Como me conhecer em 9 comunidades

Quando eu não tenho nada, mas nada, mas NADA pra fazer mesmo - leia-se: "quando estou no curso e o professor começa a falar em latim ou naquela linguagem PHP que ele tanto ama, e eu simplesmente tenho vontade de afundar a mão na lata de feijão e fazer um mantra pra não sair correndo dali" - vou lá no falecido orkut da vida e fico stalkeando perfis desativados alheios.
Coisa mais linda que havia lá eram as comunidades e a facilidade com a qual uma pessoa poderia ser definida por suas adições. Né, não?

Então, fiquei pensando aqui com meus botões sobre a vontade que eu tenho de mandar a pessoa olhar minhas comunidades do saudoso orkut quando ela me pergunta: "o que você gosta mesmo?" ou aquele fatídico e irritante: "quem você é em seu interior?". Really.

Mas então, pensando nisso, decidi colocar aqui uma síntese das comunidades que me definiriam. Afinal, eu escrevo isso aqui e, quando algum **cerumano** desavisado me fizer uma pergunta meio que sem noção, apenas mandarei o link e ficarei esperando o moço ficar offline. Autossabotagem mode on. ;)

O importante é causar polêmica: Comunidade pra todos que adoram uma confusão, tumulto ou bagunça, adotam a filosofia do tô nem aí, dominam a arte de abafar casos, mas sabem que o importante é causar polêmica.
Pessoas estranhas me atraem: Autoexplicativa, né gente? Quer dizer, basta dar uma olhada rápida no meu roll de amigos para que se perceba a verdade por trás dessa simples sentença. Porque, olha, são seres que parecem ter saído de um filme do titio Burton, sabe?
Pânico de perguntas pessoais: Pois este é o motivo deste post, pessoas! Eu tenho verdadeiro **horror** a perguntas pessoais. Não é que eu não saiba respondê-las, mas é que eu simplesmente travo e começo a falar do pontinho roxo na parede que está a 5 metros do meu corpo. OU SEJA. Não rola.
Não sei parabenizar pessoas: Gente, isso define minha vida. Detesto aniversários. Todos numa vibe de "parabéns por você não ter sido morto numa esquina da vida e por estar aqui nos proporcionando motivo para comemorar algo que ainda não ocorreu, mas que, a qualquer dia, irá ocorrer, inevitavelmente, mais cedo ou mais tarde; ebaaaaaaaa, bolo." Ou seja.
I'm a little bit Becky Bloom: "Não vou me rebaixar perguntando o que achou do artigo. Se ele quiser elogiar o que escrevi, vai fazê-lo. Se não, então realmente não importa. O que importa é que eu estou orgulhosa do que escrevi."
Relacionamentos bizarros: Eu sou a queen dos relacionamentos estranhos. Sério, gente, vocês que leem o blog sabem de metade disso, mas quem convive comigo sabe bem do que ocorre. É muita doideira pra uma pessoa só. "Seja um rolo que nunca vira namoro, ódio mortal por alguém da família, amigos coloridos que quando não se beijam se detestam, ciúme de alguém que nem te conhece, namoro por carta/internet entre outras coisas que não parecem fazer muito sentido." Tudo vingança de Murphy por estar o traindo. Verdade.
Preguiça de mostrar interesse: Posso amar a pessoa de todo coração, mas a mosquinha parada ali num canto randômico da janela vai me chamar mais atenção. Verdade. Não tenho o mínimo saco pra dar atento aos mimimis dos outros. Não tenho paciência nem pra mim, que o fará pra retardado com emocional mais ferrado que o meu. Ou eu demonstro demais e alopro tudo ou eu demonstro de menos e a pessoa acha que não estou nem aí quando estou mais do que aqui. Toma Atroveran que passa, meu filho.
Minha vida: filme do Almodóvar: "Se em sua vida acontecem coisas surreais, engraçadas e até mesmo inacreditáveis... Se você acredita que Almodóvar lhe pagaria uma fortuna para fazer sua biografia, então aqui é sua comunidade!" Preciso falar algo além disso? Minha vida é um filme de Almodóvar, gente.

E a master, a que define completamente quase duas décadas da minha existência, senhores:

Só pra constar: já passei por TODAS as situações acima e uma bônus - que não será revelada tão cedo. OU SEJA: Murphy, por que tão sádico?  

14 comentários

  1. Que vida e que história Mía! Sem sombra de dúvidas, daria uma ótima biografia. Gostei de você, relembrar o Orkut e utilizá-lo como tema do post, muito interessante.

