encenação

Durante o episódio 20x4 de Glee (sim, eu assisto e gosto de Glee; get over it) Kitty (a vilã da série) disse para Ryder que havia sido estuprada quando era menor e que demorou muito tempo para contar a seus pais porque... não havia bem um porquê, mas a pessoa que é molestada se sente oprimida, envergonhada, confusa.
É fato que o tema não foi bem explorado na série, mas me fez (re)avaliar muitas coisas.

a personagem com a qual eu tenho a identificação mais nervosa da vida

Vocês, leitores do blog, sabem que fui estuprada quando mais nova, certo? Não vou recontar a história aqui - é completamente desnecessário - mas o fato é que isso me mudou. Quando Kitty falou sobre a vergonha e as acusações que recebeu quando revelou o estupro ocorrido (dizendo que ela era uma mentirosa, que fazia isso para passar por vítima) eu consegui visualizar claramente muito do que eu passei e do que eu passo até hoje. As pessoas que acompanham o meu Ask devem ter lido algo vindo de alguns anônimos que fazem "bullying" (odeio essa palavra, mas enfim) comigo a respeito disso, gente que conviveu comigo na época da igreja e que me acusa de ser uma vadia mentirosa que usa a internet e alguma história sobre trauma pessoal para se autopromover. Mas não.

É terrivelmente difícil admitir que você foi vítima de um estupro. Seja por A ou por B, a muitos olhos parece que você está se vitimizando e as pessoas passam a lhe olhar de forma diferente. Por anos eu não contei nada a ninguém e apenas me escondi. Me escondi em roupas enormes e um cabelo que tapava meu rosto - e ganhei o apelido de Samara Morgan por isso. Me escondi sob uma atitude sarcástica e agressiva, que não tinha nada a ver com a menina que eu era originalmente. Me escondi sob um rosto sem maquiagem alguma, sem depilação de sobrancelhas ou buço e sem usar saltos, decotes ou pernas de fora. Me escondi debaixo de quilos de insegurança - e gordura também - e apenas procurava por um lugar onde me sentisse aceita e segura. Mas eu nunca me senti assim, nem com um namorado (que por um tempo achei que resolveria meu problema de falta de autoestima), nem com amigos. Só fui achar esse "aceitamento" na blogosfera. E hoje há toda uma mudança em mim, percebida por todos.

Sim, eu ainda carrego muito daquela insegurança, daquele vazio que sei que nada nunca preencherá, daquela inquietação, daquela necessidade de estar sempre um passo a frente do outro para não ser pega desprevenida. Ainda me encontro muitas vezes autossabotando relações que poderiam dar certo, desencorajando rapazes que se aproximam de mim - ora por autossabotagem pura e simples, ora por achar que só se aproximam por minha aparência, que seria um simples e puro desejo de atração, coisa que, de certa forma, me repugna. E então eu tento compensar toda essa falta de traquejo emocional com histórias e escritos e poemas e versos e palavras e músicas e delineador. Mas isso faz diferença?

Hoje eu consigo aceitar que sou uma moça bonita e que alguns rapazes se interessam por mim pela minha aparência. Mas ainda assim não é isso o que quero - não por não querer, de fato, isso mas por achar que esse interesse é algo puramente instintivo, e sabemos muito bem de onde vem essa minha aversão a instintos desse tipo. Vezenquando as pessoas escondem uma parte de si mesmas para que os outros vejam algo a mais. Eu fiz isso por muito tempo e continuo fazendo. Eu não quero estar com um cara que se atrai por mim por causa dos meus belos olhos verdes ou das minhas madeixas vermelhas. Eu não quero um cara que elogie minha beleza como se eu tivesse contribuído pra que ela existisse. Eu quero ser notada por outras razões - ou não ser notada de forma alguma. Não quero cara algum - e isso não é tão difícil de entender. Mas creio que apenas quem passou por algo do tipo verdadeiramente entenderá.

Se virei uma velha amargurada e descrente do amor aos 19 anos? De forma alguma. Eu acredito e muito no amor e amo profundamente muitas pessoas. As amo tanto que sempre arranjo uma forma de afastá-las do meu emocional. Não é nada pessoal, é comigo mesmo. Eu sou quebrada. As quero afastadas de mim porque meu emocional não lida bem com isso. Não lida bem com nada. Há algo aqui dentro que não funciona e nunca funcionará direito. Já passei da fase de estar com alguém para me sentir amada ou querer desesperadamente sentir que alguém me precisa. Eu não quero que me sintam quando eu própria não sinto o mesmo pela pessoa. É uma questão de respeito próprio e pelo outro. Até porque eu sou basicamente assexual, então...
Sim, eu sou danificada de maneiras que a maioria não pode imaginar. Sim, minha vida é um grande musical onde eu canto e danço e rio, mas ao final do dia sou em quem está sozinha no camarim com um desmaquilante já pela metade, procurando retirar logo a maquiagem para que essa não se dissolva e se transforme em um pequeno rio colorido sobre minha face.

Eu sou sozinha. Mas ninguém pode curar essa solidão a não ser eu mesma. Porque há feridas que só curam com amor - amor próprio. 

10 comentários:

  1. Ah, Mia... Apenas suspirei aqui e tive uma vontade enorme de te abraçar. Que texto mais... Mais... UAU! Sou péssima em comentar em textos, mas você entendeu. >.<

    :')

    ResponderExcluir
  2. Olha Mia,é uma situ delicada não é?
    Quero lhe dizer que a vida continua e tenha forças para superar isso,vai conseguir . Voce é bonita sim, normal os garotos quererem lhe beijar, e um dia vai encontrar algém para ser seu amor :)

    ResponderExcluir
  3. Antes de mais nada, tu já cortou fora as bolas do filho da puta que fez essa barbaridade? Espero que sim. E espero que o tenha feito engolir as bolas com vinagre.

