Precisamos falar sobre estupro

Acordei pra abrir o facebook e me deparar com uma solicitação de amizade do meu estuprador que, inclusive, tem 10 amigos em comum comigo. Dez. Todos pessoas da família. Dez. Incluindo familiares que sabiam do que estava acontecendo, que viveram aquele período comigo e que, mesmo assim, não me acreditaram. 

Abri o facebook e vi uma pomba branca voando na tela, anunciando o Dia Internacional da Paz. Ela voa pra lá e pra cá e é livre para perdoar e seguir em frente, para desfazer conflitos e ter o coração cheio de amor. Mas eu não sou. Não sou porque como poderia ser se há anos que virei essa pessoa destroçada, esse ser amorfo que se encolhe ao mínimo toque, que não se entrega, que tem medo, que não consegue nem ao menos dormir porque tem pesadelos vívidos que envolvem estupros não apenas do corpo, mas também da alma? 

Abri o facebook e, logo após a solicitação de amizade da pessoa que destruiu a minha vida e da pomba branca da paz, havia a notícia dizendo que 42% dos homens dizem que mulher que se dá ao respeito não é estuprada. 42%. Sabem o que isso quer dizer? Que quase metade da população masculina entrevistada - lembrando que isso é apenas uma amostragem e o número certamente é bem maior - pensa que a culpa do estupro é toda minha. Que meu estuprador não passou de um homem agindo de acordo com seus instintos, coitado, ao ver uma guria ali, não se dando ao respeito, de roupa curta, provocando-o ao usar um short num dia de calor. 

Fim de semana passado o Fantástico exibiu uma reportagem sobre pedofilia no país e um especialista foi lá falar que a pedofilia é uma doença e seu portador - portanto, o pedófilo - precisa de tratamento, pois é doente. Chamar o pedófilo de doente nada mais é do que inventar uma desculpa para que o homem, mais uma vez, saia por alguém que não pode se controlar, que merece ser desculpado, cujas atitudes têm de ser analisadas com cuidado porque o pobre portador da pedofilia não tem domínio sobre seus atos. 

Eu tinha 13 anos quando fui estuprada por um homem de 40. Um homem que vivia dentro da minha casa, um homem que era parte da minha família próxima, um homem que tinha a confiança de meus pais, meus irmãos e minha. Não fui estuprada por um bandido perigoso no meio da noite, na rua, ao voltar de uma festa. Não fui estuprada por um desconhecido, numa esquina. Não fui estuprada por uma pessoa mentalmente perturbada que fazia tratamento contra suas doenças psicológicas. Não. Fui estuprada por uma pessoa saudável em todos os sentidos, por um homem que não tem doença psicológica alguma, que possui pleno controle de seus atos e que mesmo assim estuprou a mim, sua sobrinha, simplesmente porque quis, porque tinha poder suficiente para isso, porque sabia que eu jamais conseguiria revidar e se sentiu grande ao ver uma criança subjugada à sua vontade. 

Estupro é sobre poder. Pedofilia também. Não é doença, não é algo a ser tratado, tampouco incontrolável. A sociedade em que vivemos é extremamente patriarcal e ensina os meninos, desde pequenos, que as mulheres não passam de buracos onde eles podem meter, satisfazerem suas vontades. 

Toda vez que alguém, numa roda de conversa, fala sobre perda da virgindade e pergunta como foi a minha primeira vez eu não posso responder, dou um sorriso enviesado e saio do meio porque eu não perdi a minha. Me foi arrancada. Eu nunca mais consegui confiar em alguém, perdi a docilidade que tinha, perdi a visão bonita sobre as pessoas, virei esse bicho do mato que não confia em ninguém, que sofre de insônia e tem crises de choro silencioso no meio da madrugada.

O cara que me estuprou me mandar solicitação de amizade indica algumas coisas: a. ele está de olho em mim de novo; b. se ele puder, me estuprará novamente; c. o sistema não funciona porque se funcionasse ele estaria apodrecendo na prisão; d. não posso andar sozinha porque se ele me atacar e eu conseguir revidar e acabar matando-o, quem irá presa será eu e ainda me condenarão por não ter denunciado antes sendo que sempre que tentei denunciar me diziam que faltavam provas porque aparentemente anos de um psicológico quebrado e um emocional ferrado não são o suficiente. 

Mais uma vez estou aterrorizada e terei medo de ir à faculdade hoje. 
E ninguém se importa porque a culpa, afinal de contas, é minha. Por ser mulher. Por usar roupas provocantes. Por estar no lugar errado na hora errada. Por não perdoar meu pobre estuprador. Por não conseguir seguir em frente. Por não lhe oferecer ajuda e tratamento psicológico para sua doença. A culpa é minha e de mais ninguém. 

