Por que eu não me mato?

Não me mato porque penso nos meus pais.
Meus pais são a única coisa que me seguram neste momento e me seguraram a vida toda. Porque seria covardia e maldade fazer isso com eles. Porque eles não merecem. Porque eu não sou um ser humano egoísta a ponto de pensar apenas em mim e deixá-los sozinhos com uma dor que não teria fim.


Os outros?
Honestamente, QUEM FAZ algo por mim?
Meus irmãos? Meus queridos irmãos preferem qualquer um a mim. Preferem as pessoas que tentaram me matar. Preferem as pessoas que me difamaram. Preferem as pessoas que se pudessem me colocariam numa fogueira me chamando de bruxa. Meus amigos? Quem me procura? Tenho uma amiga que me procura e ela é tão ou mais reclusa que eu. E mesmo que não fosse, não é como se ela realmente se importasse também. Apenas é minha amiga porque é tão ferrada quanto eu. Meu noivo? O que acabou de dizer que seu coração esfriou? O rapaz me trata com mais frieza e indiferença do que os outros.


Por que permanecer viva? Pelos meus estudos?
São apenas um meio de vida, um meio de passar os dias sem pensar o tempo inteiro na morte. Não é um objetivo, não é um sonho, não é nada além de passatempo, literalmente.


Eu não tenho motivos para viver.
E, assim que meus pais morrerem, certamente morrerei junto. Não tenho por que viver. Nunca tive. Nunca terei. E estou cansada demais sequer para tentar novamente. 

0 comentários:

Postar um comentário

 
Wink .187 tons de frio.