23 verões à espera da nave-mãe

A coisa que eu mais gosto em fazer aniversário é receber textão dos amigos dizendo como eu sou linda, inteligente & divertida. A coisa que menos gosto em fazer aniversário é... bem, fazer aniversário. 

Tenho um certo problema com dias como aniversário porque parece que a pessoa tem a obrigatoriedade ser ser feliz e, veja bem, a vida não é assim, meu amô. A vida é você acordar às 5h, no dia do seu nome, e ter que sair correndinho porque precisa atravessar duas cidades pra chegar no trabalho e ter trocentas coisas, como operação da PF e coletiva de imprensa. Aí você, que já está numa vibe hello, darkness, my old friend e, pra completar, com tpm, vai começar a chorar porque o namorado quer sair pra almoçar com você, pra celebrar esse magnífico dia, no entanto seu salário está atrasado e você não tem passagens pra isso e odeia depender das pessoas, mesmo que elas não se importem, porque você foi criada pra ser um ser independente e autossuficiente, mas não contava com uma coisa louca chamada vida adulta. 

Agora, alguém aqui está preparado pra ser adulto aos 23? Não sei vocês, mas eu não apenas não estou como me sinto cada dia mais despreparada. 

Quando eu tinha 13 anos super achava que, aos 20, já estaria quase formada na faculdade, teria encontrado o Amor da Minha Vida™ e seria linda. Hoje faço 23 e já troquei de curso na faculdade, deixando toda uma graduação pela metade, não acredito mais em Amor da Minha Vida™, no entanto tenho um namorado muito querido e com quem me imagino dividindo, sim, meus dias daqui pra frente e, bem, digamos que já estive mais bonita.

Só que a questão não é essa, nunca foi. Eu me escondo por trás de questões menores como metas, listas, planejamentos de anos e décadas quando, na verdade, o grande problema é que: está chegando o dia em que realmente terei de assumir, sem ajuda de terceiros - ou segundos -, os rumos da minha vida e pegar toda a responsabilidade que o universo chama de vida adulta e carregá-la por aí, como um fardo.

Quer dizer, tem toda a questão do fardo de ter 23 e a recém estar no 3° semestre da faculdade porque decidiu, olha só que ideia boa, trocar de curso na metade, não é mesmo. Aí que todo mundo que um dia foi tua colega já se formou ou está se formando e você está onde? Isso mesmo, ainda tendo cadeiras com calouros porque não basta não estar nem na metade da nova graduação, não. Era necessário também ter trancado algumas disciplinas e ter, ainda, de fazer aulas do 1° e 2° semestres. Tudo isso enquanto trabalha loucamente o dia inteiro, porque tem a assessoria de imprensa pela manhã, as reportagens do jornal à tarde e a aula à noite, contudo, durante os intervalos, há que se vender doces - trufas e afins - porque as contas, elas não param de chegar.

E onde fica a vida nisso tudo? A vida a gente vai ajeitando. Uma folga aqui, um feriado ali, dormir na casa do namorado, fazer sessão pipoca cazamiga, comer bergamota debaixo de uma árvore e rir do ridículo da vida... Ela acontece enquanto estamos muito ocupados pagando contas.

E meio que acho que isso é virar adulto: estar ocupado pagando contas. Quando, na verdade, você queria era estar aproveitando esse ínfimo tempo de juventude que ainda lhe resta pra desbravar o mundo, acampar no Himalaia e levar uma mordida de um urso polar enquanto observa as luzes do Norte. Mas você encarnou como proletária brasileira, então fecha a boquinha a-go-ra e vai trabalhar mais um pouco pra tentar comprar uma casa, uns miojos e uns molhos de procedência duvidosa, porém super certificados pelo senhorzinho do mercado da esquina.

Quem é que disse que tô amarga, hein? Tô amarga, não, gente. Tô só com sono mesmo.

Afinal, 23 anos, né. A pessoa precisará acordar daqui a 6h e está fazendo o quê? Escrevendo num blog. RISOS NERVOSOS.


Parabéns para mim (e para as minhas invejáveis habilidades gráficas, como vocês podem perceber na exímia montagem acima). 

12 comentários:

  1. Hii Mia c:
    Oia, eu acho que esse negócio de vida adulta é só fabula, e tenho certeza que os adultos, quando a gente era criança, não tinham certeza do que estavam fazendo também. Eu super entendo essa ansiedade que dá :c essa sensação da vida estar engolindo os nossos "melhores" anos né :c mas olha, assim, a vida é como a gente encara. Já que estamos aqui, vamos dançar, né non
    Ah, e outra coisa, mas nem de looonge você tem que ficar bolada com estar fazendo faculdade com os calouros. Na minha facul esta cheio de gente que encontrou com mais de ~25, sério, ce só tem 23, eu é te admiro, por ter tido coragem de mudar de curso. Eu sei que dá uma dozinha no coração ver seus colegas seguindo em frente e você "ficando pra trás" (e como sei sausha) mas na verdade não existe essa de ficar pra trás. E depois, ahh u .u ce ainda tem 23. Vai ficar tudo bem
    (coisa que eu amo nos blogs: compartilhar as dores e ver que tem outras pessoas em situações parecidas (pq eu super entendi vc shauhsa))
    BJBJ
    ~ 4mor-nuvem

    ResponderExcluir
  2. Ser adulto não existe, é pura alucinação coletiva.

