A espectadora

Vazio. Nada na mente, nada no coração; não mais. Imaginei que a esta altura estaria com quase todos meus desejos realizados, feliz e fazendo planos. Mas tudo o que faço é sobreviver - por puro instinto. Deitada, olhando para o céu em uma bela tarde de outono percebo-me incompleta. Há tanto para viver e eu estou aqui: à parte de tudo, longe de tudo.

Hoje sou apenas uma espectadora de mim mesma, do mundo. É bem verdade que sempre fui assim: alheia. Lembro que antes ficar apenas observando as coisas ao meu redor era razão suficiente para me deprimir e arquitetar cortar pulsos. A diferença é que, agora, meu mundo não é mais um esconderijo forçado de coisas que doem. Faz frio aqui dentro - mais do que lá fora, para ser sincera. Mas não dói. Sou alheia a tudo e ao mesmo tempo, parte de tudo.
Ser espectadora nunca havia sido tão bom.

11 comentários

  1. Oi (:
    Agora eu devo dizer que você escreve muito bem e que se você tem vontade de fazer poema, é só deixar o coração fluir que ele ditará todas as palavras. Quem sabe escrever (e isso você sabe de sobra) escreve tudo!
    amei seu comentário no meu blog...
    estou seguindo (:
    beijos

    ResponderExcluir
  2. Às vezes encontramos orça no não tão simples fato de ser indiferente. Quando enxergamos que o nosso problema não é o maior, conseguimos superá-lo sem tanto drama... Ah, Mia! Você, espetacular como sempre. Um beijo e muito sucesso!

    http://railmamedeiros.blogspot.com/ - Tem post novo, passa lá se puder, querida. :)

    ResponderExcluir
  3. "Faz frio aqui dentro - mais do que lá fora, para ser sincera. Mas não dói. Sou alheia a tudo e ao mesmo tempo, parte de tudo."

    Essa sensação é ruim, só acho.
    Lindo texto.

    ResponderExcluir
  4. Me senti tão eu no seu texto, adorei, sinceramente. "Hoje sou apenas uma espectadora de mim mesma, do mundo". Me decifrou, um pouco, mas decifrou.

    ResponderExcluir
  5. Olá, eu estou tentando chegar a meta de 500 seguidores, você poderia seguir meu blog, avisar e eu irei vim aqui e seguir de volta?



    saladadefrutasbr.blogspot.com
    ~ Brenna Félix ~

    ResponderExcluir
  6. As vezes ser espectadora tem suas vantagens. Quem olha de fora sempre vê os problemas mais simples, as soluções mais fáceis e os dramas desnecessários.
    http://www.dinhacavalcante.com/

    ResponderExcluir
  7. é.. o fato de ser espectadora, nao mostra a verdadeeir realidade dos fatos.. cada vez se superando amis em Mia. xD

    ResponderExcluir
  8. O bom de ser espectadora é que, quem vê de fora vê as coisas melhores, mais claras. Mas, o lado ruim é que como espectadora acabamos perdendo muitas coisas maravilhosas da vida!
    Beiijos*-*
    http://cartasp-voce.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. As vezes ser expectadora da vida e não viver é pessimo, as vezes sendo vivida é tão melhor do que a de quem olha, ADOREI o texto.
    http://senhoritaliberdade.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. Esse texto parecia que estava me vendo...
    Mera expectadora da vida..
    Amei seu blog Mia, seguindo já!
    Aguardo sua visita no meu!
    www.superconectadas.com

    ResponderExcluir
  11. "Mas tudo o que faço é sobreviver - por puro instinto. Deitada, olhando para o céu em uma bela tarde de outono percebo-me incompleta."

    Tarde, noite . . Outono, verão, inverno. Tanto faz. Esses trecho transpareceu completamente como mim senti esses dois anos.
    Você escreve com a alma. É intenso. . Estou te seguindo.

    -
    EM CADA POÇO.
    http://www.emcadapoco.blogspot.com/

    ResponderExcluir