menu
10 janeiro 2018

La Belle Sauvage

La Belle Sauvage (O livro das sombras - vol. 1)
Philip Pullman 
400 páginas 
Suma 
Ano de publicação: 2017 

Sobre o que é: Malcolm é um guri de onze anos que ajuda seu pai a servir os clientes em uma estalagem em Oxford. Nas horas vagas ele adora passear com seu barco, La Belle Sauvage, e nesses passeios costuma ir a um convento que fica perto de sua casa. Um dia três homens estranhos aparecem na estalagem querendo falar com ele para pedirem informações sobre as freiras do convento. A partir daí coisas estranhas começam a acontecer e Malcolm se vê cada vez mais enredado num mistério terrível. 

Por que ele é bom? Lá por abril do ano passado estava eu na redação do jornal conversando com um amigo que também havia lido His Dark Materials (ficou traduzido no Brasil como Fronteiras do Universo, uma trilogia maravilhosa do Philip Pullman que ganhou nova edição no ano passado, mas eu amo tanto o título original que uso ele mesmo) e a gente comentou que o Pullman sim é um autor que sabia a hora de parar e não ficou que nem certos autores por aí que se aproveitam do sucesso de uma obra e ficam fazendo mil livros sobre ela depois disso mesmo que a história já tenha morrido há muito tempo, palminhas pra o Pullman etc. Aí lá pelo final do ano a Companhia anunciou que sairia mais um livro do Pullman e eu fiquei WHAT.

~somente Titus Andromedon pode me representar nesse momento~

Fiquei muito chocada e já estava pronta para dar uma de HELL NO com o Philip Pullman até que vi um vídeo dele falando que, apesar do livro se passar no mesmo universo de His Dark Materials, não é uma sequência da história e pode ser lido individualmente. Então sosseguei e resolvi dar uma chance ao Pullman novamente. E, olha, que sábia decisão.

O que encontrei em La Belle Sauvage foi um lindo conto de fadas moderno. A história se passa no mesmo universo da outra trilogia (que, pra quem não sabe, é toda baseada em universos paralelos) e tem por protagonista Malcolm, que é uma criança fofa e querida que só quer fazer o melhor que pode e proteger a quem ama. Eu tenho uma grande queda por contos de fadas, então a história já me conquistou nas primeiras páginas. O Pullman é o tipo de escritor que começa com uma história aparentemente boba e quando a pessoa vai ver já está intimamente envolvida naquilo e não quer largar o livro porque se apega às personagens de verdade.

Além da narrativa incrível que ele faz e do personagem principal ser uma criança querida, o enredo é sensacional: em seus livros, Pullman sempre traz questões distópicas, como luta contra uma autoridade e mudanças no mundo causadas por gente de mente pequena e ambição grande. Em La Belle Sauvage isso não é diferente. O Magisterium, que é uma parte da Igreja, tomou conta de tudo e muitos pesquisadores acadêmicos (os catedráticos) estão perdendo seus trabalhos de pesquisa porque eles barram tudo em nome da fé. Obviamente há uma resistência, um grupo de pessoas que tenta sabotar os planos do Magisterium para conseguir sua liberdade de volta. E é com essas pessoas que Malcolm acaba se envolvendo, tudo porque as irmãs do convento recebem uma criança para ser cuidada, uma bebê de seis meses chamada Lyra, e o Malcolm descobre que há várias pessoas tentando sequestrá-la pra provavelmente matá-la. Então, ele a protege como pode partindo numa jornada terrível e cheia de realismo mágico em seu barco.

Obviamente que, assim como em His Dark Materials, os daemons são muito presentes na história. Daemon é como se fosse um animal-totem (do xamanismo) ou um familiar (da bruxaria), ou seja, um animal que nasce com a pessoa e está sempre com ela, é parte de sua personalidade e a ajuda como pode. O bacana é que, além deles conversarem, os daemons mudam de forma até que a criança cresça e atinja a idade adulta, quando finalmente o daemon vai assumir sua forma definitiva, de um animal definitivo que representará a personalidade daquela pessoa. Ou seja: me diga qual é seu daemon e lhe direi quem você é.