    ResponderExcluir
  3. Logo mais completarei 20 invernos e posso dizer que me sinto exatamente da mesma maneira. Trabalhando e estudando exaustivamente para tentar um lugarzinho ao sol. É foda, com o perdão da palavra.

    E, pra completar a história, também estou na segunda graduação, porque larguei a primeira e foi cerca de 1 ano e meio da minha vida para o ralo. É como dizia o ditado: fazer o quê, não é mesmo? ¯\_(ツ)_/¯ Vida que segue, porque a roda não para de girar. Vamo se abraçar? HAHAHA

    Beijos,
    Attraversiamo

    ResponderExcluir
  4. Vou fazer 26 anos e ainda não me acho adulta. Amo fazer aniversário pois ganho muita atenção no dia, mas e depois? Só me sindo mais velha e com poucas coisas conquistadas.
    E vou começar a segunda graduação, porque a primeira não me ajuda a arrumar emprego.
    Beijos, Aline
    Verso Aleatório

    ResponderExcluir
  5. Mulheeeeeeer, tô a beira dos 30 e não tô adulta. Tô escrevendo em blog e twittando merda. E olha, cá entre nós, não quero ficar adulta não.

    ResponderExcluir
  6. Vou fazer 20 anos em julho e estou à beira da crise. Bem, quando chegar lá estarei partindo pro quinto semestre da faculdade. Então a metade da faculdade se adequou nos meus planos. Finalmente alguma coisa concreta. Mas o Amor da Minha Vida não aconteceu. Eu mal sei me organizar com o pouco salário que tenho e não vejo nem planos pra sair de debaixo da asa da mãe - e às vezes parece ser impossível sair, é tão bom estar aqui...

    Enfim, feliz aniversário! Pelo menos toda aquela tensão do pré-aniversário está findada e você pode voltar a sorrir - mesmo que um cóccix ainda dolorido. Não se cobre tanto. A vida nem sempre é como a gente quer - tipo nascer proletária brasileira -, mas é só focar nas coisas que fazem a gente feliz que acaba ficando mais leve de ir levando. E afinal, você só tem 23. E tem até os 60 pra tentar ser adulta.

    Beijos do Conto Paulistano

    ResponderExcluir
  7. Mia <3
    Primeiramente, FELIZ ANIVERSÁRIO (atrasada, desculpe). Te desejo todas as coisas boas que as pessoas gostam de desejar nessa época do ano e te desejo também muita força, porque, olha, não tá fácil.
    Essa coisa de vida adulta é, na real, uma furada. Acho que, sei lá, a última geração de adultos foi a dos nossos pais. Falando como alguém que já passou dos 23 e tá cada vez mais perto dos 30 (ainda tenho uns anos), não faço a menor ideia do que significa ser adulto. A gente vai tentando, a vida se ajeita, mas, sério, continuo tão perdida quanto quando tinha uns 22.
    Sobre fazer aniversários, acho meio ~estranho~. Gosto, porque sou toda ligada nessas coisas de "ah, um novo ciclo que começa e blablabla" e adoro ganhar presentes e comer bolo. Mas toda a ideia de ficar mais velha e mais perto da morte me deprime absurdamente. Bom mesmo era fazer aniversário quando eu era criança. Festinha com salgadinhos e refrigerante <3

    ResponderExcluir
  8. Parabéns para tu (tá atrasado, mas tá parabéns).

    Não se preocupe tanto com a vida. Esse ano eu faço 30 e ainda não me sinto madura suficiente para encarar a vida adulta. Só ver que ainda continuo no blog e resolvi, depois de velha, que a graduação que me formei (engenharia química) não é pra mim e não é isso que sonho fazer a vida inteira. Oi? Pois é.

    Tudo no seu tempo. Sorte a tua que mudou antes de se formar. No mais, a vida se encarrega de ajeitar. Vai por mim ;)

    Beijocas

    ResponderExcluir
  9. uma vez tava surtando assim e desabafei com minha mãe e ela disse que entendia e que se sentia assim também. MINHA MÃE QUE TEM DUAS FILHAS ADULTAS às vezes não se sente adulta suficiente pra lidar com as adversidades da vida. Cada nova experiência, meta ou desafio a gente nunca acha que tá preparado e sempre se sente um nenê prestes a cair no abismo. É a vida e acho que a gente não pode se pressionar com isso.
    FELIZ NIVER ATRASADO <3

    ResponderExcluir
  10. Novata aqui e já amando...
    Caramba que perfeito. Parabéns..

    Será que posso divulgar meu blog aqui???
    retalhos-meus6.webnode.com

    ResponderExcluir
  11. Se eu tenho 17 e estou surtando, com esse seu texto eu vi que piora com o tempo (risos)...
    Amei o texto

    ResponderExcluir
  12. HAha, que ótimo texto.
    Me fez rir e querer chorar também.
    Entendo o drama de ter mudado de faculdade, ter que andar com os calouros quando você já não é, e ver a galera se formando e você aí nessa vida....

    ResponderExcluir

 
Wink .187 tons de frio.