A insustentável leveza do meu livro preferido

Oi, eu sou a Mia e não faço ideia de como escrever resenhas.

Mentira, eu sei. Claro que sei. Mas é difícil escrever sobre o seu livro favorito. Colocar em palavras os sentimentos despertos através de uma leitura é algo terrivelmente difícil. São sentimentos, caramba! Ou, digo melhor, sensações. Coisas que sentimos ao ler determinados livros, coisas que nem sempre podem ser expressas pela junção das letras de um alfabeto. Até podem, porque há palavras suficientes para descrever a montanha-russa de emoções humanas. Mas o quê escrever sobre um livro que já possui todo o necessário para ser amado escrito em suas amareladas e gastas páginas?
É isso que chamo de impasse, senhores.

Li em algum lugar - não, eu não lembro onde, já que minha mente é como um grande livro com várias páginas faltando - a seguinte frase: ninguém escreveu sobre amor como Kundera. E devo dizer que eu não teria definido melhor a escrita de Milan, esse ser incrivelmente inteligente que abençoou a humanidade com a obra-prima que é A insustentável leveza do ser (Companhia de Bolso, 321 p.). Foi por conta da leitura que fiz desse livro que senti, pela primeira vez, o desejo de ler as entrevistas de um escritor.

Sobre o quê o livro fala? A antítese peso e leveza, a alma humana, o amor, e tudo isso num cenário revolucionário, político.

Mas, na verdade, será atroz o peso e bela a leveza?
O mais pesado fardo nos esmaga, nos faz dobrar sob ele, nos esmaga contra o chão. Na poesia amorosa de todos os séculos, porém, a mulher deseja receber o peso do corpo masculino. O fardo mais pesado é, portanto, ao mesmo tempo a imagem da mais intensa realização vital. Quanto mais pesado o fardo, mais próxima da terra está nossa vida, e mais ela é real e verdadeira.
Por outro lado, a ausência total de fardo faz com que o ser humano se torne mais leve que o ar, com que ele voe, se distancie da terra, do ser terrestre, faz com que ele se torne semi-real, que seus movimentos sejam tão livres quanto insignificantes.
Então, o que escolher? O peso ou a leveza?

Kundera é um desses autores que fazem com que o leitor leia e releia trocentas mil vezes um parágrafo simplesmente porque aquilo foi incrível, profundo, genial e espantadoramente simples. Tão simples que faz com que pensamos: "como eu não escrevi isso antes?!".

Muitas pessoas dizem que A insustentável leveza do ser é um livro sobre sexualidade. Olha, não é. É, antes de tudo, um livro sobre seres humanos: não há personagens boas ou más, há apenas pessoas tentando dar o seu melhor mediante as situações comuns da vida. Porém, Kundera nos insere no universo dessas personagens em um momento crítico da história da Tchecoslováquia: a Primavera de Praga, que resultou na ocupação soviética, em Agosto de 1968. Nisso, a vida tão comum dessas personagens - Tomas, Tereza, Sabina e Franz - vê-se, do mais absoluto nada, completamente transformada e a partir daí acompanhamos as reflexões do narrador - onisciente, onipresente - acerca dos ocorridos tanto políticos quanto pessoais.

O que eu percebi lendo Kundera ao longo dos anos (bem, vocês sabem que ele é o meu escritor preferido, né?) é que ele apresenta personagens, as coloca num cenário e tudo o mais, mas o que ele realmente faz é um baita monólogo acerca de suas reflexões sobre a humanidade, política, filosofia, história e tudo o mais que lhe vier à mente.

Numa das aulas de Biblioteconomia o professor fez uma piada falando que um dos pesadelos de qualquer bibliotecário é classificar este livro. Isso porque, já no primeiro capítulo, ele fala sobre Nietzsche, Parmênides, a Revolução Francesa e uma guerra na África Oriental nos idos de 1500. Isso tudo antes de entrar na história em si. Ou seja: é um livro sobre tudo. Um maravilhoso romance filosófico. (Que acaba sempre classificado como "Literatura Tcheca" porque simplesmente não há como defini-lo.)

"Ah, mas então deve ser muito difícil de ser lido!" Olha, eu não acho. Li esse livro pela primeira vez aos 18 anos e o adorei. Já o reli cerca de vinte vezes desde então e só posso dizer que cada vez que o leio percebo algo diferente. Mas, eu acredito firmemente que há tempo para tudo, inclusive para ler certos livros. Portanto, não se assuste com ele. Se acha que anda não é a hora, não tem problema. Se acha que irá odiá-lo, dê uma chance antes de achismos. Compre-o, coloque-o na sua estante e deixe o tempo passar, deixe que ele lhe chame. Na hora certa, você o lerá. Pode ser que goste, pode ser que não. Mas vale a pena, de qualquer forma.

Kundera, durante um discurso em 1985, falando sobre esse livro e fazendo alusão a um provérbio judaico ("O homem pensa, Deus ri."), disse:

"Agrada-me pensar que a arte do romance veio ao mundo como o eco do riso de Deus."

Apenas isso, senhores, apenas isso.

