Tedmosbyando na vida

~nowhere sounds like a nice place~

Dia desses uma amiga minha disse que eu vou morrer sozinha.
Na hora fiquei super revoltada porque, imagina, que exagero, que absurdo, que drama!
Agora, acho que pode ser verdade.

Todos nós morreremos sozinhos. Ninguém vai nos dar a mãozinha para cruzar o portal do grande além. Mas ao invés de apelar pra o coletivo, por que eu não admito que, de fato, não sou uma pessoa legal?

Não sou uma boa amiga.
Adoro meus amigos, mas não tenho saco pra eles. Não consigo ficar conversando na internet, usando whatsapp e afins. Gosto de sentar e conversar olhando nos olhos. E isso ninguém mais quer, ou não tem tempo, ou "pra que fazer isso se podemos usar a internet?!". O ~amanhã eu respondo~ geralmente significa que responderei dali a semanas. Meses. E quando nos encontramos pessoalmente é aquela alegria, é maravilhoso. Mas o mundo internético deixa tudo tão impessoal... não consigo manter amizades pela internet. Não mais.

Houve um tempo que sim. Eu poderia ficar o dia inteiro na frente de uma tela, digitando bobagens, falando sobre a vida com gente a quem raramente eu via, se é que vi alguma vez. Adorava isso. Toda essa babaquice tecnológica: eu estava a par de tudo. Mas hoje essa coisa toda simplesmente perdeu o brilho pra mim. Fico na internet por minutos e já me canso. Não rola. E, por conta disso, não consigo estar tão próxima de meus amigos quanto antes. Sou uma péssima amiga. Mas tudo bem, eles também são péssimos.

Não sou uma boa namorada.
Não sou despojada. Se eu amo alguém, amo mesmo, de verdade, pra caramba. E quero cuidar da pessoa. Se não tenho saco pra ficar na internet falando com amigos, tenho pra ficar falando com namorado. Apesar de não ter. Odeio fazer isso, mas me esforço porque, poxa vida, né, amar é se esforçar um pouco. Não é mesmo?

Acho que não. De acordo com a geração atual, amar é ridículo e dedicar-se a alguém, totalmente patético. Pra que eu fosse uma boa namorada teria de ser despojada, desapegada, um espírito livre, que não estivesse absolutamente nem aí. Ao menos isso é o que proclama mais da metade das pessoas em meu fb. A namorada perfeita não sente ciúme, adora a ex do rapaz, ama as amigas dele, não tem problema algum no quesito autoestima, é completamente segura de si e não dá a mínima pra saídas regulares. A namorada perfeita não sofre, não chora, não reclama. Não é carente, não quer atenção.

Bem, ela não sou eu.
Eu sou old-fashioned. Uma pessoa real. Não sou nem pretendo ser moldada de acordo com os padrões da sociedade atual. E aqui não me refiro a aparência. Me refiro a comportamento mesmo. Atualmente, se você não estiver sempre conectada, não tem vida social, amigos etc. Se não se mostrar desencanada, ficará sozinha, porque aparentemente todos têm medo de compromisso hoje em dia.

Então, talvez eu realmente vá morrer sozinha. Talvez não.
Talvez eu encontre uma turma de esquisitos como eu que simplesmente não têm energia pra ficar se valendo apenas de amizades internéticas, que adorem sentar em qualquer canto, mesmo numa calçada, e conversar sobre qualquer coisa, incluindo o crescimento da grama. I don't know. Ou talvez eu tenha de me adequar realmente e isso se dê daqui a algum tempo. Só sei que eu sou uma pessoa real, não um ideal. Eu odeio ser retratada como um. Eu odeio a forma como as pessoas se cansam de mim após perceber que, de fato, estou longe do ideal.

Eu só quero exercer o direito de ser quem eu sou e ser amada por isso.
Mas acho que isso é pedir demais.


9 comentários

  1. Morrer sozinho pode ser inevitável até pra quem tá casado e tem filhos. Os filhos crescem, saem de casa, o parceiro acabado indo antes, e aí a pessoa fica sozinha... Normal isso. Mas não é na morte que a gente tem que pensar. É no agora. Se você está feliz com a tua vida social, mesmo que inconvencional, ótimo. Não tem porquê mudar. Se não, mude. É simples assim. A hora da morte é a hora da morte, e lá a gente vê o que faz, não é mesmo? :)

    Eu também sou do tipo que prefere sentar na calçada e conversar sobre a grama, mas as pessoas realmente preferem ficar no whatsapp do que sair. Dependendo do meu humor, eu também prefiro ficar só em casa pela internet mesmo, mas em geral eu preciso sair, preciso de algum convívio social, hahaha. Agora uma coisa que eu acho complicada é que só consigo gostar romanticamente de pessoas que moram longe, então eu me acostumei a relacionamentos à distância baseados em Skype. É triste, mas eu até me apeguei a esse modelo de relacionamento, tanto que devo ter criado um bloqueio que não me deixa gostar de gente que mora aqui... Vai entender. UAHAUH.

    E esse negócio da namorada despojada é baboseira, sério. Cada relacionamento é um relacionamento, e o casal se ajeita do jeito que eles acham melhor. Se teu namorado tá okay com o ciúmes ou de passar um fim de semana em casa contigo ao invés de ver os amigos, qual o problema? É chato que os amigos dele vão ficar cheios dos mimimis pra cima de ti, mas é uma escolha do casal, sabe. Os outros não tem nada a ver com isso. Não deveria existir um modelo para como os relacionamentos devem ser construídos. Eles devem seguir o que as partes querem. Quem tá fora que não se meta. Pelo menos eu penso assim.

    Beijinhos ;*

    ResponderExcluir
  2. Tenho me sentido assim também. Eu AMAVA as ~internet, chat, MSN, o querido finado Orkut, mas não consegui me adaptar aos facebook/twitter/whatsapp da vida. :( Deixo de conhecer muita gente por causa disso e, o mais triste, perco o contato com gente que já conhecia. Gosto de e-mails, mas pareço ser a única. :(

    ResponderExcluir
  3. Eu me identifiquei, tipo muito, com o que você escreveu. Também não tenho muita paciência para redes sociais e conversas digitadas, muito menos para aquele lance de que, se visualizou e não respondeu, a pessoa... sei lá, não te ama mais. Acho isso meio nada a ver. Quer dizer, há alguns séculos as pessoas, ao se comunicarem por cartas, tinham que esperar ALGUNS MESES por suas respostas. Pois bem, um indivíduo pode esperar um dia, ou dois, ou uma quinzena que seja, para que eu responda um recado. E isso, definitivamente, não é sinônimo de arrogância.

    Tô amando seus posts diários, Mia!

    ResponderExcluir
  4. aii, muito eu isso! Não tenho saco pra amigos, cara, eu sou uma péssima amiga. Eu sumo por semanas,não respondo pessoas e não é por mal mas não dá pra evitar, sei lá o que rola.
    Sou uma boa namorada, mas bem do jeito que vc falou: preocupada, dedicada, etc etc.
    Morrer sozinha eu sei que não vou porque caso seja uma pessoa solitária no futuro terei 271972189 gatos e tudo bem :D hehe

    ResponderExcluir
  5. Mia, meus amigos já meio que me entendem, porque às vezes enjoo deles sabe? enjoo de conversas sobre amenidades que não têm nada a ver e sumo. Passo um bom tempo sumida, desativo tudo, não respondo mensagem e essas coisas, porque tem uma hora que me encho dessas coisinhas. Mas, assim como você, se nos encontrarmos pessoalmente é só amores. Hoje em dia isso se torna cada vez mais raro; na verdade, conheço pouquíssimas pessoas que são assim igual a mim. Todo mundo conhece um monte de gente pela internet, é amigo, conversa milhões blablabla, já eu deixo meu facebook, por exemplo, sempre offline. Às vezes penso que assim nunca terei mais amigos, aí penso em ser mais legal, mas minutos depois desisto. É a vida.

