Das citações que moram no meu coração

E para esta semana o desafio das 52 semanas dita o tema: minhas citações preferidas.
Como sou apaixonada por literatura, isso não foi nada difícil. Difícil foi limitá-las a apenas 5.







1. O amor nos tempos do cólera, de Gabriel García Márquez.
"A sabedoria nos chega quando já não nos serve para nada."

2. Auto da Compadecida, de Ariano Suassuna.
"Cumpriu sua sentença e encontrou-se com o único mal irremediável, aquilo que é a marca de nosso estranho destino sobre a Terra, aquele fato sem explicação que iguala tudo o que vivo num só rebanho de condenados, porque tudo o que é vivo morre!"

3. Paula, da Isabel Allende.
"O meticuloso exercício da escrita pode ser nossa salvação."

4. A redoma de vidro, da Sylvia Plath.
"Sou apenas uma gota a mais no imenso mar de matéria, definida, com a capacidade de perceber minha existência. Entre os milhões, ao nascer eu também era tudo, potencialmente. Eu também fui cerceada, bloqueada, deformada por meu ambiente, pela manifestação da hereditariedade..."

5. A insustentável leveza do ser, de Milan Kundera.
"O amor não se manifesta pelo desejo de fazer amor (pois isso se aplica a todas as mulheres) e sim pelo desejo do sono compartilhado (isso se aplica a uma só mulher)."

E uma menção honrosa que não posso, de forma alguma, deixar de lado:

6. As cidades invisíveis, do Ítalo Calvino.
"O inferno dos vivos não é algo que será; se existe, é aquele que já está aqui, o inferno no qual vivemos todos os dias, que formamos estando juntos. Existem duas maneiras de não sofrer. A primeira é fácil para a maioria das pessoas: aceitar o inferno e tornar-se parte deste até o ponto de deixar de percebê-lo. A segunda é arriscada e exige atenção e aprendizagem contínuas: procurar e reconhecer quem e o que, no meio do inferno, não é inferno, e preservá-lo, e abrir espaço." 

4 comentários:

  1. O auto da compadecida <3 <3 <3
    Quero ler! Gostei muito das citações, apesar de meio tensas, são tão verídicas que dói né?
    Comprei A Insustentável Leveza do Ser faz um tempinho, tá na lista de próximas leituras!
    Beijo!

    ResponderExcluir
  2. Eu amo essa de a "A insustentável leveza do ser" e me identifiquei muito nessa parte, porque sempre tive vontade de dormir com os boys que gostei da vida e ninguém me entendia, embora não seja minha preferida do livro, ainda é maravilhosa, como tudo nele, na verdade. Essa de Ariano também ta maravilhosa!!!! (Corações) E af que vontade de ler Gabriel e Sylvia (já sou íntima), to ficando louca já.

    ResponderExcluir
  3. Sylvia Plath é cheia das frases lindas, sério! E, shame on me, ainda não li nada dela, haha. Pretendo resolver isso logo, sei que a mulher é ótima. (:

    ResponderExcluir
  4. Olá moça,

    Gostei desses recortes :o o Gabriel é um dos meus autores favoritos e essa frase em especial, afe, já refleti muito sobre ela huehuehuehuehue

    Não conheço todos os autores citados, mas o Ítalo Calvino realmente mereceu o destaque. Vou espiar o que encontro dele :D

    Isso aí, passe bem :**

    ResponderExcluir

 
Wink .187 tons de frio.