Aura

Aura
Carlos Fuentes
L&PM
66 páginas
Ano de publicação: 1981 
Sobre o que é: um historiador recém-formado tá procurando emprego e acha um anúncio bizarro, que parece ter sido feito pra ele, num jornal. Ele decide que tá estranho, mas okay, e vai conferir. O cara vai parar numa casa bizarra onde não tem uma luzinha sequer, tudo é mofado e com cheiro de tumba. Lá, ele fala com uma anciã toda errada que quer porque quer pagar uma quantia absurda pra ele escrever uma biografia do marido dela, que morreu há 60 anos. Mas com uma condição: ele tem que morar lá. O cara fica meio comequié e quer recusar, porém vê uma moça que vive lá com a senhorinha anciã, uma moça chamada Aura, fica bem babacão e nunca mais sai de lá. 

Por que ele é bom? Por causa da narrativa. O senhor Fuentes resolveu que todo o livro seria narrado na segunda pessoa e isso é muito legal porque a. é bem diferentão, já que quase não existem narrativas literárias na segunda pessoa e b. a pessoa realmente se coloca no lugar da personagem principal, já que tudo é descrito como "você abre a porta e encara uma escuridão que lhe abafa os sentidos". É como jogar um daqueles jogos de terror no uol* (adolescência nostálgica, quem curte) que te mandam um aviso do que tua personagem tá fazendo a cada movimento.

*Inclusive: tem um jogo muito legal que consistia numa caça de point-and-click numa casa assombrada e se você passasse por todas as fases chegaria a um sótão estilo irmãos Winchester, cheio de velas ritualísticas, sal e aquele pentagrama gigantesco tão amado no meio do chão. O problema: NÃO CONSIGO LEMBRAR O NOME DESSE JOGO! Faz alguns anos que o procuro e nada. Portanto, se alguma boa alma estiver lendo isso e souber do que eu estou falando, que tal dar aquele help amigo? Agradeço com receitinha-amor de bolo de cenoura. 

Por que ele é ruim? Não é ruim, só que não é bom. É ameno. Quer dizer, o troço tem pouco mais de sessenta páginas e a gente sabe que é difícil desenvolver uma boa história com um número tão limitado de caracteres, porém o livro é vendido como uma história de terror. E realmente tem muita gente que se assustou pra caramba com ele, mas eu não. O que me prendeu MESMO foi a narrativa, que é sensacional. Mas a história em si eu adivinhei lá pelo início da leitura.


Se eu recomendo a leitura? Sim. Não vai mudar tua vida, pode te deixar acordado à noite se você for uma dessas pessoas que se apavoram com tudo e ainda tem medo de episódios de Supernatural ou não consegue terminar de ver Penny Dreadful porque que medo. Mas pode ser que apenas seja uma história legal pra ler numa viagem de ônibus de volta pra casa. Então, vale a pena a leitura. Mas não espere ser algo catártico ou marcante. É o tipo de livro que se lê entrelivros: quando você recém terminou um, mas ainda não está pronto pra encarar outro de fôlego. 

Em um quote: 
Querem que estejamos sós porque dizem que a solidão é necessária para se alcançar a santidade. Esqueceram-se de que na solidão a tentação é maior. (p. 43) 

18 comentários

  1. Adorei tua resenha hahaha
    Vou ler, sem dúvida alguma, porque gostei do jeito que você descreveu o livro e agora tô curiosa.

    ResponderExcluir
  2. Olá Mia,tudo bem?
    Nossa não conhecia o seu blog, mas amei conhecer.
    Poxa que resenha legal, me diverti muito lendo. Infelizmente essa leitura não me prendeu, mesmo sendo uma boa narrativa ser uma história que pode me dar medo não faz meu estilo kkkk. No aguardo das próximas dicas.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. historiador, velha louca, fica babacão por causa de mulher, escrever numa casa zoada, "o cara fica meio comequié" (kkkkk Mia!), medo de supernatural (super tenho), quero ler esse livro já! me lembrou redações escolares e sonhos doidos.

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    realmente uma proposta diferente de narrativa, fiquei bem curiosa em saber como flui um livro assim, já que não é algo usual.
    Achei a premissa bem bacana, meio doida, mas legal. E sim, tenho medo de Supernatural, não assisto a noite HAHAHAHAHA. Mas é segredo.
    Beijos
    www.estilo-gisele.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi Mia! Gostei, adoro conhecer livros diferentes. Não sei se é meu estilo, mas achei sua resenha muito boa e interessante. Beijos!

    http://www.metamorphya.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi! Tudo bem? Infelizmente não curti o enredo desse livro. No momento irei deixar passar a dica quem sabe numa próxima, mas a sua resenha está demais. Parabéns.

