Por que eu não lido com filmes românticos

Inventei de ver When Harry Met Sally (1989) e saí com a sensação de que tinha alguma coisa de errada naquele amor todo.

Harry & Sally: claramente não feitos um para o outro. Sally um dia dá carona até New York para Harry, um carinha egocêntrico, com complexo de Schopenhauer que, mesmo pegando uma amiga dela, dá em cima dela descaradamente ao que ela, muito educada, responde que poderiam ser amigos. O cara fica chateadão e aplica a moral falida de que men and women can't be friends because the sex part always gets in the way. Sally segue seu caminho e não dá mais papo pra aquele homem escroto. 10 anos e duas separações depois, eles se reencontram e aí rola uma amizade, coisa que o babaca do Harry disse que não seria possível jamais, e tudo está bem: eles cantam músicas constrangedoras em público, assistem a filmes e comem bobagens juntos. Até que um dia, quando Sally descobre que seu ex vai casar e fica fragilizada, Harry vai na casa dela e eles acabam indo pra cama. Isso não poderá acabar bem, é o que você, eu e todos nós pensamos. E não acaba mesmo. A não ser na mente maluca do roteirista que total forçou um amor romântico entre os dois e fez com que a Sally cedesse às investidas do Harry, mesmo após ela ter dito trocentas vezes que apenas não, porque ele é babaca. Aí rola o """"amor"""". Fim.

Basicamente a história de como se pode arruinar uma amizade com sexo. Ou de como os homens são babacas mesmo, não dá pra negar isso.

Os Harrys da vida, eles existem em mais quantidade do que podemos pensar. É o tipo de cara que é rejeitado, mas nunca deixa o ego ser ferido. Dá um tempo, vai insistindo, insistindo, insistindo até conseguir o que quer e dizer it was a big mistake, let's be just friends, sumir por semanas pra depois se "dar conta" de que ninguém mais vai aturá-lo a não ser aquela garota bacana que o aturou como amigo e que o achou suportável a ponto de ir pra cama com ele. Aí ele dá a louca e começa a persegui-la incessantemente.

O problema do filme é que a Sally foi escrita para ceder. Foi escrita como uma mulher que tá lá, ouvindo o tal do "relógio biológico", e meio que se convence de que ama o tal do Harry. Só que não, né.

É por isso que eu não gosto de comédias românticas. 
Os filmes deturpam o sentido de romance.
E fazem com que as mulheres pareçam umas desesperadas por carinho e atenção de qualquer pinto que seja, mesmo que for o cara mais escroto num raio de 450 quilômetros. 

~the fucking angel of death and arrogance~ 

Incrivelmente, gostei do filme. Deu pra dar umas risadas - se bem que QUALQUER FILME me faria rir após ver Misery. Riria até com Donnie Darko àquelas alturas. 

Mas também tem aquela questão de que todo mundo se derrete porque o Harry, pra conquistar a Sally, diz que when you realize you want to spend the rest of your life with somebody, you want the rest of your life to start as soon as possible. E né, problemático. POR QUE ESSA OBSESSÃO COM O RESTO DA VIDA? Não basta a vida presente? Cê não tem o passado: ele já foi, já passou, já escoou, você não o tem mais. Cê não tem o futuro: pode ter uma perspectiva de algo, uma vontade, um desejo, uma garrafa de guaraná te esperando em casa quando você está no ônibus morrendo de sede e se perguntando o sentido de sua existência enquanto um cara suado te esmaga contra a janela. Cê tem apenas o presente, o que está sendo vivido neste momento. Se ele é uma droga, mude isso. Mas não coloque todo o resto da sua vida em concordância com a expectativa que você tem quanto a outras pessoas. Isso não é apenas egoísta como muito, muito estúpido. 

Isso pra nem dizer que ainda há diálogos totalmente naquele esqueminha masculino de colocar as outras mulheres pra baixo apenas para levantar outras. 

Harry: There are two kinds of women: high maintenance and low maintenance.
Sally: Which one am I?
Harry: You're the worst kind; you're high maintenance but you think you're low maintenance.
Sally: I don't see that.
Harry: You don't see that? Waiter, I'll begin with a house salad, but I don't want the regular dressing. I'll have the balsamic vinegar and oil, but on the side. And then the salmon with the mustard sauce, but I want the mustard sauce on the side. "On the side" is a very big thing for you. 

HIGH MAINTENANCE O RETO DO INDIVÍDUO (como sou polida, risos).
Vamo avisar pra o querido que isso NON ECSISTE? O que existe é gente que gosta da pessoa e gente que não gosta. Gente que gosta da mulher em questão e gente que só tá ali com o objetivo de meter coisas em buracos - porque essa é a visão que a maior parte dos homens têm da maioria das mulheres. 

Mas a ceninha do orgasmo fake, ela vale o filme todo. ♥ 


Harry insiste que é o pica das galáxias e fez todas as mulheres com quem foi pra cama gozarem, sendo que nenhuma fingiu um orgasmo pra não ferir o frágil ego dele. Sally, então, dá uma lição prática da coisa. ♥ 
DEIXA 
COM 
CARA 
DE 
UVA 
PASSA 
♥ 

~apenas~

Por isso, não dá pra ser feliz com comédias românticas - ou romances propriamente ditos. Enquanto mostrarem mulheres descobrindo um "amor" apenas por cansaço, por insistência abusiva do cara ou por carência porque o ex tá com outra, não conseguirei gostar realmente de um filme desses ou, de fato, assisti-lo sem ficar problematizando a coisa a cada cena. Se fizeram isso até em Mulan (vamos lembrar que o cara só fica a fim dela porque ela age "como homem"?), que o fará com o resto dos romancezinhos por aí. 

O dia em que representarem DE VERDADE a dinâmica de um romance sem estereotipar a mulher, me chamem. Até lá, me deixem com meus filmes de sci-fi.

Em um gif:

2 comentários:

  1. Eu nunca assisti a esse filme, mas olha, ele é basicamente o que todas as comédias românticas são (e aí entramos em mais um problema, o clichê) e cara, escrotidão é uma palavra que define bem esse personagem, pelo visto.
    Acho que eu não iria problematizar tanto quanto você ao assisti-lo, mas sim, algumas das situações eu iria notar e achar uma bosta. Digo "iria" porque não pretendo assistir ao filme, hahaha.
    Mas seria bom que começassem a criar personagens femininas mais reais e tirassem toda essa camada de machismo dos romances, porque né, tá na hora.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Eu também nunca vi esse filme, mas ele é realmente o resumo da maior parte - senão todas - das comédias românticas. A mulher é sempre estereotipada como aquela que precisa do tal "amor", do "romance" para ser feliz e seguir a vida de forma "normal". É complicado. Eu assisto algumas, mas são raras as exceções. E estou com você, melhor continuar com os sci-fi <3 Um beijo : *

    ResponderExcluir

 
Wink .187 tons de frio.