menu
24 janeiro 2018

Antes da tempestade

Antes da tempestade
Dinah Jefferies
344 páginas
Paralela
Ano de publicação: 2017 

Sobre o que é: Eliza é uma jovem viúva que vai para a Índia a trabalho: fotografar a família real de um dos reinos indianos para enviar as fotos ao Império Britânico, que dominava a Índia em 1930. Ao conhecer Jayant, irmão mais novo do marajá, Eliza embarca na aventura mais transformadora de sua vida. Acompanhada pelo príncipe rebelde e misterioso, ela conhecerá uma terra marcada por contrastes — com paisagens de beleza incomparável, cultura rica e vibrante e, ao mesmo tempo, a mais devastadora das misérias. Enquanto Eliza desperta Jayant para a pobreza que circunda o castelo, ele mostra a ela as injustiças do domínio britânico na Índia. Juntos, descobrem uma afinidade de alma e uma paixão arrebatadora. Mas a família real fará de tudo — até o impensável — para impedir a aproximação entre o nobre indiano e a viúva inglesa. 

Por que ele é bom? Eu não conheço quase nada da Índia pra além do que foi mostrado naquela novela, Caminho das Índias, das coisas que a Del fala no seu blog e do que a Cece, de New Girl, fala a respeito na série. Ou seja: nada mesmo, apenas que lá se respeitam as vacas, que o povo curte uns deuses não convencionais e que suas roupas são muito bonitas.

~Cece chateadíssima com a minha falta de conhecimento sobre a Índia~

Isso pode parecer bem estereotipado, e é mesmo, por isso escolhi esse livro como o livro do item "livro que se passa num país sobre o qual você não conhece nada", do Desafio Livrada 2018, do qual estou participando. Resolvi participar do desafio porque é uma forma bacana de sair da zona de conforto literária e conhecer novas literaturas e novas culturas. Apesar de o livro ter sido escrito por uma senhorinha britânica, dá pra perceber bem que ela fez uma boa pesquisa histórica pra escrever a história porque tem muitos, muitos detalhes sobre a Índia do século passado que eu desconhecia e que, após uma pesquisa, descobri serem verdade.

O livro é lindo. Não só fisicamente - a edição tá caprichadíssima: capa, diagramação, divisórias de partes e capítulos, tá tudo perfeito -, mas também em questão de enredo. A história de uma viúva inglesa que vai pra Índia a trabalho em plena década de 30 é algo que parece até surreal tamanho o perigo que essa mulher correria se essa fosse uma história real. Obviamente que é uma ficção, mas mesmo assim a autora fez questão de ser o mais historicamente correta possível e fez com que Eliza, a personagem principal, de fato sentisse o terror que é ser uma mulher num país de cultura misógina (não que o nosso não seja, mas a Índia dos anos 30 não era fácil), ainda mais uma mulher viúva num lugar em que o sati ainda era praticado.

O sati é um ritual onde as viúvas indianas se sacrificavam após a morte do marido e eram queimadas vivas. Sim, queimadas vivas. Mas é claro que esse sacrifício nem sempre (quase nunca) era espontâneo e o que realmente acontecia era o povo drogando a viúva em questão e a arrastando até uma fogueira, onde a matavam porque, de acordo com eles, o dever de uma mulher é cuidar de seu marido e se ela falhou nisso merece morrer também, junto com ele.

As cenas que descrevem o sati são terríveis, mas muito bem contadas. Aliás, o livro todo é maravilhoso. Foi uma leitura rápida e consegui realmente me envolver com as personagens, querendo saber o que ia acontecer com a Eliza numa terra tão diferente da dela e em circunstâncias tão perigosas.

Apesar do tema meio clichê de um romance entre uma plebeia e um príncipe rebelde, a Dinah conseguiu ir muito além disso nesse livro e criou uma história que poderia ser considerada um conto de fadas moderno, tão bonita e ao mesmo tempo realista (sem perder a magya) que é.

Além de todo o contexto histórico e a posição da mulher na sociedade, as personagens são muito bem construídas, especialmente as femininas. Tanto Eliza quanto Laxmi (a mãe do marajá) e Indira são fortes e com tramas próprias. Mesmo não sendo as protagonistas, suas narrativas são relevantes na trama, mas também relevantes por si próprias, por serem personagens complexas e beirando o real. Gostei bastante também do mocinho da trama, o príncipe Jayant. Apesar de não gostar de romances, me peguei torcendo pelos dois porque eles realmente mereciam ser felizes.

É um livro lindo, lindo, lindo e ótimo tanto pra quem curte um romance (definitivamente não sou eu) quanto pra quem gosta de ficção histórica (this is my design).

Por que ele é ruim? ROMANCE. HISTÓRIA DE AMOR. CASAL APAIXONADO. Mas não chega a ser ruim, não é algo que atrapalhe a trama e, como eu disse mais acima, cheguei até a torcer pelo casalzinho em questão (coisa que nunca acontece pois Coração Gelado é meu nome do meio). Mas como eu não gosto de historinhas de amor, consideraria esse o ponto fraco do livro - só que não é o caso porque a autora é boa demais e soube conduzir a coisa sem fazer com que ficasse muito meloso.

