Ateus, evangélicos e o desrespeito

Se há algo que tem me irritado bastante nos últimos dias é a polêmica ateus versus evangélicos que há no Facebook. E eu tenho algumas coisas a falar a respeito disso.
Não, eu não tenho pretensões de mudar o mundo através de um texto em um blog pequeno como este. Mas eu tenho pretensões de mudar o meu mundo, o meu dia-a-dia. E se uma pessoa que ler isso aqui entender meu ponto de vista, eu já terei cumprido minha missão do dia.

Em primeiro lugar, deixe-me dizer: sou cristã. E não, eu não defendo atitudes extremistas (sejam cristãs ou não) de forma alguma. Fanatismo é algo que passa longe de mim. Mas se há algo que defendo é uma coisinha chamada respeito, que muitas pessoas esqueceram. Na ânsia de proclamar ao mundo seus ideais e suas crenças, opiniões e conclusões, elas esqueceram que o outro quase nunca concorda conosco. E isso é algo bom. Diferenças são fundamentais, lindas e excitantes. Se tudo fosse igual o mundo seria muito, muito chato (e a taxa de suicídios com certeza aumentaria consideravelmente). Portanto eu não vou defender ninguém aqui (nem os evangélicos, apesar de ser uma; cada um que responda por seus atos). Assim como não estou generalizando as pessoas em apenas dois grupos (eu seria extremamente estúpida e injusta se assim o fizesse), mas estou dizendo que há evangélicos e há ateus que não respeitam crenças alheias. Assim como há evangélicos (como eu mesma o sou) que não são fanáticos e há ateus que não são tão "extremos" em sua crença de que não há uma verdadeira crença. Esclarecidos esses pontos, vamos aos fatos.

ATEUS
(imagem retirada do grupo do Facebook 'Sou ateu, Brasil') 
Em primeiro lugar, por que todo ateu (não estou generalizando, ok? Estou falando da maioria ateísta) tem que ser necessariamente contra o cristianismo? Os ateus não acreditam em nada? Que bom pra eles! Menos peso na consciência e mais racionalidade. Sim, isso é ótimo. Mas não há necessidade alguma de esculachar a religião de outros apenas por não ter nenhuma religião. Alguns ateus estão sendo tremendamente chatos e irritantes postando coisas por aí contra o cristianismo. Os evangélicos enchem a paciência de qualquer um com seus discursos inflamados sobre como todo o resto da humanidade vai para o inferno? Pode ter certeza de que sim. Mas isso não é motivo para desrespeitar a crença religiosa de outro. Só é motivo para não fazer as mesmas coisas que ele ou não ser amigo de tal pessoa. Ponto.
Se eles têm direito de expressar que acham o cristianismo completamente errado? Com certeza. Mas poderiam fazer isso de forma mais civilizada, não é? Afinal, cada um com sua crença (ou com sua falta de crença).
É ridículo afirmar (e tentar convencer as pessoas) que todas as religiões se baseiam em mentiras. Assim como é ridículo tentar levar todos os ateus para o cristianismo (ou seja lá qual religião for). 

EVANGÉLICOS
(imagem daqui)
Sim, evangélicos podem ser chatos. Extremamente chatos e mente-fechadas. O que não quer dizer que todos sejam assim. Mas veja bem: um evangélico que coloca em seu Facebook que os ateus deveriam morrer logo para que pudessem ir para o inferno de uma vez por todas e não incomodar mais já violou o mandamento principal do cristianismo que é: amar o próximo como a si mesmo. Se a pessoa deseja tanto mal a outra apenas porque a outra não tem a mesma crença dela, como ela pode estar amando? Impossível. A não ser que seja seriamente perturbada (mentalmente falando) e queira ir para o inferno também. 
Sim, eu sou cristã. Mas não tenho uma fé cega. Acredito no inferno bíblico, assim como em céu, paraíso, ressurreição de Cristo e em várias coisas. Mas também acredito que o fanatismo leva as pessoas à loucura e é causador de várias guerras. 
E para quem lê a Bíblia e diz que nela não há nada de "errado", aqui vai apenas uma dica: leia com atenção a história de Abraão e descubra que Sara era sua irmã; portanto eles cometiam incesto (sendo que essa é uma prática proibida pela própria Bíblia). Quando fui discutir isso com minha família (que é toda cristã) eles queriam me exorcizar por eu estar questionando a Bíblia. Não questionei nada, apenas afirmei que isso está lá para quem quiser ler. Ponto. 
Dizer que um ateu irá se ferrar por toda a eternidade e que ele merece isso é algo ridículo. O pecado do ateu é não acreditar? Bem, eu nem vou começar a citar os pecados que todos praticamos diariamente, porque sinceramente isso aqui vai ficar gigante. 

