Das [des]vantagens de ser visível

Eu não quero um namorado.
Por muito tempo eu quis um namorado pra chamar de meu, mas qual é o objetivo disso? Passear nos fins de semana? Tenho amigos pra isso ou posso até mesmo passear sozinha - por que não? A vida é divertida, ser uma espectadora do mundo é hilário. Posso perfeitamente passar um fim de semana sozinha sem me aborrecer por isso. 

Ou será que o objetivo seria ter alguém com quem me pegar loucamente? Meu bem, sem querer ser presunçosa aqui, mas eu tenho vários "alguéns" com quem me pegar loucamente - elevadores da vida que o digam - se assim quiser. Só que há um porém: eu gosto mais de falar sobre isso do que realmente fazer. É entediante. O corpo humano, na prática, não me interessa muito - e convenhamos que praticamente ninguém sabe o que fazer nem ao menos com as mãos num simples beijo, que o fará em outras situações, e eu não tenho vocação para lecionar.

Um namorado para não passar o dia dos namorados sozinha? Tive alguns namorados e sempre passei esse maldito dia sozinha. Não é algo que me incomode, de verdade. Quer dizer, eu não comemoro nem Natal, por que raios comemoraria o dia dos namorados? Pra dizer que alguém me quis?! Eu posso ser querida pelas pessoas em várias formas - depende do meu desejo, das minhas ações. Não preciso namorar para me sentir querida por pessoas legais.

Um namorado para me dar presentes legais? Cara, aí está um ponto que me irrita profundamente. Até nem tenho problemas em ganhar presentes de amigos, mas de namorado? É um baita problema aqui dentro. Por quê? Simples: um dia a relação vai acabar - amigo, tudo acaba nessa vida; o que não acaba em separação acaba em morte - e é um saco não saber o que fazer com aquele monte de presentes ganhos de um ser nem tão mais amado assim.

Namorar para exibir a vítima pra os parentes quando perguntarem aquele irritante "e os namorados?"? Não, nem pra isso compensa. Perceba: família + namorado = desastre. Assim que eu tiver respondido com um "então, é esse ser masoquista aqui que resolveu encarar a loucura que é me namorar" o pessoal começará a perguntar "pra quando é o casamento?", "será que dará em algo?", "a relação tem futuro?", "segura o bebê e já vai treinando, guria". Não rola, simplesmente não.

Namorar para estar com alguém legal e que me goste? Mas eu tenho pessoas legais e que me gostam que estão comigo: amigos e família. Perceba: não preciso me agarrar loucamente nas pessoas para mostrar que gosto delas, e amo profundamente meus amigos. Solidão não é meu problema, nem de longe.

Namorar para evitar assédios inconvenientes no fb da vida? Cara, essa seria uma vantagem: colocar o status de "relacionamento sério" no perfil evitaria muitos babacas azucrinando minha existência. Mas do que adiantaria fazer isso para me livrar de babacas se você também é um tipo de babaca - num outro nível, é verdade, mas ainda assim é um babaca - e provavelmente eu iria terminar contigo por isso? Nem isso compensa, amigo. Fora que eu gosto de ser paquerada. A paquera é a parte mais legal de qualquer relacionamento: ela determina quem fica e quem vai - e por "quem fica" quero dizer "quem vira amigo" - porque a maior parte dos meus amigos são paqueras que deram muito certo, afinal, conquistaram um lugar especial na minha vida maluca.

Se eu sou contra namoros e me tornei uma pessoa seca e fria? De forma alguma. Sou uma guria que - ainda - acredita em amor e em ser profundamente amada por um tempo. Um ser quase romântico. Namorar alguém legal é tri divertido e por um certo tempo eu quis muito isso. Mas sabe como é, quando um cara me diz que não é um bom namorado, eu acredito. E quando eu consigo fazer uma lista de motivos para ficar sozinha e não acho um só motivo para estar acompanhada neste momento, é sinal de que você simplesmente não vale a pena nesse quesito, filhote.
(e agora que eu desisti de vez de romances por este ano, aparecerá um cara tri legal e cujas circunstâncias sejam favoráveis só para me quebrar o bico, querem ver? ironia rege minha vida.)
~David Tennant abençoa este post~

8 comentários:

  1. Pra falar a realidade concordo com vc, mas não vai aparecer um cara tri legal, só em filmes, passei uns três anos sozinha e era mais um repelente do que outra coisa rsrs

    ResponderExcluir
  2. Namorar ou não namorar: isso é algo que não é pros outros, é pra ti.
    Filosofar sobre se a figura de um namorado não seria a mesma de um amigo com benefícios ou algo parecido, pra mim, que já passou da idade dessas filosofias baratas, é besteira.
    A vida nos mostra que amigos são importantes e podem ser levados conosco pelo resto de nossas vidas. Podemos ter nossos 60, 70 anos, e os amigos continuarão conosco, os de verdade.
    Mas, da mesma forma do namoro: ter amigos é uma necessidade pra provar pros outros nossa sociabilidade, nossa cordialidade, nossa capacidade de comunicação? Ou ter amigos é algo, assim como um namorado, que possa nos completar, uma vontade que vem de dentro e não de fora?