Você vai gostar se... curte ficção histórica, ama um romance bem estruturado ou se interessou sobre as condições de vida das mulheres na Índia durante a colonização britânica.

Em um quote:

"Para conhecer o amor verdadeiro, é preciso se deixar levar por ele."

18 comentários:

  1. Depois de ler a sua resenha eu percebi que só tenho razões para AMAR esse livro, afinal, gosto de tudo (principalmente do romance) que você disse que tem! Amei a premissa da história e amei ainda mais com a sua resenha. A dica está mais do que anotada!

    Abraços,
    http://literaleitura2013.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem? Eu adoro histórias de amor, então acho que esse ponto que te desagradou eu iria gostar, hahaha. Adorei a resenha e fiquei curiosa!

    Beijos,
    http://duaslivreiras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Não tenho muito costume de ler romance (apesar de gostar dos de época) e pretendo dar uma chance pro gênero este ano. Mas super te entendo, pq tbm me incomodo com o EXCESSO de amor nas histórias hauhauhuahauhauhuaha

    ResponderExcluir
  4. Oi, tudo bem?
    Estou com este livro para ler desde o ano passado e espero poder ler em breve! Vi comentários muito bons sobre ele e como sou apaixonada por romances de época e históricos, acredito que vou gostar!
    http://colecionandoromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Que delicia de dica Mia, eu não sei muito sobre a india também, vamos se dizer que bem pouco, gostei de saber a sua opinião e parece ser uma ótima pedida, ainda mais que a edição esteja tão linda e que traga esse contexto histórico.
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. O livro parece muito bom, Mia. Pela resenha, lembra um pouco o famoso "o Perfume da folha de chá", da Dinah Jefferies. Uma leitura também muito interessante, e que segue a mesma linha. Aliás, você sempre traz boas dicas de leitura, hein. Grande abraço! http://lucasantoniocwb.blogspot.com


    ResponderExcluir
  7. Olá, tudo bem?
    Como você, também não conheço muito sobre a Índia, mas fiquei bastante curiosa com essa obra, apesar de não estar gostando muito de romances.

    Beijinhos,
    http://livroseimaginacoes.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oii
    Não conhecia o livro, mas fiquei bem interessada. Gosto de histórias que trazem mais da cultura do pais. Conhecemos muito pouco sobre os outros lugares do mundo e através da ficção, por vezes, conseguimos mais deste conhecimento de mundo, coisa que eu adoro.
    Entendo seu posicionamento com o romance. Eu gosto, mas fujo de histórias melosas,daquelas que a mocinha e o mocinho ficam o livro inteiro em desencontros e no final tudo da certo e bláblá. Gosto quando tem um proposito maior do que o romance em si, como em histórias de fantasia <3

    www.vicioseliteratura.com.br

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Eu tenho curiosidade com a escrita da autora. Pelo visto ela retrata muito bem o desenrolar da história com bastante informações sobre a cultura local.
    Espero gostar da trama já que tem bastante elementos que me atraem na leitura.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  10. Gostei da história e um livro que apresenta lugares bem diferentes me atrai muito. Parabéns. Ótima dica.

    ResponderExcluir
  11. Olá, estava curiosa para ler uma resenha desse livro. Esse ritual do sati é horrível! Bom saber que curtiu a leitura.

    ResponderExcluir
  12. Aí eu amo livros com tema Oriente e essa capa è linda amei amei já quero ler beijos

    ResponderExcluir
  13. Olá, tudo bem?
    Eu já li algumas resenhas sobre esse livro, todas foram positivas. Eu particularmente estou interessado nessa leitura, parece ser um bom livro. Gostei da sua resenha, ficou muito boa, parabéns!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  14. Oi, tudo bem?
    Até o ponto negativo pra você pra mim é positivo, já que eu amo histórias de amor!! A Capa do livro é muito bonita!
    Bjs

    ResponderExcluir
  15. Tenho uns colegas indianos que sempre que escutam falar na novela Caminho das Índias ficam indignados, eles dizem que a TV no Brasil mostra as coisas de forma deturpada, sempre ia em jantares na casa deles, além de cantar mantras, tínhamos que assistir documentários para aprender sobre a cultura. Em relação ao livro, ainda não li, mas está em minha lista.

    ResponderExcluir
  16. Heeeeeeeeeeeeey!!!

    Que livro foi esse?
    Amo histórias de amor, conhecer novas culturas. Então esse me parece um bom livro.
    Ao contrário de você da Índia não conheço nada, nem sobre a novela que citou - mas vou coloca-lo na minha lista.

    Dica anotada!

    ResponderExcluir
  17. Oie!
    AMO FICÇÃO HISTÓRICA! E também adoro casal apaixonada, essa melação toda! Hahaha. Também não conheço nada sobre a ÍNDIA, nem a novela assisti, então sera como entrar em um mundo totalmente novo!

    ResponderExcluir
  18. Olá!
    Eu estou morrendo de vontade de ler essa obra! Sou apaixonada por ficção histórica, principalmente quando se passa em outros países que eu não tenho muito contato. Adorei conferir a sua resenha!
    Beijos.

    ResponderExcluir

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial