Para sobreviver, tens de contar histórias

Quando lemos um livro criamos uma relação de amizade com o autor. Por alguns dias, semanas ou até mesmo meses, aquele escritor se torna um amigo próximo, íntimo. Nós lemos seus pensamentos e falamos o que pensamos também, mesmo que ele não nos ouça. Ele nos leva a refletir, a pensar, nos pega pela mão e nos transporta a mundos, épocas e lugares que jamais conheceríamos se um dia ele não tivesse parado, talvez no meio de uma tarde chuvosa de um domingo insosso, para colocar em um papel o mundo em que vivia quando sonhava. 

Por isso, ao lermos um livro não lemos apenas uma história: conhecemos a alma de seu criador. Todo livro tem um pedacinho da alma de quem o escreveu. Esse pedacinho se acrescenta à nossa. O escritor é um grande doador: doa pedaços de alma, de criatividade, de esperança àqueles que necessitam. 

Talvez por isso tenham de partir. Talvez um dia suas almas, já frágeis, remendadas por tantas doações feitas, cessem de se doar, afinal, já são inteiras em almas alheias. Um escritor nunca morre, pois pedaços de suas almas habitam em almas de leitores. 

Um dia as histórias cessam e o escritor vai habitar com suas personagens, no mundo das ideias, eternamente entre páginas e nas almas daqueles que guardaram suas palavras. 

Obrigada pelas doações, senhor Umberto Eco e senhora Harper Lee. 
Um dia pretendo encontrá-los para agradecer pessoalmente. 

~imagem via: mártires literários

6 comentários:

  1. Lindo texto! Ainda não sabia da morte do Umberto Eco, realmente triste, não cheguei a ler muita coisa que ele escreveu para falar com mais propriedade, mas nossa que perda! 2016 já começou bastante estranho, cheio de perdas de grandes pessoas :(

    ResponderExcluir
  2. Lindas, lindíssimas palavras! Obrigada por seus pedaços de alma ♥

    ResponderExcluir
  3. Nossa que linda a sua homenagem. É muito triste perder esses dois, mas é com você diz eles estão em nossas almas.

    ResponderExcluir
  4. Que texto lindo. Arrepiou.
    Concordo muito com voce, e acredito que a leitura é uma espécie de troca de almas. Onde, muitas vezes, o autor acrescenta muita coisa na vida de um leitor, e o leitor, consequentemente, também acrescenta ao autor!

    É triste a perda, e também espero encontrá-lo e agradeço-lo por tanta doação e tantas palavras.

    Gostei muito do seu blog.
    Te segui no instagram ♥

    Beijo

    ResponderExcluir
  5. Essas mortes partiram meu coração! </3
    "O Sol É Para Todos" foi uma das leituras mais emocionantes que já fiz, vai ser triste não ter a possibilidade de nada da Harper Lee. "O Nome da Rosa" já não foi tão fácil de ler, exigiu paciência, mas terminei boquiaberta. Estou com "O Cemitério de Praga" na meta de leitura e, ahh, fiquei triste. A gente não podia perder autores extraordinários assim, ainda mais dois no mesmo dia. ;_;

    ResponderExcluir
  6. Que lindo texto! Concordo completamente. Ainda bem que temos o legado dessas grandes pessoas deixado em seus livros. <3

    ResponderExcluir

 
Wink .187 tons de frio.