A questão é que: ser ateu não é errado. Assim como ser evangélico também não o é. Os dois (que agem conforme o que eu falei acima) estão errados, independente de suas crenças (ou da falta de crenças). Não é uma fé que define alguém, mas sim o caráter, a criação, princípios e muitas outras coisas. A coisa é muito mais complexa e psicológica do que religiosa. Somente isso. 
Sim, é verdade que desde que as pessoas pararam de seguir cegamente às regras da Igreja Católica e começaram a pensar por si próprias e refutar às escrituras houve uma grande evolução (veja pelo Iluminismo, por exemplo). Mas isso não quer dizer que são os cristão os errados e de pensamento arcaico. Isso só quer dizer que os seres humanos não deveriam aceitar conceitos pré-estabelecidos, que deveriam pensar por si próprios e aprender a respeitar aos outros. Sem o respeito, as coisas nunca vão dar certo. 
E antes de refutar algo, pesquise sobre, ok? Isso facilita muita coisa e ajuda a chegar a um entendimento melhor de ambas as partes. 

27 comentários

  1. Eu também acho ridicula essa guerrinha que há entre evangélicos e ateus. Acho que cada um acretida no que quer, e ninguém pode contestar isso, até porque eu sou cristã e aprendi que não estou no mundo pra julgar ninguém.
    "Não é uma fé que define alguém, mas sim o caráter, a criação, princípios e muitas outras coisas." Concordo com você. Religião não salva, e sim o caráter.
    beijos,
    http://the-mandie.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ainda que vc diga a todos(sou ateu)muitos retrógradas ainda entende...(sou um sociopata canibal devorador de criancinhas)mas a mente humana é igual bunda de bebe nao se sabe a hora que vem a merda...mas a minha opinião é unica!

      Excluir
    2. ainda que o mundo estaja tão moderno a ponto de vc se sentir a vontade pra dizer (sou ateu)a maioria das pessoas retrógradas ainda entende(sou um sociopata canibal devorador de criancinha)mas a mente do ser humano é igual bunda de bebe...nunca se sabe a hora que vem a merda...mas a minha opinião é unica!

      Excluir
  2. Também acho um saco essa discussão de ateu x qualquer religioso. Coisa de quem não tem o que fazer da vida.
    Não acredito em Deus,e não é por isso que eu preciso sair da minha rotina de pessoa normal pra ir no facebook fazer pseudo-pregação só que ao contrário. Idem pra pessoas cristãs, evangélicas ou seja de que religião forem.
    Auto afirmação é um dos primeiros passos pra entender o quanto alguém não tem completa confiança na sua formação (sexual, religiosa ou o que for), e brigar por facebook/twitter ou qualquer rede social acaba "coroando" isso com uma atitude imatura que não se espera de ninguém.
    E os argumentos sempre são tão fracos, que é absurdo até pensar em algo pra responder. Evangélicos comparando ateus a Hitler, ateus falando do Edir Macedo (acho que se escreve assim) a torto e a direito, sem parar pra pensar que o caráter de alguém não depende da religião que ela segue. Fora milhões de outros preconceitos enraizados que vão surgindo e usando essa discussão como desculpa, sendo que eles não tem nenhuma relação. Racismo, xenofobia, coisas que me fazem pensar que eu convivo com um bando de animais com calças, e não seres humanos.

    Escrevi muito e acabaram faltando muitos pontos. Se eu continuasse, ia ser o primeiro manifesto anti-imaturidade então deixa pra uma próxima, haha.
    Beijos ;*

    taiyounorakuen.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Concordo totalmente. Sou cristã também, e da mesma forma que conheço ateus fanáticos e insuportáveis, conheço outros cristãos - que já estiveram, de certa forma, bem próximos no meu convívio - insuportáveis, que se acham melhores do que os outros por uma diferençazinha na maneira em que foram ensinados.

