vermelho-castanho-floresta

Cortei as unhas. Nada muito, nada cheio de significado externo, nada que seja excepcionalmente perceptível. Mas está lá: eu tirei uma parte de mim que cultivei por um tempo. Porque não importa mais. Não importa o quanto eu tente e quanto vermelho eu incorpore nelas, eu sempre serei aquela menina castanha dos olhos grandes e tristes que se esconde atrás de um cachecol marrom-árvore. Tudo o que faço é mera encenação.

Eu estou lá, eu sou uma droga de uma árvore que descasca no inverno, que deixa cair suas folhas a qualquer vento, que derruba galhos em cima de lenhadores que querem decepá-la, que expulsou suas flores e deixou por terra seus frutos. Eu sou uma árvore, mas a vegetação e a cachoeira e o canto dos pássaros são muito mais divertidos, e eu fico lá, all by myself, até que o sol do meio dia aparece fazendo com que as pessoas queiram estar sob a proteção de minhas folhas. Ouço suas histórias, refresco-as do calor que faz sob o sol e quando finalmente chega o orvalho para me refrescar, quando finalmente chega minha vez de ser ouvida... vão-se embora. Um a um.

E lá estou eu de novo e outra vez: uma árvore em meio a tantas vegetações e águas e pássaros e animais selvagens. Apenas uma árvore castanha que usa do verde para se nutrir e de suas rachaduras para se proteger. Apenas mais uma.

16 comentários:

  1. "Porque não importa mais." Frase que anda definindo os meus dias.

    Ah, e que lay mais lindo! Vi hoje, e apaixonei. Sério. Tá lindão. *-*

    Beeeijos.

    ResponderExcluir
  2. Incrível! Me identifiquei muito com essa parte: Ouço suas histórias, refresco-as do calor que faz sob o sol e quando finalmente chega o orvalho para me refrescar, quando finalmente chega minha vez de ser ouvida... vão-se embora. Um a um.

    Árvore solitária, que produz o próprio alimento para sobreviver, não pode depender de mais ninguém.
    Seguindo ;)
    http://youexhale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Ando precisando cortar tanta coisa que nem tem mais graça. Tio, cansei, posso ir pra casa?

    ResponderExcluir
  4. Ain, adorei esse texto, você sabe escrever tão bem.
    Amei todas as frases do seu texto, uma por uma ♥

    ResponderExcluir
  5. Linda metáfora, Mia! Impressionante, contagiante!

    ResponderExcluir
  6. ando precisando arrancar uma folhas, quebrar uns galhos e desenraizar outras coisinhas ..
    amei o texto, linda metáfora..
    o blog tá com layout novinho em comemoração aos 2 anos, vem deixar tua opinião ?
    http://leideanediniz.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. E essa vida de árvore soa triste para uns, mas ultimamente eu preferiria mesmo ser uma árvore, sem gente dá muito trabalho.

    Belo texto, gostei muito da analogia. Você escreve muito bem. Parabéns, Mia,

    www.eraoutravezamor.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. E que combinação de metáforas e imagens mais bonitos, em menina? O mais contraditório e comicamente revoltante, é o fato dessas árvores velhas, rachadas e sangrando, serem as responsáveis por manter o ar desses indiferentes puro, por sustentar sua existência, enquanto estes se comportam como simples sugadores.

    Beijos =*

    ResponderExcluir
  9. Por que o primeiro estrofe ficou tão marcado em minha mente? Por quê? Você sabe o quanto me identifiquei com esse texto. ❤

    ResponderExcluir
  10. "Tudo o que faço é mera encenação."
    EXATAMENTE... MEU DEUS, VOCÊ TRADUZIU 80% DA MINHA MENTE. JÁ ANOTEI NO MEU CADERNO ESSA FRASE.

    ResponderExcluir
  11. Ah, adorei tuas palavras quando li(lá no teu Facebook), e mais ainda quando reli agora. Acho que também sou um pouco árvore. Vai entender.
    Beijos Mia!
    http://menina-do-sol.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. O texto é muito bom. É a personagem se comparando com a solidão que a árvore vive e com essa ideia de que as pessoas a usam quando necessário, e logo depois vão embora, a deixando sozinha novamente. Gostei muito das metáforas.

    ResponderExcluir
  13. "Tudo o que faço é mera encenação." História da minha vida.
    Arrasou no texto Mia, adorei.

    http://nerdicesdeumagarota.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Não posso chamar seu post de triste ou derrotista.

    ResponderExcluir
  15. Pfvr, esse é daqueles textos que a gente começa a ler e cada palavras vão entrando pelo peito, sem pedir licença, sem dizer olá. Essa sensação machuca, mas no fundo é boa, pois reflete a intensidade que o texto tão bem representa.

    PS: essa imagem me lembrou uma vibe Wink 2010/2011.

    Beijos, gatona! ;*

    ResponderExcluir

 
Wink .187 tons de frio.