    Atenciosamente Um baixinho nos Livros.

    ResponderExcluir
  7. Foi o MELHOR resumo de Aura que eu li na minha vida hauhauahuhau, Enfim, só não concordo contigo que o livro não é bom e não vai mudar a vida da pessoa. Claro, se você fizer uma leitura rápida, vai passar por cima de uma rede de símbolos e imagens que estão ali no livro esperando um leitor mais atento discernir. Todos os animais estão ali muito bem colocados, e o próprio título "Aura" já é indicativo de coisas muito interessantes, e não te parece super louco que duas mulheres sejam associadas a essa aura? Fuentes fala diretamente que esse livro é uma volta contra o machismo, que Aura e a sobrinha são uma pessoa só. E essa palavra "aura" é quase sinônimo, no livro, da palavra "fantasma", um par de olhos que nos observa o tempo todo, nos incomoda, mas que não está ali.

    E vale lembrar que o livro foi escrito nos anos 60 no México, uma época muito difícil pra o país, e a figura de Felipe e o pedido da senhora da cara, mostram, em uma possível leitura, uma tentativa de manter vivo o passado e uma tradição, em vez de olhar para o futuro que estava tão incerto na época.

    Enfim, minha opinião ^^
    Bjoo!

    Lady Salieri
    http://www.visaoperiferica.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aura é um dos meus livros preferidos. Eu já li umas 6 vezes e já dei uns 5 exemplares de presente, fora os empréstimos da minha edição já surradinha. Aura, assim como os contos do Carlos Fuentes em Inquieta Companhia foram leituras maravilhosas pra mim. <3
      Mas realmente das pessoas que leram pela minha indicação teve gente que gosto muitíssimo, e outras que acharam bem mais ou menos. Acho que vai muito do tipo de leitura que a pessoa prefere...

      Excluir
    2. Sim, eu sei desses aspectos e eu achei eles bem legais! Só que não me cabia falar sobre eles aqui porque essa não é a proposta do blog: a ideia é realmente fazer uma resenha didática, numa linguagem simples, sem muita análise literária - que eu deixo pra uma outra plataforma.

      ;*

      Excluir
  8. Não é o meu tipo de leitura, e eu pensei nisso quando eu li a sinopse do livro. Mas, depois de ler a sua resenha, apesar de ter me deixado interessada, eu sei que é uma leitura que eu vou me arrastar para fazer.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Olá,

    Não conhecia o livro e confesso que não é o tipo de literatura que estou habituada a ler, mas gostei muito da sua resenha. Futuramente pretendo dar uma chance, com certeza.

    Abraços,
    Cá Entre Nós

    ResponderExcluir
  10. Adorei tua sinceridade, mostrou o bom e o ruim do livro. Eu não leria nem que você tivesse amado porque não é meu tipo de leitura, mas foi bom ver suas ressalvas.

    ResponderExcluir
  11. Que narrativa diferente e criativa! Nunca havia visto um livro com enredo descrito na segunda pessoa e como gosto do gênero com certeza quero ler. Dica anotada!
    Beijos :*

    ResponderExcluir
  12. Eu conheço o livro, mas não o li, sei da narrativa dele, na faculdade, o professor de teoria literária discorreu rapidamente sobre o autor. Mas sobre os aspectos que você levanta sobre ‘ser ruim’ ou ‘recomendação da leitura’ não sei o que discorrer por não ter lido mesmo. Mas a verdade é que o livro muito me agradou ^^

    ResponderExcluir
  13. Olá Mia, apesar de ser um livro curtinho fiquei bem curiosa para lê-lo, mesmo não sem tão de terror assim <3 Adorei sua resenha.

    Meu Mundo, Meu Estilo

    ResponderExcluir
  14. Oie
    nossa, não esperava nada disso do livro pela capa hahaha veja só como não podemos julgar, eu provavelmente passaria reto numa livraria mas depois da sua resenha já quero ler

    beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Confesso que tenho medo de certos tipos de leituras, meio que passo longe desse tipo de livros. Achei interessante a premissa do livros, porém, não o leria no momento.
    Vou anotar o nome e ver se me interesso em ler depois.

    ResponderExcluir
  16. Se teve gente que se assustou pra caramba com ele, com certeza eu me juntaria a essas pessoas... sou medrosa demais, do tipo que não só não vê Supernatural mas também não passa nem perto se alguém estiver vendo pra não correr nem o risco de ouvir... rs... Adorei sua resenha, mas mesmo que a narrativa seja boa não é pra mim.

    ResponderExcluir