Eu amo demais como o Pullman consegue mesclar vários elementos, como questões religiosas (daemons e Igreja comandando tudo) com mitologia clássica da Inglaterra (fadas, reino encantado, outras dimensões, entre outras coisas...), e isso tudo sem nada destoar e fazendo sentido narrativo. Quem já leu alguma lenda arturiana vai reconhecer diversos elementos e isso é lindo demais. ♥

~TANTOS FEELS~

Li o livro em uma semana, durante uma viagem que fizemos à Garopaba pra passar o ano novo e foi difícil desgrudar dele pra ir fazer outras coisas, tipo PASSEAR.

Mal posso esperar pelo segundo livro dessa nova trilogia que (assim espero) será lançado ainda este ano. :)

Por que ele é ruim? Cês tão de brincadeira comigo? Esse livro é maravilhoso demais, tem nada de ruim não. E ainda tem um bônus: não, não precisa ser lido em conjunto com His Dark Materials, pode ser lido apenas individualmente (mas duvido que alguém o lerá e pensará "opa, de boas, adeus titio Pullman").

Você vai gostar se... tem uma queda por contos de fadas, leu His Dark Materials e já estava com saudade, curte histórias com protagonistas crianças ou que envolvam mistérios e fugas.

Em um quote:

Pense no que está em jogo. O direito de falar e pensar com liberdade, de realizar pesquisas sobre qualquer assunto sob a luz do sol, tudo seria destruído. Vale a pena lutar por isso, não acha?


~livro recebido em parceria com a editora~

10 comentários:

  1. Que citação hein! Vou anotar para ler esse ano. Agora que acabou o curso quero muitas coisas bonitas - leves ou pesadas - na minha vida, e a leitura será muito importante em 2018. Fora que é uma capa maravilhosa né? Você falou em Artur, eu só pensei nas vezes em que tentei ler As Brumas de Avalon (em pdf não deu certo, vou ver se em papel vai) e lia a parte da entrada de Avalon, que nem sempre se conseguia enxergar, que tinha um mosteiro católico na mesma região, algo assim. Eu imaginava desse jeitinho aí!

    Beijo e bom 2018, ótimas leituras pra vc!

    ResponderExcluir
  2. Hey, Mia!

    Eu ainda não li His Dark Materials, mas comprei a trilogia esses dias (e O livro das sombras também)e pretendo ler em breve. Pela sua resenha, tenho certeza de que vou gostar. Estou bem ansiosa pra ler.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Oi
    Tudo bom?
    Se falar que nunca ouvi falar no autor você acredita?
    Mas confesso que fiquei bem interessada na trama, quem sabe um dia consiga ler.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem?

    Eu adorei as suas impressões, La Belle Sauvage é um livro que quero ler esse ano, eu acabei de comprar por exemplo a trilogia Fronteiras do Universo, estou super curioso com esse universo!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  5. Oii, eu ando meio afastada dos livros, logo, não conhecia o autor e nem seus livros. Mas de uma coisa é certa. Eu adoro conto de fadas. Sua resenha me deixou muito curiosa. Atualmente meu anime favorito é Mahoutsukai no Yome que envolve um mundo cheio de fantasia assim. Apesar de ser bem diferente do que você disse, não pude deixar de lembrar, hehe. Adorei :3

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bem?
    Recebi esse livro aqui em casa e não sabia o que esperar dele. Que bom que você gostou da leitura. Agora fiquei muuito curiosa para ler, mesmo não tendo lido outros livros do autor. Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Ai gente eu preciso correr para me atualizar! Eu conheci a história através do filme e sempre quis muito ler a série, porque assim como você sou apaixonada por fantasia e contos de fadas! Com certeza vou querer ler todos desse autor que você falou tão bem. Amei a resenha.

    Kisses,
    Camila.

    Blog Próxima Página
    FACEBOOK
    TWITTER
    INSTAGRAM

    ResponderExcluir
  8. Adoro contos de fadas então será um livro que certamente lerei, não conhecia e fiquei curiosa.

    ResponderExcluir
  9. Olá,
    Já li livros do Philip Pullman e acho que entendo o porque deve ser tão bom este aqui. Já tinha lido a sinopse desse livro mas não imaginava que tinha tanta coisa boa!

    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderExcluir
  10. Oii
    Que bom saber que o livro é maravilhoso! Quero muito ler, mas antes vou conhecer Fronteiras do Universo, que infelizmente não tive o prazer de ler ainda.
    Bjus

    ResponderExcluir

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial