Uma noite na ópera

Ela sabia que era tarde. Sua alva pele aos poucos se transformava naquilo que sempre detestou - plebe, comum. Era um movimento repetitivo, uma espécie de autotortura que fazia ao confrontar-se consigo mesma, ao confrontar-se com sua verdade velada em espelhos. Estava, aos poucos, envelhecendo e toda a maldade de seus pecados ocultos e ininteligíveis se reuniam para lhe assombrar à frente daquela superfície espelhada que fora um dia tão admirada por revelar um ideal grego de outrora.

Essa era a vida real ou era apenas uma escapatória da realidade? Ela não sabia. O que sabia é que há tempos não se manifestava com tanta paixão e todo aquele vazio, aquele oco em seu estômago havia sido preenchido por um transe feito de puro êxtase por seu mais belo objeto de estudo: seu reflexo.
Tarde demais, sua hora havia chegado. Tudo doía em seu corpo, mas o que mais doía era encarar o reflexo das consequências do tempo, consequências de seus pecados, consequências de sua imprudência. Doía mas a fascinava como nada no mundo havia feito antes. Sim, pois aquela superfície espelhada lhe exercia um fascínio e um temor nunca vistos antes. Era um transe, como quando Narciso apaixonou-se por seu belo rosto. Sim, era exatamente isso, porque nada realmente importava além de seus preciosos vincos. O inferno iria lhe pegar; a morte iria lhe esperar. E ninguém a podia escutar.

A gargalhada histérica que manisfestou ao ver o reflexo do que havia se tornado a acordou daquele pesadelo infame. De fato, acordou a todos que estavam ao redor. As sombras da felicidade lhe traziam amargura por lembrá-la daquilo que não poderia ter novamente: sua inocência.
Fora apenas um sonho. Apenas um terrível e vívido sonho. Nada mais que um reflexo de sua consciência repleta de luxúria.
A verdade era então uma chama que ao mesmo tempo que queimava ao ser tocada, aquecia e iluminava aqueles que não a temem. 

Tumblr_ltk905wyar1qep56go1_500_large

12 comentários

  1. Mia, estou sem ar com tuas palavras.
    Só quem conhece um pouco de ti sabe o quanto cada palavra tem seu lugar certo. A força que está em cada frase nunca será vencida por obstáculos pequenos que sabemos que são. Parabéns e a cada novo dia olhe no espelho e veja o reflexo lindo que agora é todo teu e que ninguém pode roubar de ti. Sou tua fã. ♥

    ResponderExcluir
  2. Você escreve muito bem!
    Beijo.
    _________
    http://classicheap.blogspot.com/2011/11/loja-mimos-de-silvinha.html

    ResponderExcluir
  3. Sem Palavras!
    Simplesmente MARAVILHOSO ♥
    Amei, de verdade.
    Beijoos ;*

    saahandradee.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. "Excelente Texto:'Uma noite na ópera'
    Nota:A+ &/Ou 10!"

    ResponderExcluir
  5. Como você colocou ali na tag, vi bastante sarcasmo no teu texto. Intenso, demais.
    Gostei .;}

    ResponderExcluir
  6. um textoo maravilhosoo e super inspirador!! to seguindoo aki! te esperoo no meu tá?
    http://swett-girls.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. ahh gostariaa de afiliação com vc... aceita?

    ResponderExcluir
  8. Nossa Mia, cada dia que leio teus textos gosto mais,mais e mais.
    Amei o texto,beiijos*-*
    http://cartasp-voce.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Que incrível!Adorei esse texto

    http://imodelblog.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. Mia, você é muito demais pra caramba!!!! - sim a redundância é proposital! Não da pra não se prender a cada palavra que você escreve, já pensou em escrever um livro? De verdade :O Adorei muito esse conto, perfeito!
    Sou tua fã [2] ♥
    http://www.dinhacavalcante.com/

    ResponderExcluir
  11. Meninas, obrigada a todas. Fico muito feliz que tenham gostado, de verdade.

    Dinha - Sim, já pensei em escrever um livro, mas acho que preciso de mais experiência para isso. E também de um blog mais conhecido, para que chame a atenção de escritores já com livros publicados, editoras, essas coisas.

    ResponderExcluir