    Acho que falta muito o respeito, de ambas as partes. Os ateus fanáticos (?) deveriam ir viver suas vidas e nos respeitar, assim como alguns de nós deveríamos ler a Bíblia e parar de desprezar o próximo por acreditar - ou não - em algo diferente. Se dizer cristão/qualquer denominção disso, pode não significar nada, se a pessoa estiver sendo hipócrita. As vezes, ateus tem ações melhores do que cristãos, e aí, como é que fica o testemunho de quem se diz tão certo e abençoado?

    Tá uma situação complicada mesmo, mas a unica razão pra isso estar acontecendo é a falta de respeito, de ambos os lados, já que esses não respeitam nem a si mesmos.

    Bjos!

    http://qualquerlink.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. E você falou bem,é preciso ter respeito dos dois lados.
    sem impor as nossas verdades.
    é chato quando lemos coisas assim no Facebook ou Twitter. primeiro porque tem aquelas pessoas "do bem" que só querem viver suas vidas em paz,segundo ateu ou não. e segundo que isso não leva a lugar algum =T
    Emilie Escreve

    ResponderExcluir
  5. Concordo demais! Fui batizada católica, mas me liguei no ateísmo. Acho que isso não interfere em nada na minha vida, foi uma escolha minha. Existe uma coisa chamada respeito que todos devíamos usar. Não é porque sou ateia ou católica que tenho que ser enquadrada na maioria; cada pessoa é uma pessoa. Essa briga está sendo inútil porque simplesmente nunca vai dar em nada! Adorei o texto, amo teu blog, sou tua fã legítima e tenho certeza que foi difícil escrever esse texto com tantas opiniões para se dar num só lugar. Adorei!

    iampurplepineapple.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. O blogger deletou meu comentário e eu fiquei: awn?! Enfim.

    Sabe, Mia, acho ridículo essas brincadeirinhas e indiretas de ambas partes. Para mim, a grande maioria que se considera fanática é só aparência. Deus sonda nossos corações (para quem crer). Tenho amigos católicos que morrem de rir quando veem uma imagem ironizando a Santa Ceia de Cristo, tenho amigos Ateus que adoram difamar (quando tem oportunidades, as religiões alheias) e tenho amigos evangélicos que só tem capa mesmo. Por fim, todos nós somos imperfeitos e não é um 'curtir' ou 'compartilhar' que irá provar meu amor por isso ou aquilo.

    Temos que viver com as diferenças, como você falou. Também já passei por essa fase de: Questionar a bíblia e quase ser crucificada. Quando eu era católica questionava as preces para os santos, eu perguntava: 'Por que não peço diretamente pra Deus?' E quando virei evangélica (há uns 5 anos), questionei o porquê do Rei Davi não ter castigado um dos seus filhos que tinha violentado sua própria irmã. Assim, incesto mesmo. Irmão com irmã. Além de outras coisas, mas isso nunca tirou minha dúvida e fé no Altíssimo. Por fim, se ateu não acredita em nada, que fiquem pra eles. E o crente tenha sabedoria com o seu próximo!

    Digníssimo post, Mia. Um beijo!
    http://eppifania.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. O blogger deletou meu comentário e eu fiquei: awn?! Enfim.

    Sabe, Mia, acho ridículo essas brincadeirinhas e indiretas de ambas partes. Para mim, a grande maioria que se considera fanática é só aparência. Deus sonda nossos corações (para quem crer). Tenho amigos católicos que morrem de rir quando veem uma imagem ironizando a Santa Ceia de Cristo, tenho amigos Ateus que adoram difamar (quando tem oportunidades, as religiões alheias) e tenho amigos evangélicos que só tem capa mesmo. Por fim, todos nós somos imperfeitos e não é um 'curtir' ou 'compartilhar' que irá provar meu amor por isso ou aquilo.

    Temos que viver com as diferenças, como você falou. Também já passei por essa fase de: Questionar a bíblia e quase ser crucificada. Quando eu era católica questionava as preces para os santos, eu perguntava: 'Por que não peço diretamente pra Deus?' E quando virei evangélica (há uns 5 anos), questionei o porquê do Rei Davi não ter castigado um dos seus filhos que tinha violentado sua própria irmã. Assim, incesto mesmo. Irmão com irmã. Além de outras coisas, mas isso nunca tirou minha dúvida e fé no Altíssimo. Por fim, se ateu não acredita em nada, que fiquem pra eles. E o crente tenha sabedoria com o seu próximo!

