Uma Lily querendo ser Robin

Sexta passada fez 7 anos que eu escrevo neste blog. SETE ANOS ESCREVENDO NESTE BLOG. Meu relacionamento com ele tem durado mais do que qualquer outro relacionamento amoroso em minha vida. Acho que isso já diz muita coisa a meu respeito. 

Uma delas é: JUVENTUDE, KD VC? 
A outra é: eu sou realmente comprometida com a minha escrita. 

Quando eu tinha 15 anos criei este blog com um único objetivo: treinar a minha escrita pra um dia ser uma boa jornalista e trabalhar na redação de uma revista. Eu era bem mais metida do que sou hoje e stalkeei loucamente o Jerri Dias, colunista da revista Capricho na época, até achar algum contato dele - no caso, seu MSN - e puxar papo pra saber como é que ele havia conseguido entrar na redação da revista. 

Bem louca, eu sei. 

Mas aí que papo vai, papo vem, ele me disse algo que mudou a minha vida: 
— Por que tu não cria um blog e vai treinando a escrita nele? Se tu for boa, recomendo teu blog na revista. 

E foi assim que o Wink nasceu, naquela mesma madrugada do dia 19 de fevereiro de 2009. (E ele recomendou mesmo. ♥) Sem grandes objetivos, apenas o de treinar a minha escrita para um dia ser uma jornalista. RISOS. 

Meu desejo de ser uma jornalista data da minha infância. Quando eu tinha 6 anos decidi que um dia seria correspondente internacional simplesmente porque queria viajar o mundo todo, ser paga pra isso, ver a vida das pessoas, de diferentes culturas, de perto, poder conhecer realmente como funciona o universo e tudo o mais além da minha bolha de garota sulista brasileira e depois escrever um livro sobre isso. 

OBJETIVOS SIMPLES E REALISTAS PRA UMA MENINA DE 6 ANOS. 

Até os 18 anos cultivei esse desejo fortemente dentro de mim. Tenho até hoje cadernos e mais cadernos, fichários, livros e tudo o mais, incluindo um mural, com matérias jornalísticas que me inspiravam a seguir em frente. Mas todos que me conheciam diziam que eu nunca chegaria lá, que eu deveria me contentar com pouco, que eu simplesmente não tenho o perfil de jornalista porque "tu é quieta demais", "tua voz é fina demais", "tu é esquisita demais pra ser jornalista". E eu fui me encolhendo. Porque ouvir todas essas coisas, ouvir as pessoas rirem de ti quando tu diz que tem um sonho, ouvir gente que é da tua confiança dizer que tu não serve pra aquilo que tu quer desde a mais tenra infância... Tudo isso desestimula a pessoa. 

E foi assim que me convenci de que não era boa o suficiente e entrei na Pedagogia. 

Não posso dizer que foi ruim. Foram 2 anos cursando Pedagogia, no meio das crianças, dando aulinhas, fazendo pesquisas na área, aprendendo muita psicologia infantil e pegando ódio por Piaget e por Freud - hoje em dia Freud e eu fizemos as pazes, mas Piaget ainda está na minha lista de mataria se já não estivesse morto

Pedagogia é um curso maravilhoso e cresci muito dentro dele, aprendi coisas que levarei para a vida e fiz amizades maravilhosas, mas certamente não me bastava. E uma noite quando, voltando pra casa, vi um rapaz ser morto dentro do ônibus em que eu estava... simplesmente percebi que aquilo não valia o risco. Não valia o risco de morte. Não valia sair da faculdade às 23h, pegar o ônibus às 0h15min - ou mais - e chegar em casa às 2h da manhã, correndo um risco tremendo, só pra engolir um miojo e voltar a toda a rotina novamente no outro dia às 5h da manhã. Simplesmente não valia a pena passar por tanto trabalho, tanto perigo, tanta dificuldade - e ferrar com a minha saúde no processo - só pra ter um diploma numa graduação que certamente estava longe de ser meu sonho. 

E foi aí que decidi que chega, eu vou correr atrás do meu sonho. 
Então, pedi a reopção de curso. E foram meses de espera. MESES. Fiz o pedido em agosto do ano passado, mas o resultado só saiu no 1° dia deste ano. 

