A vida me fez blasée

Cada vez que acontece uma cagada bizarra na minha vida - o que acontece com uma certa frequência, na verdade - eu fico me perguntando com que cara aparecerei no outro dia pra lidar com as pessoas envolvidas no processo. 

Aí eu lembro que: quem conseguiu, 6h após o término mais ridículo de namoro possível, aparecer com a cara inchada, os olhos vermelhos e uma marca de aliança na mão numa sala de aula pra ser coleguinha da pessoa, que a menos de 24h era seu namorado, por mais um semestre inteiro (inclusive, me lembrem de contar essa história, MELHOR HISTORINHA), consegue qualquer coisa. E sem fazer drama, que o drama ficou pra trás junto com minha mochila de caveirinhas (sdds mochila de caveirinhas emo, inclusive). 

Isso me consola em níveis que jamais conseguirei expressar com exatidão. 

E as pessoas ainda se surpreendem com como eu consigo ter essa cara de Monalisa estática pra qualquer situação. MEU AMÔ, não é como se eu tivesse muitas opções, vejam bem que a vida me fez blasée e é o que temos pra esta encarnação.


3 comentários:

  1. Não vejo a hora de ler a historinha, PORQUE MENINA EU NEM LEVANTARIA DA CAMA PROVAVELMENTE

    Novembro Inconstante

    ResponderExcluir
  2. Acho que você não deve satisfação de nada pra ninguém e mesmo que aparecesse em sala de aula com um moicano verde limão é isso: ninguém tem nada a ver com o que você faz ou deixa de fazer, blasée ou não. =P

    ResponderExcluir
  3. Gente que recebe a lapada do término de namoro e ainda diz "agora vai lá e me paga uma cerveja". Quem nunca ?

    ResponderExcluir

 
Wink .187 tons de frio.