    Digníssimo post, Mia. Um beijo!
    http://eppifania.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Ótimo reflexão Mia. Acho que religião lembra briga e briga não lembra Deus, porém sou católico e acho que por um lado a religião nos faz compreender coisas que talvez demorássemos a entender, entende? E quanto a esses evangélicos e ateus ''do facebook'', se é que posso dizer assim, acho que eles estão precisando (de uns pratos pra lavar) rever seus atos e os princípios de suas religiões (contando com o ateísmo, que não é uma religião). Embora eu não concorde com as pessoas que se julgam ateus, eu prefiro ficar na minha, continuar acreditando em Deus e deixar eles viverem suas vidas. afinal, o que eles falam e fazem não vão interferir em minha vida nem um pouco.

    ResponderExcluir
  9. "já que esses não respeitam nem a si mesmos." acho que foi um errinho né? desculpa, só percebi agora .-.

    ResponderExcluir
  10. Mia, você escreveu quase tudo que penso sobre isso,mas também se escrevesse tudo, seria um post enoorme. rs Essa guerrinha ridícula que vemos no facebook é tão mesquinha. Vejo tanto desrespeito, ás vezes até defendo algumas coisas, por ser cristã, ás vezes não dá pra suportar calada ver ou ler certas coisas que alguns ateus postam,mas depois de refutar, ou mesmo sem debater nada, eu excluo a pessoa ou coloco pra não receber as atualizações dela no meu facebook. Mas enfim, sabe uma coisa que me intriga? Os ateus não param pra criticar uma crença em si, e sim uma religião, que é a dos evangélicos. Eu quase não vejo ateus criticando católicos, espíritas, etc. Isso eu acho curioso.
    Continuarei com a minha crença, mesmo não indo muito a igreja, não sou ingênua de acreditar em tudo que ouço dentro de uma, afinal, na igreja existem seres humanos, falhos e pecadores, mas no final, o que importa é nossa fé em Deus e o respeito com os outros.

    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Mesmo não sendo evangélica concordo com tudo o que você falou! O problema não é acreditar ou desacreditar, mas não respeitar a crença do outro.
    Tenho um amigo no facebook que é ateu e ás vezes me sinto mal pelas coisas que ele compartilha. Algumas nos chamando de idiota e coisas desse tipo. Tudo bem que o face é dele, mas acabo sendo 'obrigada' a ler o que não quero.
    Ótimo post, Mia!
    Kiss, Cat.
    http://hiperbolicat.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Concordo com tudo que você disse. Sou cristã mas respeito quem é ateu, cada um acredita ou deixa de acreditar no que quer. Religiosos fanáticos são tão ridículos quanto ateus fanáticos. Tudo em exagero leva a falta de respeito.

    Beijos,
    www.rebsays.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Não li o texto, depois venho aqui e leio! Só vim dizer que qualquer um pode fazer o meme que tava no meu blog sim! Sinta-se à vontade e me passe o link depois! beijos!

    ResponderExcluir
  14. Concordo totalmente. Sou católica, e minha família é totalmente "conservadora de costumes" pode-se assim dizer. Eles afirmam qualquer coisa que acham que tá certo porque eles ouvem o padre falar. Acho que o mal de cada religião e de cada ateu, é que eles só se preocupam em criticar as ideias e pensamentos dos outros.
    Se o ateu não acredita, isso é problema dele, deixe ele com suas "não-crenças", afinal, ele tem suas razões pra não optar por acreditar no cristianismo. Mas o problema é que com toda essa briguinha de ideias, os cristãos se acham "certos" por estarem defendendo suas ideias de Deus, que chegam a passar dos limites e mal percebem que falam coisas que são proibidas nos princípios cristãos. Por exemplo, minha tia só vai para Igreja pra provar que é católica, mas quando sai da Igreja começa a falar da vida dos outros sem se preocupar com os xingamentos.
    Até quando eu leio sobre certas teorias e vou falar para minha mãe, ela diz que eu tô virando herege. Apesar de ser cristã, eu defendo algumas leis da Ciência, acho até que Deus e a ciência trabalharam juntos, um complementa o outro. Então o que tá faltando nessa humanidade hipócrita é respeito e conhecimento. Beijos!