Eu tive uma virada do ano bem cocô. BEM HORRÍVEL. Só não foi mais horrível porque otimismo + estar etilicamente alterada ajudaram um pouco. Mas terminei 2015 pensando que não conseguiria trocar de curso, que ficaria trancada para sempre numa graduação que não ornava comigo, numa vida que não era a que eu queria pra mim e numa situação que me deixava desanimada no sentido mais real da palavra. 

Porém, no dia 1°, assim que acordei, peguei o celular e: REOPÇÃO DEU CERTO, JORNALISMO AÍ VOU EU \o/ 

Sou uma Lily tentando ser Robin. 
Ou uma Robin que tentou ser Lily. 
Ou as duas, mas numa versão da vida real. 


Será que vai dar certo? 
Estou morrendo de medo e ansiedade, mas espero que sim. 


Mas neste momento I'm a little bit Rory Gilmore porque SOCORRO! É UMA GRANDE MUDANÇA! DE PROFESSORA INFANTIL A JORNALISTA! HELP ME! 

10 comentários

  1. Olá Mia, não sabia que o blog existia à tanto tempo! Parabéns pela determinação em mantê-lo, hoje em dia é mui raro encontrar blogs textuais.
    Se são sete anos escrevendo, bem, quase fazem também sete anos que acompanho sua escrita, e de fato posso afiançar, com um grau razoável de certeza que você evoluiu no uso das palavras.
    Não pense que eu acompanho seu blog desde o primeiro post, pois eu não o conhecia. Não sei ao certo como foi que encontrei um de seus textos, e, bem, durante uma semana fiz dos posts antigos minha única fonte de leitura, até terminar de lê-los todos.
    Lembro especialmente de um relato onde você havia ganho um prêmio de redação, um reconhecimento por sua escrita, algo assim. Você ficou tão feliz! E eu, lendo a postagem antiga, fiquei tão feliz quanto você.
    Lembro também quando você entrou na faculdade, fazia letras ou geografia, não sei bem. Só sei que, de certa forma, uma parte do seu cotidiano faz parte do meu cotidiano, visto que acompanho de perto sua escrita.

    Quanto à pedagogia, fez bem em mudar de área. Não era o que você queria fazer, então não há por que fazer.
    Não pense que a pedagogia foi perda de tempo, porém. O conhecimento que você tem de história, sociologia, filosofia e sistemas educacionais adquirido nesse curso vai te ajudar bastante num futuro trabalho como jornalista.
    Quem sabe eu não possa te ver no "Roda Viva", ou quem sabe na cBN.
    Não desista do que você quer, e lembre-se de que ainda falta muito para seus trinta anos, então tem bastante tempo...

    Não quero escrever um comentário maior do que seu post, mas há tanto à falar! Bem, deixemos para uma próxima vez.
    Boa sorte no curso! E, de toda forma, meus posts preferidos são àqueles nos quais a senhorita utiliza palavras difíceis, àquelas que a gente nem lembrava mais que existia.

    ResponderExcluir
  2. Primeiro, parabéns por conseguir entrar no curso de jornalismo que tanto sonhou e que tanto gosta! Eu adoro seus textos e acho que você vai se dar muito bem, porque afinal você adora isso. ;)

    Eu estou mais pra área do Ted ou da Lily, mas sinceramente eu queria ser um Barney e trabalhar com... please! Hhaahahaha

    Enfim, boa sorte e tudo de bom nessa nova fase, que dê tudo certo! <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, esqueci de parabenizá-la pelos 7 anos de blog! Isso é tempo, heim!

      Excluir
  3. Primeiro: parabéns pelos 7 anos de blog! Precisa de muito amor e paciência pra levar por todo esse tempo, mas é muito amorzinho ver quando ele completa aniversário (o meu está indo para o segundo, depois de vários outros blogs criados e deletados, e já tô super feliz e surpresa com isso, hahaha). Segundo: não sei porque, mas sempre pensei que você amasse muito a pedagogia! Devo ter perdido alguns posts por aqui falando sobre isso, ou te conheci depois, mas enfim... Também não sabia desse seu amor pelo jornalismo e fico feliz em ler que você vai atrás dele agora. Não entendo um mundo onde pessoas próximas desencorajam as outras a irem atrás do que amam, deve ter sido difícil pra você ter aguentado tudo isso, mas que bom que agora vai conseguir fazer o que amou desde pequena! Que dê tudo muito certo <3

    ResponderExcluir
  4. Eu raramente comento seus posts porque acho tua escrita tão... completa (?) que não quero falar nada a mais pra não ficar sobrando, sabe? Nunca consigo pensar em nada que eu possa falar pra expressar o quanto eu gostei de ler o post, etc, por isso geralmente só leio, aproveito a leitura, fecho a aba e sigo minha vida. Mas hoje não consegui ficar omissa. Eu precisava comentar.

