Não mande nudes

Desnuda a minha alma
e eu mesma
desnudarei
o teu corpo.

Pra que ser apenas mais um corpo
desnudo
no teu cartão de memória do celular
se eu posso ser
uma alma
desnuda
em versos rimados, em dós, sustenidos,
em suspiros quebrados?

Não quero oferecer uma mercadoria de
63 quilos
de ossos, carne, dobras salientes,
mas sem nem um arrepio.

Não quero ser escolhida como a ficante da noite.
A mais bonitinha.
A que melhor se adapta
ao teu dia a dia.

Quero poética, quero renascer
em cada estrofe
do teu querer.

Quero desejar
te ter.
Em meus poemas
te descrever.

Não mande nudes.
Mande poesia.
Poetize a minha
rotina. 

2 comentários:

  1. Seu poema me lembrou uma conversa com uma amiga, há uns dias atrás, quando pedi pra ela ter cuidado com o cara que estava saindo para quem tinha acabado de enviar um nude, e ela sem entender me colocou como extremamente errada por dizer isso

    Agora é só mais um corpo desnudo na memória do celular dele :(

    Novembro Inconstante

    ResponderExcluir

 
Wink .187 tons de frio.