Dois

Uma vez vi minha alma num espelho. 
Durante um sono ou devaneio. 
Era num dia 15 de novembro. 
O suor pingava de meu travesseiro.

O que vi, a ninguém desejo. 
Foi um assombro ou um simples lampejo? 
Só sei dizer que não era meu desejo 
conhecer as marcas de todos os meus erros.

Uma alma apareceu no desespero. 
Na tormenta, o reflexo de um milênio e meio. 
Era desbotada, mal cuidada, e havia medo 
de viver outra vez em vão, correndo.

1 comentários:

  1. Te vejo poetizar e o sentimento que sinto é de completo orgulho da amiga-irmã que tenho <3

    ''(...)Só sei dizer que não era meu desejo
    conhecer as marcas de todos os meus erros.''

    ResponderExcluir

 
Wink .187 tons de frio.