Alucinadamente feliz, só de raiva

Alucinadamente feliz
Jenny Lawson
Intrínseca
349 páginas
Ano de publicação: 2016 
Sobre o que é: Jenny já estava cansadíssima de sempre levar rasteiras da vida e ficar triste e com crises de depressão e ansiedade porque não está fácil. No dia em que ela ficou sabendo da morte de um amigo, decidiu que JÁ CHEGA e o universo que lide com isso: ela iria ser alucinadamente feliz, só de raiva

Por que ele é bom? Era um dia de um calor absurdo em Porto Alegre e eu estava no centro da cidade esperando por uma amiga. Estava tão calor que resolvi entrar em uma loja pra poder pegar ar-condicionado. Aí entrei numa livraria. A ideia era não comprar nada. Eu realmente consigo resistir a livros. É difícil, sempre dá aquela agonia de PRECISO LER, mas me seguro e lembro que tenho mais de 60 livrinhos em casa esperando por serem lidos. 

Porém, a amiga estava demorando e eu já ficava entediada, então fui ver as prateleiras pra ver o que tinha de bom. Olha, sendo bem sincera: era tudo uma bosta. Trocentos lançamentos bobos com enredos clichês que não me atraíam nem um pouco. Mas o ar-condicionado tava bom, então fui ficando. E foi aí que vi um guaxinim com um sorriso congelado estampado numa capa cheia de brilhos dourados. Peguei. Só de ler que a mulher escreveu um livro sobre ser ALUCINADAMENTE FELIZ, SÓ DE RAIVA, eu sabia que nos daríamos super bem porque esse é o tipo de coisa que eu total faço: ser feliz só de birra com o universo. E foi assim que ele veio morar na minha estante. 

Alucinadamente feliz é exatamente o que promete a capa: um livro engraçado sobre coisas horríveis. Mas ele é tão bom porque a Jenny é gente como a gente: blogueirinha que escreve sobre a vida e sobre causos bizarros que acontecem com ela porque ela parece ter um ímã que atrai toda a loucura do universo. 

Jenny tem alguns distúrbios como ansiedade, depressão e síndrome do pânico, o que complica pra caramba a vida dela porque a mulher é uma escritora introvertida que tem várias crises do mais absoluto nada que só quem tem esses problemas sabe como é. Mas ela decidiu fazer piada de si própria e ver coisas boas em acontecimentos horrorosos. Como, por exemplo, encontrar um guaxinim morto no seu jardim! Jenny encontrou um guaxinim morto no jardim e resolveu fazer o quê? EMPALHÁ-LO EM POSIÇÃO DE ETERNA COMEMORAÇÃO E COM UM SORRISO FIXADO NOS LÁBIOS, é claro. E o chamou de Rory. E anda com ele por aí pela casa assustando pessoas enquanto seu marido trabalha no skype. Porque se não for pra ser assim então que o universo não envie guaxinins mortos, oras. 


A MULHER TEM UM GUAXINIM EMPALHADO COM OS BRAÇOS ABERTOS E SORRINDO ETERNAMENTE, não tem como um livro que conta isso ser ruim. 

Por que ele é ruim? Não é ruim. Só tem um capítulo que dá agonia porque ela fala bem abertamente sobre o transtorno de ansiedade e pra quem tem ansiedade é um capítulo bom pra se pular - mas ela avisa já no início que o troço é gatilho e se pode pulá-lo tranquilamente. 

Se eu recomendo a leitura? Não apenas recomendo como queria ser amiga pessoal da Jenny Lawson porque claramente Jenny = melhor pessoa. Fora que eu sou tão louca quanto ela e nós nos daríamos super bem ou seríamos mortas no processo. Uma das duas coisas aconteceria. 

