Complexo de Helen


Se há algo do qual eu tenho certeza na vida é isso: se minha sorte para os estudos, pesquisas e tudo o mais na vida é enorme, o inverso acontece em relacionamentos. Isso é bem certo: eu posso estar na rua, no centro de Porto Alegre, com o local lotado, eu sempre vou ficar atraída pelo cara mais problemático que houver no recinto, mesmo que eu não saiba. Parece um radar que funciona para captar o que há de "estranho" na sociedade. Verdade.

Se eu gostar do cara, pode saber: algo de errado ele tem. Ou uma rara condição genética, ou sérios problemas psicológicos, ou é masoquista (se corresponder, com certeza é masoquista), ou apenas algum cara de alguma seita sinistra que acha que se corresponde com Bela Lugosi durante algum ritual. É.

Mas meu gosto às avessas não é apenas para a personalidade, não. Também funciona para a aparência. Sabe aquele cara bonitinho, arrumadinho, todo social, cabelo com gel, naquele topete bonito (nada de cabelo colorido, pelamordedeus, muito menos nada imitando Neymar), ou qualquer carinha que pareça, digamos, o Drake Bell (ele existe?)? Então, desses eu fujo. Literalmente. Se eu for contar das vezes que já saí correndo rua afora ao levar uma cantada de um cara desses, o texto vai ficar longuíssimo.

Agora, se aparecer um cara com o estilo dos personagens dos filmes do Tim Burton ou algo parecido, pode saber: estarei gamada. Se ele tiver nariz comprido e fino, cabelo preto e uma expressão cabisbaixa (além de ser magrelo, por favor), já era: encantei.
E isso tudo para desgosto da minha mãe, que só falta excomungar meus pretendentes.

Mais uma vez a Helen, do livro Melancia (cuja resenha irá sair logo), mostra que se assemelha muito comigo até nisso. Esse é um trecho do livro onde está descrito um dos pretendentes dela:
"Ele era desengonçado e magricela, e circulava em toda parte vestindo preto o tempo inteiro e o ano todo. Mesmo no auge do verão, usava um sobretudo preto, quilômetros maior do que ele, e grandes botas negras. Seu cabelo cheio era pintado de preto e ele jamais me olhava nos olhos. Não falava muito e, quando o fazia, era geralmente para discutir métodos de suicídio. Ou para falar de cantores de bandas obscuras que haviam se matado.
Em ocasiões como o Dia dos Namorados ou o aniversário de Helen, pelo menos um buquê de rosas negras seria entregue, da parte dele. Cartões feitos à mão chegavam pelo correio, com desenhos muito vívidos de corações partidos e sangue, ou então uma única lágrima vermelha. Terrivelmente simbólico."
pág.: 131 e 132 
Não há um cara por quem eu tenha me interessado que não siga essa linha. Sempre, sempre os problemáticos! Meu problema? Provavelmente o fato de eu ser sádica faça com que eu me interesse pelos masoquistas.
Porém ainda tenho esperanças, senhores.  Mesmo que sejam fajutas. 

18 comentários:

  1. Mia, você é maluca! Mas uma maluca engraçada. hahahah
    Acho que todo mundo tem seu charme, sabe? E gosto é pessoal, então não dá pra discutir.
    Eu gosto daqueles que não chamam muito atenção, que escondem sua alma no olhar, sabe? Que são eternamente melancólicos e discretos, praticamente um gentleman hahhahah.
    Ah, Mia, a esperança é a última que morre. Mas se por acaso você se interessar por alguém bem diferente do seu perfil e não der certo, não force sua natureza. Seja feliz acima de tudo.
    Beijos, Cat.
    http://doceilusao.com/

    ResponderExcluir
  2. Mia, somos duas.
    Já me "encantei" por um cara desse tipo, só não era magro, mas o resto...
    E foi a pior coisa da minha vida, o infeliz ainda me mete medo.
    É claro que há esperanças, sempre haverá. Resta saber se as esperanças se convertem em realidade, haha.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  3. Eu faço essa linha "garoto estranho". Até a forma como caminho chama a atenção, dizem que pareço um robô. Já até me perguntaram o motivo de eu andar meio pulando. Gosto de coisas bizarras (assim como você, Mia), e adoro assustar as pessoas com papos sobre morte e suicídio. Por incrível que pareça, estou apaixonado por um cara certinho, animado, amigão. Em meu caso, os opostos se atraíram.

    ResponderExcluir
  4. A real é que toda mulher se sente atraída pelos problemáticos, pelos cafajestes, pelos homens maus. Mas no fim se casam com os que UM DIA FORAM toda essa coisa ruim aí, mas que amadureceram.
    Ainda lembro de quando eu gostei do guri mais maconheiro do colégio, ou do mais galinha, só porque sentia tesão por esse tipo.
    Agora, com a idade que eu tenho, posso até me dar ao luxo de ter casinho com esse tipinho, mas pra ter um relacionamento sério, primeiro tem que ter carro, independência financeira, espontaneidade e me levar pra beber Hoegaarden ouvindo rock.

