diários as suas angustias, inquietações, sonhos e etc, no entanto eles não eram abertos ao público;você não precisa se "desnudar para estranhos, não é "preciso promoção"
    Quanto ao gênero masculino e feminino, eles são completamente diferentes, mas, contudo possuiem direitos e deveres iguais quanto a sociedade,mas, quanto ao gênero masculino e feminino eles diferem e até por isso se completam. Um bom exemplo é analisar um mês de uma mulher, por conta do ciclo mestrual, ela em apenas, tem alteração de comportamento quatro vezes. Um abraço!

    ResponderExcluir
  2. Olha, eu não estou me promovendo nem nada, apenas escrevo aqui coisas que acontecem comigo, e isso não tem nada de mais. Até porque não posso falar de assuntos dos quais eu não tenha uma base, e já que tenho alguma base é necessário que eu a cite.
    Mas as diferenças entre os gêneros masculino e feminino são mínimas. Quem mais faz com que essas diferenças sejam "reais" somos nós mesmos, apoiando cada vez mais esse comportamento egocentrista de que a mulher é frágil e o homem é o forte. As coisas já deixaram de ser assim há muito tempo, só não percebe quem realmente não quer.
    De qualquer forma, eu já imaginava que você não iria gostar nem um pouco desse post. Mas eu não posso fazer nada a respeito disso, é minha opinião e eu realmente tenho necessidade de compartilhá-la.
    (:

    ResponderExcluir
  3. Putz..quanto que eu já sofri com isso. Para meus irmãos tinha tudo..pra mim era um caos. Mesmo eu tendo mais juízo e sendo a mais velha. Por isso comecei a trabalhar cedo.

    adorei o texto, e não se preocupe em se expor..pensem o que for, nós blogueiras temos o direito de escrever o que vier a cabeça. Será possível que até aqui as pessoas querem nos dizer o que fazer?? Affff


    tenha um ótimo feriado.

    e participe do sorteio em um dos meus blogs

    www.tempestade-floresnocaminho.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Essa questão é antiga em nosso mundo e sempre me incomodou também. Não vejo motivos para que se julguem diferenças entre os sexos ou se promova desigualdades, seja na família ou na sociedade em geral. Infelizmente ainda há muito pra evoluir, Mia!

    ResponderExcluir