Em um quote:
Hoje de manhã, acordei às seis para levar Hailey à escola, mas depois voltei para a cama e passei mais algum tempo deitada porque havia ficado acordada até as duas da manhã promovendo um rodeio de guaxinins mortos na cozinha. (p. 48) 

29 comentários

  1. Olá, quem nunca entrou numa loja só pra aproveitar a temperatura melhor, não é mesmo? rsrs
    Eu tenho muita vontade de ler esse livro por causa da temática, não sabia que ela tinha um guaxinim empalhado, mas o que fazer se o universo te manda um guaxinim morto, né?!
    Ótima resenha, Mia!

    petalasdeliberdade.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. hahahahaha
    PRECISO!
    vou ler sim com certeza!
    bjão
    www.jeniffergeraldine.com

    ResponderExcluir
  3. Eu adorei esse livro e enquanto eu lia, eu te via nele, Mia!! ❤

    ResponderExcluir
  4. Também adoraria ser amiga da Jenny, por vários motivos, principalmente por ela ter me apresentado a Teoria da Colher, com ela fica mais fácil pra eu explicar como me sinto, em certos dias, aqueles que me faltam colheres.
    Adorei a resenha!

    http://razao-e-emocao.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá tudo bem? *-*
    terminei a resenha com um unico pensamento na cabeça: PRECISO DESSE LIVRO HAHAHA
    Deve ser um livro bem em engraçado e realista ( não que encontrar um guaxinim no jardim de casa seja algo muito normal) mas deve ser leve e me trazer muitas risadas durante a leitura o que eu amo ♥
    Irei ler de certeza bjão ♥

    ResponderExcluir
  6. Eu já tinha lido aquelas amostras de editora, sabe? E tinha ficado curiosa. A escrita da Jenny é muito bacana.
    E também sempre confiei 100% nas tuas resenhas então aparentemente era só isso que me faltava.

    Li a resenha, saí do trabalho e fui direto à livraria. :)

    ResponderExcluir
  7. Ahhhh que livro demais menina, em certos momentos até me identifiquei, juro pra ti, principalmente por causa da temperatura, dica anotada e adorei saber a sua opinião Mia.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  8. Eu amo a capa desse livro, mas não tinha ideia do porque tinha esse guaxinim, hahahahahaha. Meu Deus, que história!
    Beijos
    Mari
    www.pequenosretalhos.com

    ResponderExcluir
  9. Desde o dia em que as meninas comentaram sobre ele no Cilada fiquei morrendo de vontade de ler, mas sabe como é $$$$ não trabalhamos. Até procurei nos confins da internet (não me orgulho) depois de ler sua resenha, mas não encontrei nada :(
    Tá na listinha, certeza que eu adoraria <3
    Beijos <3

    Limonada (antigo Novembro Inconstante)

    ResponderExcluir
  10. Desde que esse livro foi lançado eu tenho curiosidade com ele. Achei a sua resenha bem animada e fiquei ainda mais interessada no livro. Espero que eu possa gostar bastante quando for ler também.

    ResponderExcluir
  11. A Escritora parece ser boa,Mas é assim mesmo rsrsrs todo livro tem aquele ponto negativo e aquele ponto positivo embora a maioria tenha mais positivo como negativo eu achei o livro um máximo só pela sua resenha eu diria que foi excelente.

    ResponderExcluir
  12. Menina! Eu já gostei do título e pelas suas considerações parece ser uma leitura extremamente prazerosa, embora trate de assuntos que conheço de cadeira, depressão, síndrome do panico, gente bipolar igualzinha a mim. rs
    Já vou procura ver se tem em e-book.
    Obrigada pela dica! Bjs

    ResponderExcluir
  13. Aii Que legal!
    Não gosto de ler livros realistas (ou auto-biograficos, etc) quando o tema é triste, mas este trata de um tema triste sendo alucinadamente feliz! Adorei!
    Vou querer! Que sorte a sua que sua amiga demorou para chegar, caso contrario você poderia nem ter conhecido este livro! hihi

    Vícios e Literatura

    ResponderExcluir
  14. Oie! Eu vi demais essa capa pela internet, mas nunca parei para pesquisar sobre o que se tratava. Gostei de saber que é uma história real e mais ainda de descobrir tudo o que a autora conta e a forma como o faz. As livrarias estão cheias de livros sobre depressão e ansiedade e, mesmo que seja um assunto importante, fica um pouco cansativo. É muito legal saber que a autora inovou e fez tudo de forma divertida. Fiquei louca para conhecer direito a história do guaxinim, que loucura, hahah. Adorei a resenha!

