O livro do riso e do esquecimento

O livro do riso e do esquecimento
Milan Kundera
Companhia das Letras
265 páginas
Ano de publicação: 1979 
Sobre o que é: na época da invasão russa à Checoslováquia, falar mal do governo não fazia bem à saúde, e as personagens desse livro são exemplo disso. O riso era proibido no comunismo soviético, e, se você era adepto de piadas, logo era levado ao esquecimento, ora pela morte, ora pelo exílio. Kundera viveu tudo isso e conta, durante as sete partes do livro, como foi sua experiência tendo de viver clandestinamente em seu próprio país por não concordar com a invasão russa. De escritor de ficção, o cara passou a astrólogo improvisado e anônimo pra poder sobreviver, isso até os seus amigos começarem a ser perseguidos por ajudá-lo. Tudo isso é contado entre personagens que representam arquétipos da alma que luta contra o esquecimento do exílio.

Por que ele é bom? Porque ele nos mostra os fatos de dentro da invasão russa através da perspectiva de um cara que viveu tudo isso e teve a coragem de escrever sobre. Mas o mais legal é que o Kundera não faz isso de uma forma linear: ele cria personagens e histórias para fazer analogias e alegorias. O que diabos é uma alegoria? O dicionário responde:
alegoria: 1. uma representação figurativa que transmite um significado outro que o da simples adição ao literal. 2. ficção que apresenta um objeto para dar ideia de outro.
Então, o livrinho é dividido em 7 partes, cada uma com uma espécie de conto que mistura ficção com análise psicológica dos motivações das personagens, com um panorama histórico e, a parte mais incrível, na minha opinião, autobiografia dos momentos tensos que o Milan passou sendo perseguido pelo governo russo.
A polícia secreta queria nos matar de fome, nos reduzir à miséria, nos obrigar a capitular ou a nos retratar publicamente. Era por isso que ela vigiava com atenção as lamentáveis saídas pelas quais tentávamos escapar do cerco, e castigava duramente aqueles que emprestavam seus nomes. (p. 71) 
É um livro indefinido que te deixa cheio de sentimentos e inquietações que, literalmente, podem mudar a sua vida. "O Livro do Riso e do Esquecimento auto-intitula-se de romance, apesar de ser em parte conto de fadas, em parte crítica literária, em parte tratado político, em parte musicologia e em parte autobiografia. Pode auto-intitular-se como bem quiser, porque é genial no seu todo." (The New York Times)

"Mas, Mia, ele só fala de política?" Olha, vejebem o que eu disse e cê entenderá que não. Ele fala sobre os acontecimentos de 1968, sim, mas fala também do cerumano e de sua necessidade de vencer o passado, de ser melhor, de apagar os seus erros e voltar à infância, voltar à época em que tudo era bom e não tínhamos de lidar com essa coisa chata chamada responsabilidade. NÃO É UM LIVRO SÉRIO! Ou é, mas não de forma chata. Ele é um livro que fala sobre coisas séries de uma forma legal. É simplesmente sensacional.

Por que ele é ruim? Não tem como um livro do Kundera ser ruim. Ponto.

Se eu recomendo a leitura? Não apenas recomendo como não sei o que cê tá fazendo aqui que ainda não foi atrás desse livro - e de todos os outros livrinhos do Kundera. SÉRIO, GO GO GO! Eu queria dizer mais sobre, mas não quero estragar o sentimento que cês terão ao ler essa coisa incrível.

Em um quote:
A constituição, é verdade, garante a liberdade de palavra, mas as leis punem tudo que pode ser qualificado de atentado à segurança do Estado. Nunca se sabe quando o Estado vai começar a gritar que essa palavra ou aquela atentam contra a sua segurança. (p. 10) 
Este post faz parte do Desafio 50 livros de 1900 para ler antes de morrer. Confira aqui a lista com todos os títulos que lerei até sabe-se lá quando. \o/   

19 comentários:

  1. Uau! Fiquei curiosa. O título já tinha me chamado atenção de cara. Tô pontinha, mas quando tiver dinheirinhos vou procurar. Amo seu jeitinho de resenhar Mia ♥

    Bjs,
    Re

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bom?
    Comecei com o meu blog agora… Vou estar postando conteúdos frequentemente que tal uma visitinha?
    http://tortademoranngo.blogspot.com.br/
    Desde já: Thanks!