    Garota de All Star

    ResponderExcluir
  15. Não tenho uma religião definida. Sou espírita e mente aberta o suficiente para seguir várias religiões. Não frequento igreja porque acho totalmente desnecessário. Tenho minha fé, meus princípios e sou uma boa pessoa (na nível do possível). Na minha opinião, o que o que define o caráter de uma pessoa são as atitudes e não a religião que ela diz seguir, afinal muitos dizem ser "cristãos" mas agem de tal forma totalmente contrária ao que pregam, não é? São os chamados "cristãos a partir da porta da igreja". Então não há sentido em julgar alguém "bom" ou "ruim" por ter ou não uma religião. Não existe nenhum preconceito que seja correto. Coisa que me tira do sério é conviver com evangélicos (ou até mesmo católicos) que se acham os únicos corretos do mundo e tentam me converter à todo momento. Ninguém está mais certo que ninguém. Então há argumento que justifique essa "disputa" ridícula que foge de qualquer princípio. Continuo acreditando que a religião mais correta e que todos deveriam seguir é o RESPEITO!

    ResponderExcluir
  16. Mia, você disse tudo. É ridículo essa discussão, essa briga. Cada um tem direito de crer no que quer mas tem obrigação de respeitar e aceitar a opinião do outro.
    Sou católica, tenho minha crença, minha fé mas tenho a consciência que nem todos são iguais a mim, e eu devo respeitar as outras religiões para a minha ser respeitada. É simples acabar com a guerra, basta haver respeito porém as pessoas não querem respeitar mas exigem ser respeitadas, e para o respeito existir tem que ter dos dois lados.

    http://iasmincruz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Bom, como tu sabe eu sou ateu. Cheguei a essa conclusão uns 5 anos atrás, mas há cerca de um ano, depois de assistir quase 100 vídeos de Pat Condell, um ex-comediante britânico que pratica ateísmo ativo, decidi que também deveria, talvez temporariamente (ou não) fazer a minha parte contra o obscurantismo religioso. Sendo assim, acho bom deixar claro que não tenho nada contra a pessoa religiosas em si, mas sim contra a religião. O que é um terreno meio acidentado, pois afinal é como dizer que odeia o nazismo mas não o nazista. Mas como sabemos que a maioria dos nazistas não eram maus e eram forçados a sê-lo, pois todos no país o eram, o mesmo se dá com a maioria dos religiosos. Eles não nasceram assim, mas foram forçados por seus pais, amigos, colegas a sê-lo. Mas diferente do nazismo, que no início só convertia adultos que podiam pensar, as religiões nunca deram chance às mentes imatura de crianças, que desde o berço tem que acreditar naquilo que os pais querem: coelhinho da Páscoa, Papai Noel, deus, Krishna, Tupã e mais algumas centenas de mitos e lendas por aí. Então, em primeiro lugar, minha bronca com a religião é porque todas obrigam seus membros a fazerem lavagem cerebral em crianças que ainda não dominam a razão e a lógica e quando dominarem, será tarde demais pra maioria. A segunda, vai mais ou menos contra o que tu falou da diversidade, das diferenças: os dogmas religiosos não admitem diferenças, por isso as cruzadas, por isso a escravidão, por isso a Inquisição, por isso a perseguição sistemática aos judeus durante 2.000 anos culminando no Holocausto nazista, por isso a perseguição aos gays e lésbicas, por isso o obscurantismo medieval contra a filosofia e a ciência, por isso a campanha contra métodos anticoncepcionais e a camisinha, por isso os ataques terroristas, por isso a inferiorização da mulher e seus direitos perante o homem e a sociedade até os dias de hoje. E isso tudo continua acontecendo todo dia, em maior e menor grau ao redor do mundo (mesmo na África mulheres ainda são consideradas bruxas/amaldiçoadas e perseguidas). Então, devido a esse tipo de atitude pregada pelas religiões e por muitos religiosos, que resolvi partir para um ateísmo ativo.