    Primeiro, o clichê: parabéns! E sorte, te desejo muita sorte nessa nova etapa.

    Segundo: comecei lendo o post sabendo que você não cursava jornalismo e pensei que poderia ser um relato sobre como as pessoas conseguiram acabar com teu sonho. Comecei a ler com a impressão de que fosse um livro, sabe? Torcendo pra protagonista dar uma reviravolta. Até que. Pum. Plot Twist. Tu vai fazer jornalismo. Tu vai fazer o curso que tu queria desde sempre. Tu vai e eu tô muito feliz por ti! Sério!

    Plus: adorei a comparação com HIMYM. Amo a série e adorei a referência.
    Btw, super achei que combinou. <3

    ResponderExcluir
  5. Fiquei bem feliz quando você anunciou no fb, e continuo imensamente feliz por você agora. É uma mudança enorme, eu imagino, mas acho que você vai ficar bem, afinal é uma mudança pra algo que você sabe que gosta.

    Eu já sabia mais ou menos da história do blog, mas não sabia que ele tinha 7 anos! Parabéns, de verdade. Eu mal consigo manter um blog por 6 meses, então te admiro muito, HUAHAUHAU.

    E olha, por mim dá pra ser uma mistura das duas sim! Tô até imaginando você punindo as pessoas na agência como a Lily fez naquele episódio em que ela é contratada pra trabalhar com o Ted, huahuaha.

    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  6. Que bom que conseguiu trocar! Parabéns e muito sucesso nessa nova fase! Também passei pela mesma coisa, porém por menos tempo, fiquei só um ano no curso que não era meu sonho.
    Não sabia que o Wink já tinha isso tudo. Eu sempre fico séculos sem postar nada no blog e acabei decidindo recomeçar do zero esse ano.
    E quanto a sua escrita, acho a mesma incrível! Adoro seu jeito de escrever, leio e sinto como se fosse eu mesma passando pelas coisas que você viveu. Se o jornalismo não der certo, invista em se tornar uma escritora, porque eu acho que você teria muito sucesso.

    ResponderExcluir
  7. Nossa, eu sei bem o que é o estrago de rirem de um sonho que a gente tem, já passei forte por isso. Que ÓTIMO que você passou por cima disso e mudou o rumo da história. Parabéns mesmo!! Vai ser uma grande jornalista, tenho certeza!!
    Sucesso na nova estrada!

    Beijo!

    ResponderExcluir
  8. Lembro de te ver comentar no início do do ano que algo muito bom tinha acontecido, e é ótimo te ver tão feliz com isso Mia!
    Se a intenção do blog era melhorar sua escrita pra um dia ser uma ótima jornalista, hoje você tá completa <3
    É realmente péssimo quando as pessoas nos incentivam ao contentamento com o básico, mas as melhores pessoas são aquelas que correm atrás, certo?
    Te desejo muitas conquistas nesses novo caminho <3

    Novembro Inconstante

    ResponderExcluir
  9. Ai Mia, às vezes a gente deixa de ser tanta coisa por causa dos outros! É uma lástima, de verdade, mas fico feliz que você tenha jogado todos esses discursos pro alto e feito aquilo que teu coração mandou. Vai fundo, que o amor vai te levar longe. E vi hoje (será que foi hoje? nem sei mais, hahaha) que é teu primeiro dia de aula! SUPER parabéns e boa sorte nessa nova caminhada, que venha cheia de conquistas e bons momentos. <33

    Beijo, beijo!

    (em tempo: te indiquei um meme, mas compreendo totalmente se não puder fazer com essa nova vida atribulada de jornalista em formação) <3

    ResponderExcluir