    ResponderExcluir
  2. Dá mesmo pra conhecer alguém pelas comunidades. Uma vez vi as comus de um cara, ele parecia ser psicopata kk

    ResponderExcluir
  3. Baaaaaaaaaah, Orkut!!!! Quanto tempo!!
    Eu também era daquelas "Comunidade = personalidade", então eu tinha coisas do tipo "amo olhos puxados", "A arte de perder o ônibus" e "eu odeio quem morre sem avisar".

    TÊ-nebroso.

    ResponderExcluir
  4. Hey!
    Em primeiro lugar, VOCÊ ESCREVEU UM FUCKING POST MUITO BEM ESCRITO E APAGOU DDD: Na verdade, eu fiquei fascinada e bastante preocupada também porque desconfio que tinha um caráter pessoal. Mas você apagou o post então né, rs. Melhor eu comentar apenas sobre a sua fascinante capacidade de escrita.

    Sobre o orkut, stalkear nas horas vagas, sério? XD Eu faço isso, mas só quando eu lembro da existência, ashduiasdhiua. Enfim, eu gostei do post, bem criativo a idéia e engraçada as comunidades XD De fato, o que eu mais sinto falta é dos depoimentos e das comunidades. Eu tinha umas 1000, ahsudiahda. Todas desse estilo ou quotes de Harry Potter XD

    Ah, ultima coisa (ufa): Te indiquei para um meme XD Não sei se tu já fez, mas enfim, tá indicada =*

    Beijos, Vickawaii
    http://finding-neverland.zip.net

    ResponderExcluir
  5. Murphy tem muito ciúme de ti, só pode! haha Eu acompanho o blog há um tempo, então... Se o que tu conta aqui é só metade da encrenca, só posso te desejar força e paciência!

    Xoxo,
    santaironia

    ResponderExcluir
  6. Eu fazia parte da "Pessoas estranhas me atraem". Fazem falta mesmo as comunidades do Orkut. Era como colecionar selinhos. E às vezes as usávamos para mandar indiretas. Briguei com alguém e entro na comunidade Tenho um amigo falso. Ou para anunciar coisas, como entrar na comunidade Só para solteiros. Mia, fui expulso da comunidade "Os Excluídos".

    ResponderExcluir
  7. Em primeiro lugar concordo com o que a pessoa 'Vic' aí disse! \o
    Em segundo ... comunidades do orkut ... agora que tu tocou no assunto ... tenho até medo de voltar lá e ver o que eu encontro!

    ;*

    ResponderExcluir
  8. Miiia, amei.
    Essas comunidades eram uma definição básica, do tipo vejam elas e me conheçam e não me perguntem mais nada, elas bastam. Se eu entrar hoje no meu falecido orkut, muitas delas ainda me servem de definição. Me identifiquei com algumas ai.

    http://iasmincruz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Tenho vontade de mexer no orkut só de zoa mesmo, mas nem lembro a senha/o e-mail SAIDAUSIHDSAIUH
    'O IMPORTANTE É CAUSAR POLÊMICA' ME DEFINE DE CABO A RABO. FIM.
    Eu sou você, não é possível. Me encontrei em TODAS as definições. Acrescentanto o consumismo da Becky Bloom. Mas vou jogar esse Almodóvar no google mesmo KKKKKKKKKKK
    Beijos ♥

    Conspirantes

    ResponderExcluir
  10. Nossa, faz séculos que não entro no orkut. Nem sei mais o que tem lá, mesmo. Mas ri demais com o teu post. Se quem acompanha o Wink conhece só a metade dos relacionamentos e situações estranhas, imagina como deve ser hsua Adorei.
    Beijos,
    http://menina-do-sol.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. As comunidades do Orkut, mesmo que fossem escrachadas, no fundo faziam sentido.
    Me identifiquei com duas das que você citou:

    * Pessoas estranhas me atraem
    * Pânico de perguntas pessoais.

    ResponderExcluir
  12. As comunidades do Orkut dizem muito de uma pessoa mesmo. Pra que fazer perguntas né? rsrs

    Não suporto perguntas pessoais também.


    Você é uma moça peculiar.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  13. Poxa amiga é incrível como o orkut tem muito mais a dizer do que o Facebook. Saudades de fazer amigos on line de verdade, dos barracos de lá e das comunidades. No Facebook é tudo tão frio, e rola uma disputa pra ver quem tem o feed mais feliz da vez. Só pra constar a comunidade que era a minha cara era: FAÇO PROVA ESTILO CHICO XAVIER Hahahahaha

    ResponderExcluir