    ResponderExcluir
  18. Concordo que muitos ataques de um ou outro lado são ou parecem desrespeitosos, mas enfim, a verdade é que mesmo que se faça uma piada onde deus esteja envolvido e a piada não seja necessariamente contra a existência ou não dele, sempre haverá gente indignada, como já vi acontecer comigo em uma piada que fiz com políticos pedindo ajuda de deus. A piada era contra os políticos, mas a maioria dos comentários me xingava apenas porque deus estava presente ali. Então, conclui-se que sendo ofensiva ou não, o fanático e o burro (que na verdade são a mesma coisa) se ofenderão de um jeito ou de outro.
    Ao mesmo tempo, como humorista, acho que qualquer piada que seja engraçada é vãida de ser contada, afinal o lema de todo humorista deveria ser “perco o amigo, mas não perco a piada”. Sendo assim, como nada é sagrado no humor, pq religiões que tem mais semelhanças com ideologias nazistas do que diferenças deveriam ser poupadas de execração e piadinhas?
    E o modo como as religiões foram usadas na história da humanidade demonstra que a grande maioria delas foi usada com fins políticos, muito mais do que com fins espirituais. E política, como se sabe, é sempre a estratégia de uma elite para dominar muitos. Qualquer semelhança com cleros religiosos e seus rebanhos não são mera coincidência.

    ResponderExcluir
  19. Nem todas as religiões são baseadas em mentiras, mas a grande maioria, parece sim, visto que não há provas históricas, arqueológicas ou provas de tipo algum. Logo, se não há provas, fica a palavra de algumas pessoas que morreram há milhares de anos contra a implacável realidade.
    A piadinha sobre o ex-ateu tem um grande fundo de verdade, que é principalmente sobre jovens ateus ou pessoas que viram atéias após passar por uma tragédia. O ateísmo de muitos jovens em geral é rebeldia contra as autoridades paternas ou do estado e a de quem passa por uma tragédia é pela revolta de ter sofrido aquela tragédia. Em ambos os casos, elas abraçam um ateísmo sem raciocinar muito, sem estudar, sem concluir, logo é muito provável que voltem a abraçar a religião anterior com o passar dos anos.
    E como vc disse no final, o que conta é o caráter de alguém. Mas se é isso o que conta e não a crença, isso vai contra quase tudo o que a maioria das religiões professa, que é justamente o fato de que vc tem que crer pra ser salvo. Dessa forma, vc está mais ou menos criando o seu próprio dogma. E o fato da Igreja recuar cada vez mais ante descobertas científicas e mudanças sociais, só prova que ela esteve sempre errada e o surgimento de evangélicos, muçulmanos e judeus fundamentalistas é meramente uma resposta das pessoas ignorantes que tem medo da ciência, das mudanças sociais e do futuro, pois elas querem que o mundo continue do jeito que era quando nasceram. Elas são pessoas que nasceram velhas e querem que todos tenham um pensamento de velho (sem querer ofender velhos que acompanham o tempo).
    Abraço.

    ResponderExcluir
  20. Que post comprido, hein, rs ? Mas li tudo e vou dar minha opinião a respeito. Não tenho religião, mas acredito em Deus e tento seguir a Biblia. Acho idiotice pessoas brigarem por isso mas fazer o que né. Bom, na verdade não dei minha opinião, mas concordo com o que você disse, rs.
    --
    Ah, nunca vi um comentário mais comprido que o do Jerry, haha!
    Beijo.
    --
    http://classicheap.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  21. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  22. Belíssimas conclusões. Imparciais e racionais como toda ideia deve ser.
    Não vou entrar no assunto porquê sei que não adianta.
    Os extremistas serão sempre extremistas, estejam de um lado, de outro, de ambos ou de nenhum. Não é culpa da causa que defendem e sim, de si mesmos. A causa é só pra justificar convenientemente suas tendências.

    Beijão!

    ResponderExcluir
  23. O post ficou perfeito. Parabéns!
    É exatamente assim como penso, porque o que faz o ser humano não é a sua fé, mas seu caráter, suas atitudes, o seu pensar.

    ResponderExcluir
  24. Parabéns por ter capacidade de conviver com pessoas com pensamentos diferentes dos seus ! Se todos compreenderem isso tudo seria mais fácil . Mesmo eu sendo um sonhador de achar que seria o suficiente !

    ResponderExcluir
  25. Concordo com você que deve haver respeito sim, porém comentando a história do incesto entre Abraão e Sara, essa história se passa no livro de Gênesis, e o casamento incestuoso só passa a ser condenado a partir do livro de levítico, ou seja Abraão e Sara não estavam embaixo da lei do incesto, pois ela nem existia naquela época.

    ResponderExcluir