    Sobre essa namorada surreal que você falou ai: não sou, nunca fui e nem quero ser. Na verdade, nem quero ter um namorado assim, Deus me livre dessa falta de apego.
    Beijoss

    ResponderExcluir
  6. Acho que ninguém realmente é um ideal, né? Somos todos reais e cada um tem suas manias e dementadores pra enfrentar.
    Eu não tenho muito saco pra ficar horas batendo papo na internet também. Eu fico, eventualmente, conversando com os meus amigos às vezes por uma hora inteira no WhatsApp porque a vida anda corrida, a gente sente saudade, e assim dá pra dar umas risadas. Mas eu sinto preguiça de ficar conversando assim, me dá preguiça até de digitar. Então às vezes eu só gravo uns áudios mesmo (porque falar no telefone não é uma opção).

    No mais, cada relacionamento é um relacionamento, mas pra mim leveza é fundamental.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Tua amiga é uma anta, com todo o respeito.

    E, no mínimo, tua amiga caiu nas garras da Internet, ficou encantada com os eventos de "amor livre" e com as tirinhas feministas, mas o pior de tudo é que se viu obrigada a rotular-se de alguma coisa. Se antes pregava-se "não rotule", hoje a ordem é "rotule-se de alguma coisa dentre as opções abaixo e não deixe que te rotulem de outra coisa".

    A geração juristas de internet que tudo idealizam e nada realizam é isso. Ficam horas na frente do computador lendo que pintar o sovaco é lindo, que pintar a barba é lindo, que cotas raciais são lindas, que amar uma pessoa tal qual ama uma almofada é lindo, e depois de algumas horas estão compartilhando no Twitter aquele mesmo gif do começo do post, ou uma frase que diga exatamente a mesma coisa.

    Eu mesma estou ficando de saco cheio de Whatsapp. Meu namorado me bombardeia de mensagens, eu bombardeio ele de mensagens, mas o pior de tudo é que isso alimenta muito minha ansiedade de responder LOGO e de esperar uma resposta LOGO, sob o risco de ser penalizada por "falta de interesse".

    Se os amigos estão te enjoando, é porque o contato em nível besta está acima do normal, ou porque eles ficaram bestas em algum momento e estão trazendo essa vibe besta para o grupo. Eu ficaria enjoada de um amigo mandando memes no Whatsapp todos os dias, por exemplo, pra depois a gente se encontrar ao vivo e não ser assunto.

    Só digo que fico feliz por vários aspectos da minha vida terem deixado a fase aborrescente.

    ResponderExcluir
  8. Me identifiquei muito! Também não tenho saco pra bater papo na internet por horas. Fico dias sem responder. Alguns amigos eu até EVITO (na internet), porque sei que quando começarem a falar, não vão parar mais e eu simplesmente não tenho o mínimo interesse em desenvolver uma conversa que dure mais do que 10 minutos, no facebook. E se tem algo que me anoja é gente que reclama da minha demora pra responder. Aí sinto menos vontade ainda de conversar. Muito sincero esse teu post. Gostei! :)

    http://desapegomental.com/

    ResponderExcluir
  9. Ahhh me vi em algumas passagens do que você escreveu. Até ri pq no momento eu estou sem celular (o meu resolveu mergulhar no vaso) e desde então estou vivendo sem tanto contato sabe. Eu fico bem mesmo sem estar grudada 24 hs num celular! Quanto a relacionamentos....sou um desastre...tem fases que eu não gosto de ninguém e e sinto como um homem, mas quando eu me apaixono não consigo viver disfarçando que não tenho ciúmes ou insegurança. Alterno entre frieza e paixão avassaladora hahahaha
    Um dia vai aparecer alguém que combine comigo...ou não mas enquanto isso é vida que segue!

    Bjo bjo

    http://ticinha-dias.blogspot.com.br

    ResponderExcluir