    ResponderExcluir
  3. Acho meio louco isso de "precisar" de outra pessoa para ser feliz. Desnecessário.
    Sou casada e feliz com isso. Mas descasada encontraria as vantagens de ser solteira e seria feliz também. Claro!
    Namorar é bom, ser solteira é bom, pegar todos é bom, monogamia é bom também.

    ResponderExcluir
  4. quando percebi que ~namorar~ e ~ter alguém~ era muito mais uma imposição social do que um desejo meu minha vida mudou. tipo meu pai que acha que eu sou ~devo sair da casa da minha mãe~ quando casar, porque não posso ser independente sozinha, preciso de um macho. eu acreditei nisso durante muito tempo, que para ser uma pessoa feliz e alcançar as coisas que eu queria precisava de um homem ao meu lado. aí quando desapeguei disso meus namoros foram outra coisa, foram mais reais, honestos e simples. não tinha pressão, eu estava ali pq gostava da pessoa, e não pq precisava daquilo.

    ResponderExcluir
  5. Cada dia que passa eu penso mais assim como você. Temos que namorar se tivermos vontade, se a pessoa valer a pena, se for isso o que realmente ambos quiserem. Mas por outros motivos, como status de facebook, presentes, dia dos namorados; todas essas coisas são dispensáveis. Ah, o importante é conseguir ser feliz independente de estar namorando/ficando/enrolando/solteira, whatever. :)

    ResponderExcluir
  6. Olha, eu gosto muito de namorar porque eu sou muito "família", prefiro passar o tempo com a família do que com amigos, e quando tô namorando o namorado vira parte da família também. Mas isso é complicado porque nem todo cara é "família" (meu atual, por exemplo, não é), aí fica meio incompatível, mas a gente faz o que pode né. (aliás, deixo claro aqui que quando falo de família, falo de família nuclear. aquelas tias que só ficam perguntando quando vai ter casamento etc. é um porre mesmo.)

    Mas olha, namorar só vale a pena mesmo se a pessoa for maneira. Namorar por namorar é besteira, tem que ter sentimento e MAIS: VONTADE de comprometimento. Acho que é isso que faz falta pra você: você não tá a fim de se comprometer agora. E não tem nada de errado nisso! Cada um vive a vida no seu rítmo, e se você quer ficar sozinha agora, te apoio totalmente!

    Mas que a sociedade impõe o tempo todo que precisamos de um namorado, ela impõe. E isso é um saco. De verdade. Tenho uma amiga que sempre me diz que nunca sentiu essa pressão, mas é porque ela tá SEMPRE com alguém. Nunca sozinha. Por mais que ela esteja solteira, sempre tá de rolo, com uma ou mais pessoas. Mas se ela não tivesse, pode ter certeza que ia ter gente perguntando: "e a tua vida amorosa, como vai?". Ano passado passei o ano inteiro solteira, mas pouco tempo efetivamente ~sozinha~, e é claro o quanto as pessoas ficam interessadas em saber quando você não fala dessas coisas.

    No mais, espero que tu continue sendo feliz consigo mesma. Você merece. <3

    ResponderExcluir
  7. Vez ou outra me pergunto isso. Ter um namorado pra quê?
    É provável que eu nunca tenha me apaixonado, ou nunca ter gostado (aquele sentimento que se aproxima da paixão) de alguém .
    Eu olho para a pessoa e minha única vontade é ser amiga dessa pessoa, conversar, rir, se divertir. E nada mais.
    Outros desejos e sentimentos estão em outro planeta. Fora de cogitação.
    Sempre me pergunto se isso é normal ou se sou só eu (a diferentona) que sente isso.

    ResponderExcluir
  8. Gostei da sua conclusão: "Se eu sou contra namoros e me tornei uma pessoa seca e fria? De forma alguma. Sou uma guria que - ainda - acredita em amor e em ser profundamente amada por um tempo. Um ser quase romântico." Penso mais ou menos da mesma maneira, sabe?
    Por exemplo, casamento: não faço questão de festa de casamento, acho que é um dinheiro que poderia ser aplicado em outra coisa, sou insensível? Ao contrário, sou romântica (ingênua?) o bastante para achar que o sentimento que vale e que, se duas pessoas quiserem ou não fazer festa não torna o amor mais verdadeiro.
    Namoro é legal quando você encontra alguém bacana e os dois pensam "a gente se gosta, se curte, vamos namorar? vamos!". Mas sair em busca pelo tal do "alguém bacana" é muito chato, tenho preguiça. Penso que se eu achar um cara legal com quem eu tenha vontade de namorar eu embarcarei nessa, mas sair procurando por aí e me deparar com uns babacas no caminho não é pra mim.

    ResponderExcluir

 
Wink .187 tons de frio.