Partículas elementares

Partículas elementares
Michel Houellebecq
Editora Sulina
344 páginas
Ano de publicação: 1999 
Sobre o que é: Djerzinski e Bruno são caras completamente ferrados na vida, com uma família extremamente desajustada. Ambos são filhos da mesma mãe, uma hippie paz-e-amor dos anos 60, mas cada um tem um pai diferente - porém, nenhum deles dava a mínima pra os filhos. Eles foram criados pelas avós, mas enquanto Djerkinski virou um cara muito solitário, que não quer chegar perto de pessoas e apenas vive sob o nome da ciência, Bruno extravasa tudo sexualizando o universo e se tornando professor de Literatura no processo, fantasiando com suas alunas e sendo escroto até não poder mais. Coisas acontecem e a vida de ambos vai por uns caminhos muito loucos que literalmente mudarão a humanidade.

Por que ele é bom? Tenho um professor que é mega amigo do Houellebecq e passa os livros do cara como leitura obrigatória pra todo mundo. Aí que é aquela história: leitura obrigatória = leitura chata. Todo mundo que já tinha feito a cadeira me disse que o livro é horrível. Eu já fui toda armada pra fazer a leitura, mas lá pela página 20 tive de começar a dar o braço a torcer: DESGRAÇA DE LIVRO BOM!

Michel Houellebecq é um cara bizarro por si só, e eu realmente acho que tanto Djerzinski quanto Bruno são um combo do próprio autor. Semestre passado, ele esteve aqui na faculdade (e eu tirei fotinho com ele, todo um episódio pra outro dia) e posso afirmar que ou ele é misantropo ou leva a introversão a todo um novo nível.

Sendo o Houellebecq introvertido pra caramba, ele faz algo que todos nós, introvertidos de plantão, fazemos muito bem: observa o mundo com um olhar crítico. E aí que ele faz uma crítica EXCELENTE ao resultado da revolução sexual dos anos 60. Todo mundo ficou louco, se libertou, se pegou loucamente, esperou pela Era de Aquário, e depois... Depois chegou a vida real e os filhos produzidos durante essa época. E, com isso, o vazio existencial conhecido por todos nós.
Em si, o desejo - ao contrário do prazer - é fonte de sofrimento, de ódio e de infelicidade. Isso, todos os filósofos - não apenas os budistas, não somente os cristãos, mas todos os filósofos dignos desse nome - souberam e ensinaram. (p. 177) 
Por que ele é ruim? Porque passagens machistas, misóginas, que dão vontade de pegar o personagem pelas orelhas e arrastá-lo de cara na brita. Tem umas coisas muito revoltantes mesmo, nojentas, mas não atento tanto a isso porque total entendo o motivo do menino Michel ter escrito o livro em questão dessa maneira.

MAS 
NÃO É
 RUIM, 
CARAMBA! 


Mas ele mostra como se forma a construção de um misógino, então pode ofender várias pessoas. 

Se eu recomendo a leitura? Feche agora seu navegador e vá pra biblioteca/livraria/estante-virtual procurar por esse livro. GO GO GO

Em um quote: 
"Existem corretivos, pequenos corretivos humanos", balbuciou Bruno. "Enfim, coisas que permitem esquecer a morte. Em Admirável mundo novo, são os ansiolíticos e os tranquilizantes. Em A ilha, a meditação, as drogas psicodélicas, alguns vagos elementos de religiosidade hindu. Na prática, hoje, as pessoas tentam fazer uma pequena mistura dos dois." (p. 177) 

16 comentários:

  1. Eu não conhecia o autor e o pouco que você apresentou, me chamou atenção. Vou pesquisar mais sobre o autor e a obra, apreciei a indicação.

    ResponderExcluir
  2. Olha essa citação! Eu preciso LOGO me organizar nas leituras e procurar suas indicações, porque são ótimas! :D

    ResponderExcluir
  3. Ahh e tão bom quando encontro indicações de livros antigos. Ultimamente só ando lendo lançamentos e tem tanta coisa boa que não li ainda..
    Achei interessante a premissa, mas o que eu gostei MESMO foi esse gif do 9 doctor no final da publicação hahahaha

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Amei sua indicação. Confesso que pelo título e capa, não me despertou o interesse, porém sua resenha me deixou bem curiosa a respeito dele.

    ResponderExcluir
  5. OOOi, Tudo bem?
    Menina adorei sua resenha e vou anotar na minha listinha com toda certeza <3
    Não conhecia o autor e vou pesquisar mais sobre ele!
    beijos

    ResponderExcluir
  6. Uia! Capa ousada! ^^
    Não conhecia o autor, nem a obra. Mas, fiquei curiosa justamente por tantas pessoas criticarem a obra e você ter encontrado nela algo de bom e valoroso.
    Parabéns pela leitura.
    Abraço
    Nizete
    Cia do Leitor

    ResponderExcluir
  7. Oi, Mia!
    Até então não conhecia nem um e nem outro, mas pela forma que falou do livro e do autor, fiquei bem curiosa, kkkk. Pois parece uma leitura bem diferente, fora do comum. Gostei.

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem ?
    Não conhecia o autor e nem o livro.Gostei da citação, profunda e real.
    Beijos
    www.estilo-gisele.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. olá, eu não conhecia o autor e nem o livro, mas pela sua resenha fiquei empolgada *-* Parece que ele trás uma boa critica. Também já tive boas experiencias com leituras obrigatórias.

    Meu Mundo, Meu Estilo

    ResponderExcluir
  10. Não conhecia o autor, nem a história, a princípio eu fiquei bem interessada em conhecer melhor este livro, mas confesso que não sei se conseguiria concluir a leitura.

    Mesmo entendendo que haveria uma explicação para os momentos machistas, eu me incomodaria muito com isso durante a leitura.

    ResponderExcluir
  11. curti bastante essa dica de leitura, não conhecia o autor mas a temática me interessa bastante...
    Espero apreciar a história...

    bjs ^^

    ResponderExcluir
  12. Que bom que você gostou a ponto de recomendar a leitura mesmo ouvindo tantas opiniões negativas antes de ler, mas eu não chegaria nem perto. Não tenho nenhuma vontade de ler um livro com passagens machistas e misóginas, partes revoltantes e nojentas.

    ResponderExcluir
  13. Oi, tudo bem?
    Eu não conhecia esse livro e confesso que não é o tipo de história que costumo ler, por essa razão não fiquei muito animada. No entanto, lendo sua resenha devo admitir que fiquei curiosa com a história, a mesma parece ser interessante mesmo com todas as passagens machistas. Enfim, vou marcar a dica, pois creio que seja uma leitura interessante e espero fazer algum dia.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  14. Olá,
    Desconhecia o livro, mas mesmo você dizendo o quão bom foi a leitura eu não consegui me sentir atraída para fazer conhecer tal obra.
    Creio que ficaria um tanto incomodada com tantas passagens machistas e o personagem escroto kkkkk

    LEITURA DESCONTROLADA

    ResponderExcluir
  15. Não conhecia esse livro mas a capa não me é estranha, devo ter visto em algum lugar, mas enfim. Bela resenha, bastante honesta é isto que importa. Não sei se por agora eu leria mas vou colocar na lista para uma leitura futura.

    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Oie
    nossa uma pena saber que a leitura apresenta partes machistas, passarei longe então, é sempre bom pesquisar antes e receber esses alertas, adorei sua resenha, parabéns pela sinceridade

    beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

 
Wink .187 tons de frio.