Memórias de um sargento de milícias

Eu lutei, senhores, lutei contra a falta de vontade de ler esse livro, contra minha preguiça infindável ao folhear as páginas da obra-prima (e única, por sinal) de Manuel Antônio de Almeida. Sim, senhores, eu lutei e venci; posso dizer que não me arrependo: apesar do que parece, Memórias de um sargento de milícias é um livro leve, cômico e de uma ironia tamanha que conseguiu a façanha - não lá muito rara - de me arrancar risadas através de suas páginas.
O livro conta a história de Leonardo, filho de Leonardo-Pataca e Maria da Hortaliça, casal português que se conheceu em um navio quando vinham ao Rio de Janeiro juntamente com a côrte e toda aquela baboseira que todos sabem que houve quando o Brasil foi colonizado.
Leonardo, um malandro de primeira desde pequeno (o verdadeiro malandro carioca) passa a morar com seu padrinho, o barbeiro, após sua mãe fugir com o capitão do navio e seu pai abandoná-lo. Se mete em várias encrencas, uma pior e mais cômica que a outra e acaba sendo um romântico incorrigível, coração mole, vadio e - quem diria do menino com o demônio no corpo! - sargento de milícias.

Se vale a pena ler? Vale, e muito. Além de ser leitura obrigatória tanto para o vestibular quanto para o ENEM, o livro é cômico, irônico e que possui um anti-herói endiabrado, uma mocinha insossa e uma outra com sal e pimenta até demais.

Sim, o primeiro capítulo é enfadonho. Mas não se preocupem: há mais 47 deles para apreciar a leitura!

Em um quote (mais sério, os outros são todos espirituosos):

Em certos corações o amor é assim, tudo quanto tem de terno, de dedicado, de fiel, desaparece depois de certas provas e transforma-se num incurável ódio.

9 comentários

  1. Ahh deu vontade de ler! Adoro esses livros clássicos.
    A pequena resenha ficou ótimaaaa :)

    ResponderExcluir
  2. Mia, muito obrigada por esclarecer que esse livro não é maus pé no saco igual a tantos outros que é obrigatório. ;-)

    Vou procurar meu exemplar em casa e tratar de ler.
    Beijos
    Humble Opinion

    ResponderExcluir
  3. Oi Mia.
    eu luto pra ler esse livro tbm, mas porque simplesmente eu acho a linguagem meio difícil. O que você achou?
    eu tô lendo outros agora, mas vou dar a oportunidade, depois dessa lindíssima resenha.
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Fiz parte de um grupo que apresentou seminário sobre este romance quando estudávamos Romantismo. De todos os livros, o nosso era o mais interessante. Talvez por já apresentar algo que viria a ser chamado de Realismo. Memórias de Um Sargento de Milicias é uma romance de transição, como diz a professora. Realmente é muito cômico.

    ResponderExcluir
  5. Não sou muito chegada em clássicos, mas acho que era o Leonardo que foi o filho de "um beliscão e uma pisadela", algo assim.

    ResponderExcluir
  6. Ah, não é meu estilo de livro, mas deve ser muito bom.

    ResponderExcluir
  7. Depois de ler o seu texto, to até pensando em dar uma chance pra esse livro. Tenho essa obra aqui em casa, mas nunca tive vontade de ler. Logo mais quando acabar os que já comecei, vou ver o que acho.

    ResponderExcluir
  8. Depois de ler o seu texto, to até pensando em dar uma chance pra esse livro. Tenho essa obra aqui em casa, mas nunca tive vontade de ler. Logo mais quando acabar os que já comecei, vou ver o que acho.

    ResponderExcluir