    ResponderExcluir
  3. já li 2 livros do kundera e gostei em demasia! a escrita dele é maravilhosa. já tinha visto esse na livraria e agora estou mais interessada. você já leu "a insustentável leveza do ser"? beijos :***

    ResponderExcluir
  4. Eu tenho que tá no clima pra possível desgraçamento mental pra ler? Porque ainda ando evitando desgraçamentos voluntários de cabeça, não tô sabendo lidar nesses últimos tempos com a vida, o universo e etc e tal.

    ResponderExcluir
  5. Olá,

    Não conhecia o livro, mas achei a temática muito interessante e enriquecedora. Sei muito pouco sobre o assunto, por isso seria uma oportunidade de aprofundar. Adorei conferir suas impressões e obrigada pela dica.

    Abraços,
    Cá Entre Nós

    ResponderExcluir
  6. Hey!
    O livro me pareceu bem diferente, eu sempre gosto de histórias com essas temáticas séries de politica, e fiquei bem a fim de ler, eu não me lembro nem de ter ouvido falar do autor, rs. Flores no Outono 

    ResponderExcluir
  7. Olá, tudo bem?
    Não conhecia a obra e confesso que não me chamou muito a atenção, pelo menos por enquanto é uma leitura que eu não faria, mas quem sabe mais na frente né? Amei a resenha.Beijos

    ResponderExcluir
  8. Esse livro é ótimo e a forma como os personagens são desenvolvidos é surpreendente, realmente, uma leitura magnífica, excelente indicação.

    ResponderExcluir
  9. Olá, tudo bem?
    Achei um livro diferente e interessante. Parece ser um livro que devemos ler, pois irá mudar nossa perspectiva de um certo evento.
    Gostei muito da sua resenha!
    Beijos, Larissa (laoliphant.com.br)

    ResponderExcluir
  10. Eu amo o Kundera, ele me parece aqueles escritores que escrevem para não enlouquecer, sabe? Dele já li A insustentável leveza do ser e A identidade. Tenho mais três títulos do autor para ler, apesar de ser bem cautelosa no timing, já que ele pega fundo no meu coração e me deixa meio baqueada.
    Esse título eu ainda não conhecia, mas já quero!

    Beijos
    www.jadeamorim.com.br

    ResponderExcluir
  11. Nunca li um livro do Kundera, mas tenho muita curiosidade.
    Acho a premissa interessante, mesmo não gostando de livros que tenham relações com guerra.

    ResponderExcluir
  12. Não conhecia o livro. Amei sua resenha e já quero pra ontem! Ainda mais lançado pela Cia das Letras <3 Deve tá lindo!

    ResponderExcluir
  13. Primeira vez que vejo sobre esse livro, e se o visse em outro lugar a capa não teria me chamado atenção, mas adorei a sua resenha e com certeza seria um livro que eu leria

    ResponderExcluir
  14. Pode soar confuso, mas parece quelas leituras que doem na alma, mas também deixam uma reflexão boa ao leitor, sou louce né? kk mas foi o que senti da obra ao ler tua resenha.

    ResponderExcluir
  15. Oii, tudo bem?
    Esse não é o tipo de livro que eu costumo ler isso me lembra que tenho que sair um pouco da minha zona de conforto, Mas gostei bastante da forma que você expôs o conteúdo do livro e da premissa dele. Quem sabe um dia eu acabe lendo.
    Parabéns pelo blog.
    Abraços Mary

    ResponderExcluir
  16. Oi!
    Nunca li nada do autor e só conhecia dele até agora "A insustentável leveza do ser", que sou louca pra ler :)
    Fiquei curiosa pra ler esse também, vou colocar na minha lista.

    Bjs!

    ResponderExcluir
  17. Olá!
    Eu adoro as capas dessa coleção!
    Eu não li, mas vou querer ler sim, estou numa vibe de livros que falam de politica, e clássicos e afins! Obrigada pela dica!

    Bjus

    ResponderExcluir
  18. Oiii, tudo bem?
    Eu nao conhecia essa obra e fiquei feliz de ver que tu tenha trazido essa indicação para nós leitores que acompanhamos seu blog, é uma leitura diferente e única.
    Beijinhos da Morgs!

    ResponderExcluir
  19. Nunca li Kundera ainda e sinceramente gostaria de começar pelo livro mais bem falado dele e que eu sempre via tu falando bem pelas internet da vida. haushu' Daí quero partir para os outros menos falados, caso eu goste do que ler. Com certeza ele é um autor que tá na minha meta de autores para conhecer <3

    ResponderExcluir

 
Wink .187 tons de frio.