    ResponderExcluir
  5. Eu tenho um sério problema em deixar os caras se aproximar porque eu sempre penso que não vai dar certo então não adianta eu me iludir, e dai eu acabo ficando sozinha. Eu curto caras que tenham um bom papo, que saibam opinar sobre diversos assuntos e não que só vivem em favor de futebol e mulher. Não ligo pra aparência se a personalidade dele tiver atitude.
    http://nerdicesdeumagarota.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Ah, entendo. Eu também me dou bem nos estudos (e em coisas relacionadas) e mal nos relacionamentos, eu sei que sou muito nova para relacionamentos, mas hoje em dia quase todas as garotas da minha sala de aula da minha idade têm um namorado (ou ficam com vários). Não sou dessas, e quando eu gamo em algum menino, ele tem que ser bonito. Sério, todos os garotos de que já gostei são brancos com o cabelo preto (pretíssimo) e liso.

    ResponderExcluir
  7. Também tenho uma certa preferência por garotos problemáticos. E se não olharem pra mim, então, aí eu gamo. É ´serio. E são geralmente os magrelos. Caras fortes não me agradam. É... O último de que gostei era - totalmente - pervertido, lindo e nunca olhou na minha cara. Ok.

    ResponderExcluir
  8. Oi, Mia! Há algum tempo leio o que você posta e gosto muito do que você escreve. A sua escrita é refinada, marcada por traços de hilaridade e ironia. E isso me agrada muito; em textos, em tudo. O mais engraçado, no entanto, é que, na maioria das vezes, discordo de quase tudo, hahahaha! Estranho, não? Discordo, mas gosto de ler tudo, e acho super bacana o que você escreve. Talvez não pudesse ser diferente no caso desse texto. Meu namorado se encaixa perfeitamente à descrição do "arrumadinho, social, etc, etc, etc"! Devo dizer, contudo, que já percebi que temos algumas semelhanças também. Paradoxal? Talvez.
    Parabéns pelo blog, é primoroso. Vou voltar sempre!

    ResponderExcluir
  9. Mas alguém tem que se apaixonar por eles. Pensa que pelo menos você faz alguém feliz... Não sei se tenho esse problema porque, uma: na minha escola não tem meninos problemáticos - eu acho, e duas: eu sou muito fria - eu acho, porque não me apaixono fácil - e ou rápido.
    (my-history-restarted-again.blogspot.com.br)

    ResponderExcluir
  10. Nossa Mia, quanto mais leio-te, mais gosto de ti. Como que pode alguém parecer assim como à mim. Eu sou fofa por fora, e estranha por dentro >.<'
    Amei, amei e amei *----------------------*

    ResponderExcluir
  11. KKKKKKKKKKKKKK Vou te levar no centro de SP, tem um lugarzinho que vc vai gostar cheio de masoquistas. hauhsuahsuhas, Mas, eu acho que somos parecidos em alguns aspectos, eu sempre me interesso nas garotas que tenham algo de diferente no ambiente sabe? Me apaixonar, eu não apaixono, logo assim é raro, só se for falar com ela e tal.. É mais por interesse, pra conhecer mesmo. Acho que o diferente gera boas histórias. rs Enfim, bjs. http://aprendizadoblue.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  12. ahahuahua, adorei a forma coom você escreveu :D
    infelizmente não mandamos no nosso coração para isso, é complicado, dizer quando você sente algo, você sente e pronto, não importa se ele tem cabelo azul ou preto. adorei a sua escrita :D

    e não se importa, um dia irá encontrar alguém, não importa como esse alguém seja, se esse alguém lhe fizer feliz, ele será o escolhido ;)

    boa semana, beijos :*

    ResponderExcluir
  13. Eu sou uma negação em relacionamentos. Mesmo. Muito mesmo. Amo/adoro/sou gente estranha, gente com problemas estranhos, com gostos estranhos (quando eu li Melancia em fiquei toda lastimosa me perguntando por que a Helen tava renegando o menino, ele era tão legal com ela ç.ç). Mas sei lá, tanta estranheza as vezes me cansa - como a maioria das coisas - que prefiro de vez em quando coisas normais.

    Mas né, sou uma negação em relacionamentos. Acho que, não importa o quão estranha seja a pessoa do meu lado, eu serei mais.

    ResponderExcluir
  14. Olá, parabéns pelo blog!
    Se você puder visite este blog:
    http://morgannascimento.blogspot.com.br/
    Obrigado pela atenção

    ResponderExcluir
  15. Ai Mia, HAHAHAHAHA
    Eu ri, mas eu também sou mais inclinada pra esse tipo de cara. NÃO TÃO ASSIM, mas ainda sim seguindo essa linha de garoto rock'n'roll.... Antes assim do que um V1D4 LOK4, né fia?
    hahaha


    E esse livro é legalzinho, eu dei risada com ele :D
    Obrigada por votar em mim.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  16. Oi adorei o blog.
    Já estou seguindo,se puder retribuir vou adorar.
    Muito legal o post adorei.
    Convido vc a participar do sorteio de um biquíni super fofo lá no blog.
    Vou adorar receber sua visita no meu cantinho.

    http://www.alinefashionmoda.com/

    Bjs

    ResponderExcluir
  17. Eu ri com esse trecho, hahá. Cada vez mais quero ler Melancia, mas to com tantos livros pra ler...
    Pelo menos você não é como todas essas outras garotas por aí. Um cara problemático nem sempre é tão ruim assim-ou não. Mas se você gostou dele, pode apostar, alguma coisa de especial ele deve ter. Qualquer um deles. Sejam problemáticos ou não. Adorei.
    Beijos,
    http://menina-do-sol.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. kkkk, Mas esse ai foi o único estranho... vale lembrar que a Helen Walsh tinha qualquer um que quisesse... já que era descrita como uma DEUSA por muitos deles...

    ResponderExcluir

 
Wink .187 tons de frio.