11 comentários:

  1. Mia, não sei nem o que te dizer, portanto deixo meus sinceros sentimentos e solidariedade à tua dor. Queria poder te colocar num potinho e proteger por resto da vida, nenhuma mulher merece passar por uma coisa dessas. </3

    ResponderExcluir
  2. Não consigo colocar em palavras o que senti lendo teu texto.
    De coração, te envio boas vibrações e espero que as sinta.
    Proteção para ti, proteção para todas nós!

    ResponderExcluir
  3. Li no celular o post e vim correndo no navegador comentar.
    Em primeiro lugar: SEXO ESTÁ SENDO ESTIMULADO NAS ESCOLAS. Em poucos anos, crianças vão começar a achar normal adultos pedindo coisas a elas; quando elas fizerem 13, não vai ser estupro, vai ser normal. Quando elas tiverem 40, vão achar normal fazerem com crianças de 13.
    ISSO É PERIGOSO E ISSO É DOUTRINAÇÃO. Não há nada de "quebrando o tabu" estimular sexo em crianças. Isso se chama SEM-VERGONHICE e me dá nojo saber que uma das correntes que quer mostrar duas meninas se beijando num vídeo disse nos bastidores que ficou meses discutindo até onde a língua de uma entrava na boca da outra. Porque o assunto é assim, tão sério.

    Superado isso, o que eu vim te dizer é o seguinte: bloqueia esse bosta.
    Simples assim. E, se possível, bloqueia ou põe nos restritos essas dez pessoas. Por quê? Porque ele, sendo amigo delas, e elas curtindo coisas tuas, vai ver tudo o que acontece na tua vida se tu compartilhar, inclusive se eles são classificados como Amigos e não como Conhecidos.
    Eu não duvido que ele já tenha te rastreado, lido esse blog, visto como tu marcou a vida dele, e agora ele está querendo novamente ter algum acesso. Te fazer esse pedido de amizade é mijar na tua cara, porque eu garanto que ele lembra muito bem o que ele fez contra ti.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem observado. Tem que restringir o acesso dele a tua vida o máximo possível.

      Excluir
  4. Caramba, eu fiquei aterrorizada agora. Quem dera a gente tivesse super-poderes pra nos protegermos. Mas eu to com você, mesmo sem te conhecer pessoalmente, enviando energias positivas e força, espero de coração que fique tudo bem!

    ResponderExcluir
  5. Mia, li o post mais cedo e não consigo tirá-lo da cabeça. Fico pensando e pensando e pensando e não sei mesmo o que te dizer. Ninguém merece esse tipo de coisa. Sinto muito, muito, muito mesmo que você tenha passado por isso. Fico triste, fico revoltada, fico com vontade de te abraçar e de ter super poderes para fazer tudo o que você sente em relação a isso sumir. Ou de voltar no tempo e mudar tudo.
    Te mando força e energias positivas. Estou torcendo por você e espero que tudo fique bem.
    Abraços fortes!

    ResponderExcluir
  6. *abraço* Cara, que foda =( Não tem nada que eu possa dizer pra te fazer sentir melhor, só que se houvesse uma máquina do tempo, eu usaria pra matar cada babaca desse antes desses crimes acontecerem! Não existe razão pro estupro nem redenção, uma pessoa dessas deveria ser varrida do universo. Se cuida, dá uma olhada na lei, mas eu acho que li por ai que criança/adolescente estuprada tem uma grande janela pra denunciar o criminoso depois de adulta (se quiser fazer isso).

    ResponderExcluir
  7. Meu Deus! Em primeiro lugar, não consigo expressar o que estou sentindo agora depois de ler este texto, tudo o que eu queria mesmo era poder fazer algo realmente útil para te ajudar( se eu puder, não hesite em pedir ajuda). Em segundo lugar, por favor, não saia sozinha, chame alguma companhia. Em terceiro lugar, mulher, vamos colocar este criminoso atrás das grades, no mínimo, na justiça, seus crimes TEM que ser expostos. Eu não sei nem o que falar, e só de imaginar que você é "apenas" mais um caso entre tantos outros semelhantes, fico enojada. Enfim, que sua vida seja cheia de luz!

    ResponderExcluir
  8. toda a força do universo pra você, mana! tô torcendo de verdade por você, pra que você consiga passar por mais essa barra. se cuida! <3

    ResponderExcluir
  9. Esse é realmente um assunto que deve ser mais debatido para acabarmos com esse problema ou pelo menos com a impunidade e a cultura do estupro. Muita força para você!

    ResponderExcluir
  10. Esse cara é doente. Não doente por trauma. Esse filho da puta escolheu ser doente. Esse cara é abusivo. Não tenho idéia do que tu tá sofrendo. Comigo nunca aconteceu algo assim. Acho que tu pode e deve usar o medo como combustível pra, sei lá, se manter alerta. Cuidado nunca é demais. Um familiar ainda por cima. É demais.

    ResponderExcluir

 
Wink .187 tons de frio.