Bonequinha de gelo

Pensando em mil e uma maneiras de torturar alguém com arsênico. Ou com ácido sulfúrico. O que demora mais para fazer efeito?
Cansei de ser boazinha. Cansei de ser a menininha queridinha conselheira que é super controlada e ajuda todo mundo. Cansei de ter que me manter firme para que os outros não desabem ou reprimir meus sentimentos apenas porque os outros são muito frágeis ou traumatizados. Traumatizou, baby? Supera. Psicólogos e terapeutas estão aí pra isso. Toma um Rivotril que passa.

Sim, eu sou uma bonequinha. Não sou uma mulher de verdade. Não se para ser classificada como uma mulher de verdade eu precise ser dessas que colocam todos os acessórios de uma vez no corpo e saem parecendo um bolo de confeitaria. Não se eu tiver de ser dotada daquela sensualidade vulgar cujo atributo principal é ter cara de quem consegue chupar bem. Porque, para mim, chupar é um ato de amor. Eu amo pirulitos, por isso os chupo. Não vou chupar um de morango apenas por ser pirulito, já que eu não amo morango. E assim é com outras coisas também.

Se ser uma pessoa que sabe controlar seus impulsos e emoções é ser de gelo, é ser irreal, é ser uma princesinha intocável, então eu o sou e com muito orgulho. Porque ao passo que a ralé prefere uma dessa vadias com seus decotes até o umbigo e suas caras de má eu prefiro muito mais sensualizar com um livro enfiado na cara. Sorry.
Sou uma bonequinha frágil que usa cor-de-rosa, sim. Mas não se esqueça: o Chuck também é um boneco e nem por isso deixa de ser quem é.


0 comentários:

Postar um comentário

 
Wink .187 tons de frio.