    Eu não fazia ideia de que isso tinha acontecido contigo. Acho que a parte psicológica tu tá dominando, mas eu realmente sinto muita raiva e muito ódio desse tipo de gente que faz essas coisas. É a pior forma de agressão contra a mulher, a pior forma de desrespeito, a pior forma de humilhação. E é por isso que o cara precisa pagar, precisa [no mínimo] morrer, sabe, ou ser currado no cantinho escuro de uma obra abandonada. O que ele vai fazer depois, te processar? Como ele ousa macular um ser tão majestoso como uma mulher, ainda que nem mulher fosse?

    e outra coisa, Mia. Uma amiga minha me disse uma vez que era sozinha também. Ela não tinha mais os pais, um dos irmãos é um babaca e o outro sonha em fazer medicina. Então ela, sim, era muito sozinha, a não ser que eu a arrastasse para a vida lá fora, isso se ela conseguia carro, porque morava no Sarandi.

    Hoje ela está casada. Mora no Japão. E está feliz, e bem longe de estar sozinha.

    O mundo dá muitas voltas e todo mundo se sente sozinho, mas ninguém está realmente sozinho a não ser que nós mesmos façamos tal escolha. E isso implicaria não ter blog, não ter facebook, não ter parentes, não ter amigos, não ter emprego, não ter dinheiro, não ter nem bicho de estimação: ISTO é ser sozinha.

    ResponderExcluir
  4. Mia, eu nem sei dizer depois de ler o seu texto. Sinceramente, você com todo esse tempo, foi mais forte do que qualquer pessoa que passa por isso. Eu, ainda bem, não passo por isso e nunca passei, mas posso ter uma ideia de como você está se sentindo e pelas suas palavras tocantes, deu pra ter ideia também de como tu se sentias.

    Hoje você deu muito bem a volta por cima, mostra na ask que tem uma auto-estima lá em cima, e eu concordo. Você é uma mulher de 19 anos LINDA, com olhares incrivelmente lindos - mesmo eu também concordando que sejam parecido de uma pscicopata UHAUHA mas brincadeiras à parte, é isso aí Mia! Siga em frente, sendo forte e autêntica como passou a ser.

    Winkers ♥

    ResponderExcluir
  5. PERAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAÊEEEEEEEEEEEEE!!!!!!!
    eu não sabia disso, Mia. e nunca, em hipótese alguma, imaginaria algo assim. te conheci tão independente e sarcástica, com humor meio negro e eu acho isso fabuloso. às vezes vejo pelo facebook algumas coisas que perguntam/falam no teu ask que.. pff, discordo completamente.
    eu espero que esse fato não seja mais tão decisivo na maneira como vc vive a sua vida. não sei se algo assim pode ser completamente superado e/ou esquecido.

    honestamente, eu acho que você está muito bem agora, obrigada.
    hahahahaha ;**

    ResponderExcluir
  6. Poxa Mia, que situação complicada. Ainda bem que conseguira dar a volta por cima (deve ter sido difícil).
    Anyway, hoje você já é consciente, escreve um bocado, tem belos cabelos ruivos, seus olhos verdes e mais um monte de gente pra motivar. HAHA Pra-quê-mais?

    Vi no texto você falar desse ambiente dos blogs. Encontrei muito do que me "montou" na blogosfera também. Que lugar "amor" esse, não!? (risos)

    Um grande abraço. <3
    {acompanhando a pouco tempo}

    ResponderExcluir
  7. Cara, eu não tinha ideia que isso tinha acontecido contigo... Ainda bem que você encontrou um jeito de superar e vir a ser essa guria linda que escreve pra nós.
    E percebi, tanto aqui quanto no Facebook, que você se identificou com a Tiffany, haha. Aquele filme é amor, certo?
    Beijos Mia!
    P.S. Tuas palavras poetizadas (Amor (Im)Perfeito) ficaram lindas.

    ResponderExcluir
  8. NOSSA, EU NÃO ACREDITO ! QUER DIZER, EU FIQUEI SABENDO AGORA E ESTOU SURPRESA ! FORTE E CORAJOSA VOCÊ, POR QUE SÃO POUCOS QUE CONSEGUEM REVELAR O QUE REALMENTE ACONTECEU PARA SI MESMO. HOJE VOCÊ É UM EXEMPLO PARA MENINAS QUE ESTÃO PASSANDO OU PASSARAM PELAS MESMAS COISA QUE VOCÊ E HOJE SE IDENTIFICAM E SABEM QUE TEM COMO DAR A VOLTA POR CIMA, SEJA COMO FOR. SÉRIO, ESTOU EMOCIONADA !

    parabéns pelo seu blog, eu amei aqui, amei sua criatividade, seu modo de falar com os leitores, a forma que você usa nas postagens, o design e etc, eu realmente curti e vou voltar aqui sempre ! Obrigada por ter criado . Parabéns novamente e já estou seguindo ((: Parabéns !!
    http://dezesseteetantos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Simplesmente essas foram as palavras que estavam engasgadas em mim ...........

    ResponderExcluir
  10. Digna de ser admirada, reconhecida, guerreira, corajosa! Entendo sua personalidade, suas máscaras. Você já superou bastante, já se transformou, e talvez, você encontre uma forma de se preencher, de fechar esta ferida. Talvez só não seja a hora certa. Não desista! Persista, lute, você é capaz. Torço por ti.

    Obs: Tinha escrito um comentário maior, só que não deu pra enviar. Daí tive que escrever de novo e só saiu isso, rs.

    ResponderExcluir

 
Wink .187 tons de frio.