Em um quote:
Seu drama não era de peso, mas de leveza. O que se abatera sobre ela não era um fardo, mas a insustentável leveza do ser.

31 comentários

  1. Suspirando por saber que esse livro estará em minhas mãos. <3

    ResponderExcluir
  2. Este livro deve ser realmente fantástico!
    Isto do peso de um sentimento, da alma, a complexidade é algo muito bom de se discutir.
    Acho que se aprofundar nestes sentimentos é uma das melhores coisas que se pode fazer!
    E a frase "Muitas vezes nos refugiamos no futuro para escapar do sofrimento." faz todo o sentido!
    Ah, preciso ler este livro aí! :D
    Abraços
    C'est captivant blog

    ResponderExcluir
  3. Ótimo post, boa dica sabemos o quanto é dificil escrever resenhas, na verdade falar sobre livros pois afinal cada um ao ler, sente de uma maneira diferente a mesma coisa é, os sentimentos, a forma de cada pessoa tem para escrever seus textos!
    Um feliz Natal e prospero ano novo cheio de coisas boas e que surpreenda se. !

    ResponderExcluir
  4. Nossa, esse livro parece ser maravilhoso. Eu vou ir na biblioteca amanha ou depois de amanha e vou ver se tem lá, eu acho que irei gostar muito dele. Adorei a tua resenha, ela me deu uma vontade imensa de ler o livro.
    my-history-restarted-again.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Parece ser bem bom, vou ver se encontro ele para ler:) Muito boa sua resenha, de verdade. Passa uma vontade imensa de ler o livro.
    Beijos♥
    http://menina-do-sol.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Resenha esta ótima, tenho esse livro aqui e pretendo ler <3 http://luxuosoestilo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Nunca tinha ouvido falar do livro, mas gostei bastante de como você falou dele.
    Com paixão e o misto de sensações que ele te proporcionou eu fiquei muito curiosa para ler o livro.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  8. Oi Mia, parabéns pela sua resenha que está muito bem construída. Eu tenho muita curiosidade em ler esse livro, a premissa dele chama muito minha atenção e fiquei super curiosa. Com certeza irei atrás do livro quando tiver oportunidade!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com

    ResponderExcluir
  9. Oiiiie
    Eu concordo, realmente fazer uma resenha de um livro favorito é quase impossivel, mas você conseguiu fazer isso perfeitamente e conseguiu transmitir por palavras o que sentiu durante a leitura.
    Infelizmente a premissa do livro não chamou minha atenção, mas amei sua resenha

    ResponderExcluir
  10. Oi Mia!
    Há anos eu vejo esse livro nas prateleiras das livrarias e tenho sensações diversas sobre o que esse livro pode me trazer. Acho que ele me "intimida" e por isso nunca tinha procurado uma resenha ou algo do tipo sobre ele, só que lendo a tua interpretação dele, me deu vontade de ler também. Essa "intimidação" que eu tenho com esse livro é parecida com a que eu tinha com Cem Anos de Solidão, que acabou se tornando o meu livro preferido da vida.
    Acho que na minha próxima passada pela livraria vou levá-lo pra casa.

    Adorei teu blog ;)

    Beijo,

    Disfarçando as Evidências

    ResponderExcluir
  11. Oi Mia!
    Ainda não li A Insustentável Leveza do Ser, mas muita gente elogia tanto que morro de vontade de ler. Ando muito afastada dos clássicos e esse tipo de leitura mais "madura" tem me feito falta. Gostei muito da sua resenha, você conseguiu mostrar como o livro te tocou e porque é importante para você.

    B-jussss!
    http://www.quemlesabeporque.com/

    ResponderExcluir
  12. Geeeente, já to comprando muhaha. Gostei muito do livro e to muito afim de ler e sua resenha... ta perfeita moça HAHAHA.

    Abraços!!
    http://lendocomobiel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Esse é um dos livros que eu quero MUITO ler. Tenho muita curiosidade de conhecer a escrita de Kundera e agora, após ler essa resenha, excelente por sinal, minha curiosidade aumentou.
    Concordo com você, é realmente complicado escrever sobre um livro favorito, sempre fico com receio de não conseguir transmitir tudo que a leitura me despertou.
    Ótima resenha!
    Beijos.

    Li
    Literalizando Sonhos

    ResponderExcluir
  14. Acho que este é o livro favorito de minha esposa... nunca o li.

    ResponderExcluir
  15. Olá, Mia!
    Nunca li nenhum livro do autor (que vergonha), mas esse é um daqueles livros que fico namorando horrores toda vez que vejo o bendito vendendo por aí.
    Sua resenha só constatou o que eu já sabia, mas estava negando para eu mesma: Tenho que comprar esse livro. Logo. Urgente.
    Espero que seja uma leitura tão maravilhosa quanto foi para você.
    Beijos!

    www.livrosdajess.com

    ResponderExcluir
  16. Oie!
    Já ouvi falar desse livro mas nunca me interessei para saber mais sobre ele. Adorei a sua resenha, e para quem não sabe escrevê-las acho que você mandou muito bem! Fiquei curiosa com esse livro e com certeza espero um dia dar uma chance e gostar tanto como você dessa obra.