    Beijos, beijos.

    ResponderExcluir
  15. Oie!
    Não tem como negar que essa capa chama muita atenção, mas é muito mórbido...kkkk... típico de um psicopata tipo o Bates...rs

    Beijos!
    Gatita&Cia.

    ResponderExcluir
  16. Olá, eu já conhecia a capa do livro, mas não sabia sobre o que ele era e pelos seus comentários a autora trouxe um pouquinho dela e consegui tratar vários temas bacanas *-* Adorei a dica.

    ResponderExcluir
  17. Eu conheço o livro, mas não me empolguei a ler,mesmo a autora tendo sua própria experiência para passar.
    Bjs Rose

    ResponderExcluir
  18. Olá, tudo bem?
    Conheço essa livro de divulgações e resenhas em blog, mas infelizmente essa obra não me atrai. Quem bom que você curtiu a leitura, aguardo suas proximas dicas.
    Beijos

    ResponderExcluir
  19. Oie amore,

    Não conhecia o livro até o momento... mas gostei da resenha!


    Beijoka!!

    ResponderExcluir
  20. Olá!
    Estou precisando tomar essa atitude, pois rasteiras da vida estou levando há mais de 20 anos. rsrsrs quero ser alucinadamente feliz, mas tá brabo! Um dia lerei essa obra só pra saber a receita dessa felicidade toda.
    Abs
    nizete
    Cia do leitor

    ResponderExcluir
  21. Oieee, gostei muito da sua resenha, e fico feliz que vc tenha gostado, ainda mais sobre o aviso da questão sobre a ansiedade, mesmo assim fiquei curiosa e espero poder ler!

    Bjs

    ResponderExcluir
  22. Olá, tudo bem?

    Conheço esse livro pela capa e eu não sabia do que se tratava, pelo o que pude perceber a autora trouxe um pouco dela e aborda vários temas.
    Bjus

    ResponderExcluir
  23. Oi Mia!
    Apesar de nunca ter lido esse livro, tenho uma relação de amor e ódio com ele. Hahahahaha! Ao mesmo tempo que leio resenhas positivas e sei que vou gostar de ler, eu penso que livro mais idiota. Coisa de louca!!
    Mas acho ótimo que a autora fale abertamente sobre o assunto, acho que é sempre valido e sempre podemos aprender algo com livros como esse.
    Bjus

    ResponderExcluir
  24. Sinceramente, acho isso dela ter um guaxinim empalhado aterrorizante, mesmo nessa posição. Tenho tanto horror da capa pelo que ela contém que não tenho vontade alguma de ler o livro, embora eu tenha achado super interessante essa parte em que ela fala do transtorno de ansiedade.

    ResponderExcluir
  25. Olá! A capa é bem divertida! Fiquei curiosa para conhecer a história, saber como é abordado a ansiedade, as opiniões. Transtorno de ansiedade é um horror, legal achar livros que falem sobre isso, beijos!

    ResponderExcluir
  26. Olá, tudo bem?
    Adorei tudo nesse livro: o título, a capa, a premissa... Parece ser bem divertido e irônico! Espero poder ler.
    Tu é de Porto Alegre? Toca aqui!
    Beijos <3

    ResponderExcluir
  27. Olá!
    Eu já conhecia a obra, apesar de ainda não ter tido a oportunidade para ler. Eu gostei muito dessa ideia de ser feliz só para contrariar o universo hahha a obra deve ser realmente bem gostosa de ler, além de bem divertida.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  28. Eu nunca consegui realmente me interessar por esse livro. Parece ser uma leitura ótima, mas não é algo que eu colocaria na minha estante.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  29. Se levarmos em conta que a personagem só tem doenças complicadas que juntas são como um bomba que sempre explode o livro é interessante de ser lido e ver como ela foi construída, isso q me instiga a ler.

    ResponderExcluir