    Beijos,
    Andy - StarBooks

    ResponderExcluir
  17. Eu ainda não conhecia esse livro mas fiquei encantada com sua resenha é tamanha quantidade de elogios acho que preciso realmente tê-lo comigo.
    Beijos
    Myself here

    ResponderExcluir
  18. Pisquei e pronto, livro na minha wishlist. Sua resenha foi como uma que li há um tempo, que transformou um livro totalmente desconhecido em objeto de desejo. E o mais legal é que me fez sentir que preciso lê-lo, não só como pessoa, mas como estudante de Letras. Estranho isso, não?
    Beijos!
    http://laoliphant.com.br

    ResponderExcluir
  19. Olá; é mesmo difícil resenhar um livro que a gente goste muito, parece que nunca conseguimos falar o suficiente. Eu ainda não li esse livro, mas quero muito ler, por todos os comentários que já li sobre ele e por achar a história interessante.

    ResponderExcluir
  20. Oii!
    Não conhecia a obra, e apesar de sua resenha entusiasmada, não fiquei muito afim de ler. Mas me parece uma leitura incrível, com certeza
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  21. Oláá! Adorei sua resenha, acredita que vi esse livo na estante da minha escola várias vezes, li a sinopse e nunca peguei?! Poxa, agora estou me arrependendo disso. Que droga, mas vou atrás dele para eu aproveitar essa leitura que me parece ser maravilhosa. :D
    Obrigada pela dica!

    Beijão da Lari!
    Brilliant Diamond | Fan Page

    ResponderExcluir
  22. Olá, tudo bem?
    Que resenha mais linda! Você soube nos passar exatamente o que sente com o livro! E me fez ter vontade de ler um livro sobre o qual nunca ouvi falar na vida haha
    Beijos <3

    ResponderExcluir
  23. oi ^^
    cara eu não conhecia o livro e depois que terminei a resenha fiquei completamente apaixonada. tenho q ler essa obra pra já.
    por isso marquei no skoob.
    achei a premissa muito boa.

    ResponderExcluir
  24. Olá.
    Tudo bom?
    Apesar de você ter gostado tanto da leitura, infelizmente eu não me senti atraída, por não fazer parte do meu gosto literário.
    Adorei sua resenha.
    Beijos

    ResponderExcluir
  25. Oi, tudo bem?
    Não conhecia o livro. Sei bem como é difícil falar de um livro que a gente gosta muito.
    Bjs

    http://a-libri.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  26. Oi, tudo bem?
    É realmente muito difícil escrever sobre nosso livro favorito, parece que faltam palavras, não é mesmo? Passo por isso direto, porque sempre tenho um novo livro favorito kkkk Eu ainda não tinha ouvido falar sobre esse livro, mas fiquei curiosa e espero ter oportunidade de ler algum dia.

    Beijos :*
    Larissa - srtabookaholic.blogspot.com

    ResponderExcluir
  27. Uma amiga me disse que foi com esse livro que ela entendeu o conceito de livro de cabeceira; aquele que fica sempre a mão para reler. Eu concordo que é algo a se ler e reler, mas meu de cabeceira é O Principe. Mas que Kundera faz um romance de sentir na alma, ele faz.

    www.itgeekgirls.com

    ResponderExcluir
  28. Oi, Mia! Nossa, que prazer visitar o seu blog! Só por esse livro ser o seu favorito, já me mostra o quanto seu blog é especial e combina comigo. Adoro o Kundera, mas até agora dele só li "A festa da insignificância", você já leu? É fantástico. A leitura é muito rápida e o livro é muito bom. "A insustentável leveza" está na minha lista de preciso-ler-definitivamente, mas até hoje ainda não consegui.
    Sua resenha está muito boa, eu adorei lê-la. Tem a medida certa de humor e informação, do jeito que eu gosto. :)
    Um abraço,
    www.literasutra.com

    ResponderExcluir
  29. Oii!

    Não conhecia o livro e acho que não irei ler pois não gostei muito da promissa. A capa é bonita e a sua resenha ficou muito boa, mas foi deixar essa dica passar.

    Beijos, Amanda
    www.vicio-de-leitura.com

    ResponderExcluir
  30. Oiii.
    Ouço falar maravilhas desssa autora, mas ainda não tive o prazer de ler nehum livro dela, espero poder ler esse livro,pois adorei a premissa e a sua resenha ficou ótima, Parabéns. ♥♡♥♡♥♡
    Bjs;-);-)
    http://leiturasdamary.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  31. TOKA AKI!!!!!!!!!!!!! esse livro não é apenas ótimo, é excelente. Sa be uma coisa que eu sempre percebo quando fala de kundera? As pessoas querem definir o bom e o mal claramente, então quando temos personagens reais em cinza que não são um nem outro ao mesmo tempo que são ambos as pessoas não sabem o que pensar. Classificar este livro como livro de sexo é menosprezar tudo qeu as palavras escritas querem dizer.
    Fique muito feliz em conhecer mais pessoas que ama o livro como eu *-*

    ResponderExcluir